E lá vem mais uma… Copa São Paulo de Futebol Junior

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

Vai começar a 47° edição da Copa São Paulo de Futebol Junior, o mais tradicional torneiro de jovens promessas do futebol nacional. Ao todo são 112 equipes de todos os cantos do Brasil na disputa da competição em 2016.

Mas qual é a verdadeira finalidade da Copa São Paulo? Para muitos é a revelação dos jovens futuros jogadores do nosso futebol, mas a realidade é que ultimamente não é bem isso que anda acontecendo.

Se pegarmos o atual campeão, o Corinthians, que é detém o maior número de conquistas com nove triunfos além de sete vices campeonatos, quantos jogadores que conquistaram o título em 2015 chegaram aos profissionais da equipe? Bem, Guilherme Arana, Rodrigo Sam e Marciel estiveram entre os profissionais, mas é o suficiente? Com um mercado repleto de clubes quebrados, as categorias de base deveriam ser a grande salvação da equipes, mas não é.

Poucas equipes aproveitam um jogador que for de sua base, suas pratas da casa. E a situação ainda piora quando vemos a quantidade de  jogadores que são os chamados “pizza”, totalmente fatiados entre empresários e clubes. Sem contar, que não podemos provar, mas muitos pagam para jogar, basta lembrar da Roma Barueri em 2001, venceu o São Paulo nas penalidades na grande final e com uma equipe formada por jogadores de empresários ficou com o título.

Até quando os clubes e seus dirigentes vão preferir gastar milhões, que muitas vezes não tem, em jogadores que estão fora do país, ao invés de apostar em um garoto que está ali do lado, que já conhece o clube, que sabe o que pode e não pode fazer, que vai dar o sangue e honrar  a camisa, fatos que muitos jogadores dos dias atuais não fazem.

O fato é que a Copa São Paulo começa neste sábado, 2 de janeiro, e o que todos nós, amantes de futebol, temos a esperança de assistir e presenciar uma grande disputa e que grandes jogadores possam despontar e quem sabe chamar a atenção dos clubes, para que o nosso futebol deixe de ser apenas cultivados pelos jogadores que tiveram que ir para a Europa para conquistarem seus respectivos espaços.

A final da competição acontecerá no dia 25 de janeiro, no Estádio Paulo Machado de Carvalho, o Pacaembu, no dia em que a cidade de São Paulo comemorará 462 anos.

Curta: http://www.facebook.com/templodosesportes

por: Matheus Furlan

Anúncios

Buemi vence com Di Grassi em 2° na Fórmula E

Photo: Jed Leicester/LAT/Formula E

Photo: Jed Leicester/LAT/Formula E

A Fórmula E esteve em Punta del Este no Uruguai neste final de semana e a vitória ficou com  o suíço Sébastien Buemi da equipe e-Dams que partiu do quinto posto e deixou Lucas Di Grassi da Audi para trás ainda na largada. Na ponta, D’Ambrosio se manteve e viu Bird deixar Duval para trás.

Com um carro visivelmente mais equilibrado e mais ousados que os demais competidores, Buemi seguiu em frente e foi para cima de Duval, conseguiu a ultrapassagem até que oitava volta ele assumiu a ponta para não abandona-la mais.

Na troca de carro, Di Grassi foi mais rápido que os concorrentes e assumiu o segundo posto atrás de Buemi e viu os demais concorrentes saírem todos juntos. Na parte intermediária do pelotão, Senna teve problemas com seu modelo e ficou pelo caminho enquanto Piquet Jr vinha na luta pela oitava posição quando se perdeu em uma das curvas e acabou batendo e ficando pelo caminho.

Buemi ficou em primeiro, Di Grassi em segundo, D’Ambrosio em terceiro, Duval  em quarto e Prost em quinto. Confira  a classificação final do e-Prix do Uruguai:

