Argentina assume a liderança do ranking FIFA

Foto: Divulgação/AFA

Foto: Divulgação/AFA

A atualização do mês de abril do ranking da FIFA trouxe uma grande novidade: a liderança dos argentinos que chegaram aos 1532 pontos e ultrapassaram os belga que somam 1352 pontos.

O salto dos hermanos se deu as vitórias nas eliminatórias, fato que não ocorreu com o Brasil que empatou com Uruguai e Paraguai e perdeu uma posição, passando a ser o sétimo colocado com 1251 pontos conquistados. O grande salto entre os 10 primeiros foi da Colômbia que da mesma foram que a Argentina, foi bem nas rodadas das eliminatórias e pulou da oitava para a quarta colocação, logo atrás dos chilenos.

Confira os 10 primeiros colocados no ranking de seleções:

1°Argentina 1532 pontos
2° Bélgica 1352 pontos
3° Chile 1348 pontos
4° Colômbia 1337 pontos
5° Alemanha 1309 pontos
6° Espanha 1277 pontos
7° Brasil 1251 pontos
8° Portugal 1184 pontos
9° Uruguai  1158 pontos
10°- Inglaterra 1069 pontos

Os empates da seleção brasileira em 2 x 2 diante de uruguaios e paraguaios respectivamente não foram os melhores possíveis, mas espera-se que no futuro o time do técnico Dunga tenha um melhor desempenho.

Curta: http://www.facebook.com/templodosesportes

por: Matheus Furlan

Anúncios

Em corrida emocionante, Bird vence na Fórmula E

A Fórmula E voltou as pistas em 2016 e o e-Prix da Argentina, quarta etapa da temporada, foi emocionante. A vitória ficou com o britânico Sam Bird da equipe Virgin que largou na ponta e teve grande trabalho no final da disputa com a pressão do suíço Sébastien Buemi da equipe e-Dams que partiu do último lugar, antes da parada já ocupava o sexto lugar e terminou no segundo posto a menos de um segundo de Bird.

O brasileiro Lucas Di Grassi partiu do sétimo posto e terminou a corrida na terceira colocação sendo ultrapassado por Buemi na reta final da disputa. Bruno Senna sofreu com a perda de energia de seu carro mas mesmo assim fechou a corrida na 10º colocação. Piquet Jr que chegou a assumir a ponta da disputa nas trocas de carro terminou a corrida apenas na 12º colocação.

 

Confira a classificação final do e-Prix da Argentina:

POS NO DRIVER TEAM LAPS TIME GAP KPH (MPH) BEST ON LAP
1 2 Sam BIRD (P) DS Virgin Racing Formula E Team 35 45:28.385 114.5 (71.1) 1:11.368 33
2 9 Sébastien BUEMI Renault e.Dams 35 45:29.101 +0.716 114.5 (71.1) 1:11.288 25
3 11 Lucas DI GRASSI ABT Schaeffler Audi Sport 35 45:35.910 +7.525 114.2 (71) 1:11.264 32
4 4 Stéphane SARRAZIN Venturi Formula E Team 35 45:37.800 +9.415 114.1 (70.9) 1:11.610 31
5 8 Nicolas PROST Renault e.Dams 35 45:39.701 +11.316 114.1 (70.9) 1:11.495 33
6 6 Loïc DUVAL Dragon Racing 35 45:44.045 +15.660 113.9 (70.8) 1:11.532 32
7 23 Nick HEIDFELD Mahindra Racing Formula E Team 35 45:44.829 +16.444 113.8 (70.7) 1:11.560 32
8 27 Robin FRIJNS Andretti Formula E Race Team 35 45:47.070 +18.685 113.8 (70.7) 1:11.563 28
9 88 Oliver TURVEY NEXTEV TCR Formula E Team 35 45:50.392 +22.007 113.6 (70.6) 1:11.746 32
10 21 Bruno SENNA Mahindra Racing Formula E Team 35 45:50.841 +22.456 113.6 (70.6) 1:11.715 29
11 25 Jean-Eric VERGNE DS Virgin Racing Formula E Team 35 45:52.867 +24.482 113.5 (70.5) 1:11.779 32
12 1 Nelson PIQUET JR NEXTEV TCR Formula E Team 35 45:53.026 +24.641 113.5 (70.5) 1:11.650 31
13 66 Daniel ABT ABT Schaeffler Audi Sport 35 45:56.383 +27.998 113.4 (70.5) 1:11.722 30
14 28 Simona DE SILVESTRO Andretti Formula E Race Team 35 46:04.556 +36.171 113.0 (70.2) 1:12.875 27
15 12 Mike CONWAY Venturi Formula E Team 35 46:07.966 +39.581 112.9 (70.2) 1:12.216 30
16 7 Jérôme D’AMBROSIO (FL) Dragon Racing 34 46:32.229 +1 Lap 108.7 (67.5) 1:10.285 29
17 55 Antonio Felix DA COSTA Team Aguri 17 20:34.184 +18 Laps 123.0 (76.4) 1:12.671 12
18 77 Salvador DURAN Team Aguri 14 17:29.096 +21 Laps 119.1 (74) 1:12.852 12