1 9 Sébastien BUEMI (FL) Renault e.Dams 33 45:59.697 119.9 (74.5) 1:17.413 23
2 11 Lucas DI GRASSI ABT Schaeffler Audi Sport 33 46:03.231 +3.534 119.7 (74.4) 1:17.795 22
3 7 Jérôme D’AMBROSIO (P) Dragon Racing 33 46:06.422 +6.725 119.6 (74.3) 1:17.789 22
4 6 Loïc DUVAL Dragon Racing 33 46:06.504 +6.807 119.6 (74.3) 1:17.804 26
5 8 Nicolas PROST Renault e.Dams 33 46:20.754 +21.057 119.0 (73.9) 1:18.599 23
6 55 Antonio Felix DA COSTA Team Aguri 33 46:22.107 +22.410 118.9 (73.9) 1:18.499 22
7 25 Jean-Eric VERGNE DS Virgin Racing Formula E Team 33 46:57.423 +57.726 117.4 (72.9) 1:18.373 22
8 66 Daniel ABT ABT Schaeffler Audi Sport 33 47:00.441 +1:00.744 117.3 (72.9) 1:18.809 29
9 4 Stéphane SARRAZIN Venturi Formula E Team 33 47:03.256 +1:03.559 117.2 (72.8) 1:19.636 6
10 27 Robin FRIJNS Andretti Formula E Race Team 33 47:03.537 +1:03.840 117.2 (72.8) 1:18.710 27
11 28 Simona DE SILVESTRO Andretti Formula E Race Team 32 46:16.046 +1 Lap 115.6 (71.8) 1:20.453 22
12 88 Oliver TURVEY NEXTEV TCR Formula E Team 32 46:16.556 +1 Lap 115.6 (71.8) 1:19.675 19
13 23 Oliver ROWLAND Mahindra Racing Formula E Team 32 46:35.155 +1 Lap 114.8 (71.3) 1:19.760 22
14 77 Nathanaël BERTHON Team Aguri 32 47:22.672 +1 Lap 112.9 (70.2) 1:19.036 25
15 1 Nelson PIQUET JR NEXTEV TCR Formula E Team 31 44:03.474 +2 Laps 117.6 (73.1) 1:18.344 22
16 21 Bruno SENNA Mahindra Racing Formula E Team 26 40:37.867 +7 Laps 106.9 (66.4) 1:19.932 10
17 2 Sam BIRD DS Virgin Racing Formula E Team 17 22:54.298 +16 Laps 124.0 (77.1) 1:19.623 11

Campeoanto

A vitória colocou Buemi na ponta da tabela de classificação na disputa da Fórmula E, um ponto a frente de Lucas Di Grassi, confira:

1° Sébastien Buemi 62 pontos

2° Lucas Di Grassi 61 pontos

3° Jérôme D’Ambrosio 28 pontos

4° Sam Bird 24 pontos

5° Loïc Duval 24 pontos

11° Bruno Senna 10 pontos

16° Nelson Piquet Jr 4 pontos

A próxima etapa da categoria acontece apenas em 2016, 6 de fevereiro  em Bueno Aires na Argentina.

Curta: http://www.facebook.com/templodosesportes

por: Matheus Furlan

Old Stock Race realiza testes para primeira corrida em São Paulo

Foto: Matheus Furlan / Templo dos Esportes

Foto: Matheus Furlan / Templo dos Esportes

No final de semana dos dias 19 e 20 de dezembro, a Old Stock Race disputou sua primeira corrida no autódromo de Interlagos, São Paulo. Com muita emoção na pista, os primeiros treinos mostraram carros muito rápidos, pilotos experientes e cheios de vontade de andar forte com essas máquinas.  Na pista somente carros Chevrolet Opalas 1979.

A equipe do Jogo em Pauta/Templo dos Esportes esteve presente na manhã deste sábado. Lá conversamos com Djalma Fogaça #72, piloto da Fórmula Truck, que com o mesmo numeral disputará a categoria ao lado de seu filho, Fábio Fogaça. “O Monstro” como é conhecido no circo do automobilismo falou um pouco sobre o convite para guiar na categoria, além de suas impressões sobre o carro.

Clique aqui para ouvir na integra a entrevista com Djalma Fogaça.

“A história desse carro aqui em Interlagos, começou a ser contada há 15 dias. Então, a equipe ligou para mim e disse: Fogaça, você anda com a gente, nós estamos montando o Opala. (…) Eu andei no dia da apresentação, com o carro do Grego, cujo carro teve mais testes e já tinha tido uma boa impressão. Essa equipe Fast Racing, nunca havia montado um Opala. O carro PE um “chão” (estabilidade) do carro, o que me deixou muito bem impressionado. Nós temos uma deficiência no motor, mas tenho certeza que o “chão” deles é muito melhor que o dos outros, então, estou bem. Andamos cerca de sete, oito voltas. Ontem (sexta feira), o Fábio guiou o carro, que estava com problema de motor, pois havia uma junta de cabeçote queimada. Então, o carro dava uma volta, esfriava uma, na subida da Junção, e eu tinha de tirar o pé, por causa da alta temperatura. Hoje resolvemos os problemas e conseguimos uma sequencia de voltas”; contou Fábio Fogaça

“Nós viemos para brincar (…), então se chegarmos na quinta posição já está de bom tamanho. Mas chega aqui, um cara que levou a sério a carreira inteira, 33 anos, não consegue brincar, não é? De qualquer forma, estou feliz, pois essa é uma categoria que tem baixo custo, pouco investimento, e no que eu puder ajudar eu vou ajudar no desenvolvimento da categoria”; explicou Fogaça.