Classificação

O suíço Buemi  é o líder do campeonato mas com o brasileiro Di Grassi na cola, uma disputa que promete ir a temporada inteira uma vez que Buemi guia o Toyota e Di Grassi o Audi no WEC, confira a classificação do campeonato da Fórmula E:

1º Sébastien Buemi 80 pontos

2º Lucas Di Grassi 76 pontos

3º Sam Bird 52 pontos

4º Loïc Duval 32 pontos

5º Jérôme D1Ambrosio 30 pontos

11º Bruno Senna 10 pontos

15º Nelson Piquet Jr 4 pontos

A próxima etapa da categoria acontece no dia 12 de março, o e-Prix do México e com certeza teremos mais uma batalha.

Curta: http://www.facebook.com/templodosesportes

por: Matheus Furlan

Dakar conhece seus campeões de 2016

Foto: DIVULGAÇÃO

Foto: DIVULGAÇÃO

Chegou ao fim! Após mais de 9 mil km de muita chuva, pó, lama, areia e disputas, o Rali Dakar 2016 chegou ao seu final na tarde deste sábado.

Na chegada na cidade de Rosário na Argentina, após 180 km  cronometrado do 13° estágio, os campeões foram definidos: nas motos, o australiano Toby Price com a sua KTM completou o trajeto em 48h09m15 e ficou com o caneco, nos carros a dupla francesa Stéphane Peterhansel e Jean-Paul Cottret de Peugeot com o tempo de 45h22m10 levantou o título, o 12° na carreira de Stéphane Peterhansel, nos quadriciclos a taça ficou com o argentino Marcos Patronelli que com seu Yamaha 58h47m41 e nos caminhões a equipe liderada pelo holandês Gerard  de Rooy , o espanhol Torrallardona e o polonês Rodewald conquistaram o bicampeonato pela Iveco.

Classificação final das motos após a 13ª etapa (extraoficial):

  1. Toby Price (AUS/KTM) – 48h09m15
  2. Stefan Svitko (ESL/KTM) – 48h48m56
  3. Pablo Quintanilla (CHI/Husqvarna) – 48h58m03
  4. Kevin Benavides (ARG/Honda) – 49h04m02
  5. Helder Rodrigues (POR/Yamaha) – 49h04m59

Classificação final dos quadriciclos após a 13ª etapa (extraoficial):

  1. Marcos Patronelli (ARG/Yamaha) – 58h47m41
  2. Alejandro Patronelli (ARG/Yamaha) – 58h53m04
  3. Brian Baragwanath (AFS/Yamaha) – 60h29m34
  4. Sergei Karyakin (RUS/Yamaha) – 60h32m06
  5. Jeremias Gonzalez Ferioli (ARG/Yamaha) – 60h49m49

Classificação final dos carros após a 13ª etapa (extraoficial):

  1. Stephane Peterhansel (FRA)/Jean-Paul Cottret (FRA) – Peugeot – 45h22m10
  2. Nasser Al-Attiyah (CAT)/ Matthieu Baumel (FRA) – Mini – 45h57m08
  3. Giniel de Villiers (AFS)/Dirk von Zitzewitz (ALE) – Toyota – 46h24m57
  4. Mikko Hirvonen (FIN)/Michel Perin (FRA) – Mini – 46h27m28
  5. Leeroy Poulter (AFS)/Robert Howie (AFS) – Toyota – 46h52m53

Classificação final dos caminhões após a 13ª etapa (extraoficial):

  1. de Rooy (HOL)/Torrallardona (ESP)/Rodewald (POL) – Iveco – 44h42m03
  2. Mardeev (RUS)/Belyaev (RUS)/Svistunov (RUS) – Kamaz – 45h52m30
  3. Villagra (ARG)/Pérez Companc (ARG)/Memi (ARG) – Iveco – 46h22m58
  4. Stacey (HOL)/Serge (BEL)/Van der Vaet (BEL) – MAN – 47h05m04
  5. Van Genugten (HOL)/Van Limpt (HOL)/Van Eerd (HOL) – Iveco – 47h13m02

O maior rali do mundo chegou ao seu final e na temporada de 2017 ele volta para a América do Sul em busca de muito mais adversidades e desafios para todos os que participam, seja competidores ou organizadores.

Curta: http://www.facebook.com/templodosesportes

por: Matheus Furlan

Sainz fica pelo caminho e Peterhansel assume a liderança dos carros no Dakar

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

Loeb já havia ficado pelo caminho e nesta quarta feira, 13, foi a vez da dupla Carlos Sainz e Lucas Cruz que além de atolarem tiveram problemas mecânicos perderem a oportunidade de conquista o bicampeonato na competição.

A vitória no dia ficou com Stéphane Peterhansel eJean-Paul Cottret que com o tempo de 03h58m32, que com esse resultado associado ao abandono dos adversários-companheiros de Peugeot, assumiram a liderança na classificação geral. A segunda colocação ficou com a dupla  Cyril Despres e David Castera que também anda de Peugeot com 5m40 de desvantagem.

Classificação geral nos carros após a 10ª etapa (extraoficial):

1 – Stéphane Peterhansel /Jean-Paul Cottret (Peugeot DKR 2008): 32:44:59
2 – Nasser Al-Attiyah / Matthieu Baumel (Mini All4 Racing): + 01:00:00
3 – Giniel de Villiers / Dirk Von Zitzewitz (Toyota Hilux): + 01:12:31
4 – Mikko Hirvonen / Michael Perin (Mini All4 Racing): + 01:23:51
5 – Cyril Despres / David Castera (Peugeot DKR 2008): + 01:50:07

A segunda colocação no geral, agora é ocupada por Al-Attiyah e Baumel com um hora de desvantagem para os lideres e com isso Peterhansel e Cottret caminham com folga, se não tiverem nenhum problema para o 12° título no rali.

Os competidores farão o 11° estágio entre La Rioja e San Juan na Argentina nesta quinta feira, 14.

Curta: http://www.facebook.com/templodosesportes

por: Matheus Furlan

Dakar 2016 começa marcado por acidente

Foto: HSA Rally Team / Divulgação

Foto: HSA Rally Team / Divulgação

Neste final de semana começa a ser disputado o Rali mais perigoso do mundo, o Dakar. No trajeto do prólogo, que define a ordem de largada, a equipe chinesa comanda pela piloto Guo Meiling  perdeu o controle de seu Mini Jonh Cooper Works #360 e acabou por atropelar diversos espectadores que acompanhavam a disputa.

O trajeto era de 11 km e o acidente ocorreu  na metade final do mesmo. Toda a estrutura da competição se mobilizou para o resgate dos feridos, mas a área não havia proteção suficiente para os espectadores. Não houve nenhuma vítima fatal e todos os feridos foram encaminhados para o hospital local.

Com o acidente o prólogo dos carros e dos caminhões foi cancelado e uma vez que as motos e os quadriciclos já haviam completado os seus estágios, o comboio do Dakar segue para a cidade de Rosário onde acontece o primeiro estágio da disputa até a cidade de Villa Carlos Paz com 258 km a serem percorridos.

Confira os cinco primeiros das motos e quadris:

MOTOS
1º – Joan Barreda (HRC) | 6min27s
2º – Ruben Faria (Husqvarna) | 6min27s
3º – Helder Rodrigues (Yamaha) | 6min30s
4º – Adrien Van Beren (Yamaha) | 6min31s
5º – Michael Metge (HRC) | 6min35s
17º – Jean Azevedo (HSA Rally Team) | 6min45s (foto)

QUADRIS
1º – Ignacio Casale (Yamaha) | 7min14s
2º – Marcos Patronelli (Yamaha) | 7min19s
3º – Pablo Copetti (Yamaha) | 7min21s
4º – Alejandro Patronelli (Yamaha) | 7min22s
5º – Lucas Bonetto (Honda) | 7min24s
8º – Marcelo Medeiros (Yamaha) | 7min26s

São ao todo 10 brasileiros na competição e vamos torcer para que todos completem a disputa em segurança acima de tudo e buscando um grande resultado.

Curta: http://www.facebook.com/templodosesportes

por: Matheus Furlan

Dunga convoca Seleção Brasileira para sequencia das Eliminatórias

 Foto:  Daniel Augusto Jr. / Ag. Corinthians / corinthians.com.br

Foto: Daniel Augusto Jr. / Ag. Corinthians / corinthians.com.br

Na manhã desta quinta feira, 22, o técnico Dunga convocou a Seleção Brasileira para os dois próximos compromissos nas Eliminatórias para a Copa do Mundo de 2018. Após perder para o Chile e venceu a Venezuela nas primeiras rodadas, o Brasil ocupa a quinta colocação na classificação geral com três pontos.

A grande novidade do treinador nesta lista é o goleiro Cássio do Corinthians que foi lembrado pela primeira vez com o treinador e fará companhia a Jefferson do Botafogo e Alisson do Internacional na meta brasileira. Com a convocação do camisa 12 corinthiano, o Timão é a equipe com mais atletas na seleção, ao todo são quatro jogadores.

Confira a lista de convocados:

Goleiros

Alisson (Internacional)

Cássio (Corinthians) (foto)

Jefferson (Botafogo)

Laterais

Danilo (Real Madrid)

Daniel Alves (Barcelona)

Filipe Luís (Atlético de Madri)

Marcelo (Real Madrid)

Zagueiros

Miranda (Inter de Milão)

David Luiz (PSG)

Marquinhos (PSG)

Gil (Corinthians)

Meio-campistas

Luiz Gustavo (Wolfsburg)

Fernandinho (Manchester City)

Elias (Corinthians)

Renato Augusto (Corinthians)

Oscar (Chelsea)

Lucas Lima (Santos)

Kaká (Orlando City)

Willian (Chelsea)

Atacantes 

Douglas Costa (Bayern de Munique)

Neymar (Barcelona)

Hulk (Zenit)

Ricardo Oliveira (Santos)

O Brasil se prepara entre os dias 9 e 11 de novembro para o duelo contra a Argentina que acontece 12 novembro em Buenos Aires e 17 de novembro contra o Peru em Salvador.

A volta do atacante Neymar do Barcelona e comemorada pela comissão técnica da seleção.

Curta: http://www.facebook.com/templodosesportes

por: Matheus Furlan

Brasil vence a Argentina prorrogação e leva ouro no handebol masculino

Foto: Ezra Shaw/AFP/gazetaesportiva.net

Foto: Ezra Shaw/AFP/gazetaesportiva.net

Não poderia ser de outra forma Depois de muita disputa, suor e catimba, o Brasil conquistou a medalha de ouro no handebol masculino ao derrotar a Argentina na final por 29 x 27.

A partida foi lá e cá o tempo todo. Nenhuma das equipes conseguiu uma grande vantagem no placar e o final do primeiro tempo foi de 11 x 9 para os hermanos. O goleiro Maik foi um dos mais acionados na partida e fez grandes defesas para o time brasileiro em especial no segundo tempo quando o Brasil venceu por 15 x 13 e a partida terminou empatada no tempo normal, 24 x 24. Diogo teve a oportunidade de acabar com o jogo no final do segundo tempo em cobrança de sete metros mas desperdiçou.

Na prorrogação o Brasil largou na frente no placar. Fernando marcou 25 x 24 para o Brasil, os argentinos empataram. Oswaldo e Vinicius colocaram novamente o Time Brasil em vantagem mas Carou descontou e Fernandez empatou em 27 x 27 no inicio do segundo tempo da prorrogação.

Nos minutos finais, Lucas e Fernando deram números finais a partida e o Brasil venceu a partida por 29 x 27, conquistando assim a medalha de ouro e devolvendo a derrota para os argentinos do  último Pan-americano.

O artilheiro brasileiro no jogo foi Diogo com seis gols anotados, enquanto Fernandez da Argentina anotou oito tentos.

A medalha de ouro masculina mostra o quanto o Brasil esta evoluindo no handebol e tem tudo para e tornar uma das equipes mais fortes e competentes do esporte no mundo.

Curta: http://www.facebook.com/templodosesportes

por: Matheus Furlan

 

 

Handebol masculino e feminino disputam o ouro

Foto:  Divulgação/CBHb

Foto: Divulgação/CBHb

O handebol brasileiro vive uma grande fase  e ambas as equipes, masculina e feminina, irão disputar a medalha de ouro nos Jogos Pan Americanos.

No feminino o Brasil não teve dificuldades para superar o Uruguai nas semifinais pelo placar de 40 x 22, com parciais de 18 x 11 no primeiro tempo e 22 x 11 no segundo tempo. A equipe brasileira que sempre esteve a frente no placar desde o primeiro lance teve em Fernanda Silva a sua artilheira na partida com oito gols marcados.

Na final o Brasil vai enfrentar a Argentina que derrotou o México por 27 x 16 nas semifinais. Duelo quente na final

Masculino se garante na disputa do ouro

O time masculino de handebol também se garantiu na final do handebol dos Jogos Pan-americanos. Em uma partida complicada diante dos chilenos, o Brasil se manteve forte e concentrado no jogo o que fez com que os meninos brasileiros conquistassem a vitória por 34 x 24 com parciais de 19 x 12 no primeiro tempo e 15 x 12 no segundo tempo. O artilheiro da equipe brasileira foi Oswaldo Guimarães com cinco gols marcados na partida.

A disputa da medalha de ouro será, da mesma forma que o feminino, diante da Argentina que derrotou o Uruguai por 20 x 12. O Brasil busca devolver a derrota na final do último Pan-americano no México. Vamos torcer para o time brasileiro conquistar a medalha de ouro.

A final feminina acontece nesta sexta feira, 24, e a final masculina acontece no sábado, 25.

Curta: http://www.facebook.com/templodosesportes

por: Matheus Furlan

Brasil deve jogar duas vezes em setembro

Foto: Rafael Ribeiro / CBF / cbf.com.br

Foto: Rafael Ribeiro / CBF / cbf.com.br

Após o vexame na Copa América, a Seleção Brasileira deve realizar duas partidas no mês de setembro. A primeira deve ser o Super Clássico das Américas diante da Argentina no dia 5 de setembro, mas de acordo com Gilmar Rinaldi, coordenador de seleções da CBF, ainda não esta acertado por contrato.

A segunda partida deve acontecer no dia 8 de setembro diante dos Estados Unidos que vem em uma crescente no futebol e deve ser um páreo duro para os brasileiros.

O Brasil que caiu nas penalidades diante do Paraguai após empate em 1 x 1 deve utilizar Neymar que ainda tem uma punição de dois jogos para cumprir, punição imposta pela Conmebol, mas que deve ser  encerrada na disputa das eliminatórias  para a Copa do Mundo de 2018. As vagas para o Mundial começam a ser disputadas no mês de outubro.

Esperamos que o Brasil possa ao menos fazer jus a sua história, porque o futebol esta complicado.

Curta: http://www.facebook.com/templodosesportes

por: Matheus Furlan

Feijão luta mais perde, Bellucci é a chance

Foto: AFP / eluniverso.com

Foto: AFP / eluniverso.com

A Argentina conseguiu empatar o duelo contra o Brasil na Copa Davis em 2 x 2. Leonardo Mayer venceu João Souza, o Feijão, por 3 sets a 2, em parciais de 7/6, 7/6, 5/7, 5/7 e 15/13, após 6h42, a partida mais longa da história da Davis.

Ainda neste domingo, Federico Delbonis e Thomaz Bellucci entram em ação em Buenos Aires. O detalhe é que a quadra dos hermanos não têm luz artificial, portanto o jogo decisivo deve começar hoje e terminar apenas nesta segunda-feira.

Sobre o jogo, Mayer e Feijão fizeram um duelo épico, com destaque para o brasileiro, que salvou dez match points do rival.

O argentino venceu as duas primeiras parciais por 7/6, logo ambas no tie-brake, nos detalhes.

O terceiro set tinha cara de ser do hermano. Mayer abriu 4 x 1, mas Feijão estava mais vivo do que nunca. Confirmou seu saque, quebrou o de Mayer e confirmou novamente, empatando o jogo em 4 x 4. Confiante, Feijão conseguiu a vitória por 7/5 e fez do mesmo modo na parcial seguintes, mas sem tantos sustos.

A partida chegou ao quinto e último set. O detalhe é que na Copa Davis, assim como nos Grand Slams, a parcial decisiva não tem tie-brake, portanto os atletas vão jogando até abrirem uma diferença de dois games. Depois de salvar algumas chances do rival, Souza teve a sua grande oportunidade, quando o duelo estava 6/5 e ele sacava com 40 x 30, mas fez uma dupla falta e na sequência Mayer quebrou o saque do brasileiro e empatou o duelo.

Dai em diante o jogo ficou extremamente psicológico e físico, afinal os dois atletas já estavam extremamente cansados. Leonardo ainda teve algumas excelentes chances de quebrar o saque de João e fechar o jogo, mas o brasileiro resistiu bem em todas as situações complicadas, até que o jogo estava 14 x 13 e 15 x 40 no saque de Feijão, que até salvou mais um match point, mas não teve mais pernas para alcançar a devolução de Mayer.

Apesar da derrota, João Souza tem de ser ovacionado, pelo que fez. Lutou, brigou e resistiu até quando não dava mais, um verdadeiro guerreiro. Com certeza veremos Feijão crescer muito no ranking da ATP e quem sabe surpreender em um Grand Slam.

Sobre a Copa Davis, o Brasil ainda está vivo. Bellucci e Delbonis entrarão em quadra em breve, decidindo a classificação. Fica a grande torcida para a vitória de Thomaz, que garantiria a vaga para as quartas de final contra a Sérvia.

por: Rodrigo Bitar

adaptação: Matheus Furlan