Fogaça ainda afirmou que seu carro está cortando (deixando de injetar combustível) quando atinge 5.500 giros, enquanto os demais chegam a seis mil. Ou seja, o desempenho de retomada afeta diretamente na velocidade. Entretanto, o carro #72  sempre anda  no pelotão da frente, e se depender da confiança de Fogaça, a disputa já está ganha.

A Old Stock Race realizará duas corridas neste domingo, cada prova terá a 30 minutos de duração. A primeira disputa está marcada para as 10 horas da manhã e a segunda para às 13h30minhs, horário de Brasília.

Por: Matheus Furlan

Adaptação: Ivan Marconato

Renault domina em Interlagos. Meira é campeão

Foto: bhttp://brasileirodemarcas.com.br/

Foto: bhttp://brasileirodemarcas.com.br/

O Brasileiro de Marcas ou a Copa Petrobras de Marcas conheceu seu campeão no último final de semana em São Paulo. Em Interlagos, Vitor Meira e seu Honda Civic #3 levantaram o troféu da temporada ao somar 226 pontos, mas sem conquistar nenhuma vitória na temporada 2015.

Na primeira corrida do final de semana no sábado, Barrichello anotou a pole position  mas não conseguiu segurar Fabio Carbone, ambos de Renault Fluence, e com isso o jovem Carbone ficou com a vitória, Barrichello em segundo, Guilherme Salas de Chevrolet em terceiro, Vitor Meira de Honda em quarto e Gustavo Martins de Honda em quinto.

Confira a classificação final da primeira corrida:

1-) 45 Fábio Carbone (Full Time Sports/Renault Fluence) – 13 voltas em 28min22s441 (média de 118,6 km/h)
2-) 111 Rubens Barrichelo (Full Time Sports/Renault Fluence) – a 1s512
3-) 12 Guilherme Salas (Onze Motorsports/Chevrolet Cruze) – a 2s126
4-) 3 Vitor Meira (JLM Racing/Honda Civic) – a 5s194
5-) 0 Gustavo Martins (JLM Sport/Honda Civic) – a 7s757
6-) 11 Nonô Figueiredo (Onze Motorsports/Chevrolet Cruze) – a 8s222
7-) 83 Gabriel Casagrande (C2 Team/Renault Fluence) – a 12s500
8 -) 38 G.di Mauro/S.Ramalho (C2 Team/Renault Fluence) – a 14s193
9-) 17 Daniel Kaefer (RZ Motorsport/Toyota Corolla) – a 15s732
10-) 57 Felipe Tozzo/Mauri Zaccarelli (JLM Sport/Honda Civic) – a 15s786
11-) 43 Vicente Orige (JLM Racing/Honda Civic) – a 16s584
12-) 9 Rodrigo Baptista (Bassani Racing/Toyota Corolla) – a 17s295
13-) 31 Willian Starostik (Bassani Racing/Toyota Corolla) – a 18s292
14-) 88 Alberto Cattucci (KFF Pro Racing/Chevrolet Cruze) – a 39s398
15-) 1 Thiago Marques (RZ Motorsport/Toyota Corolla) – a 1 volta
NÃO COMPLETARAM
16-) 99 Cesar Bonilha (Jupiter Racing/Ford Focus) – a 5 voltas
17-) 555 Ayman Darwich (KFF Pro Racing/Chevrolet Cruze) – a 7 voltas
18-) 199 Marcelo Rocha (Jupiter Racing Team/Ford Focus) – a 9 voltas

Foto: Fernanda Freixosa / brasileirodemarcas.com.br

Foto: Fernanda Freixosa / brasileirodemarcas.com.br

Na segunda corrida já com pista seca no domingo, Toyota e Renault fizeram grande duelo pela liderança, mas na disputa pelo título Meira partiu cauteloso, Nonô Figueiredo de Chevrolet e Gustavo Martins de Honda Civic, postulantes ao título acabaram por se enroscar e sair do traçado, assim com sorte de campeão, Meira seiu de forma tranquila e terminou a disputa na oitava colocação, acima do 12° que ele precisava e ficou com o título.

A vitória na etapa ficou com Gabriel Casagrande #83 de Renault, Barrichello ficou em segundo, Kaefer de Toyota em terceiro, Guilherme Salas em quarto e Thiago Marques em quinto lugar.

Confira a classificação da segunda corrida em São Paulo:

1-) 83 Gabriel Casagrande (C2 Team/Renault Fluence) – 15 voltas em 27min55s665 (média de 139,0 km/h)

2-) 111 Rubens Barrichelo (Full Time Sports/Renault Fluence) – a 3s741

3-) 17 Daniel Kaefer (RZ Motorsport/Toyota Corolla) – a 4s957

4-) 12 Guilherme Salas (Onze Motorsports/Chevrolet Cruze) – a 5s796

5-) 1 Thiago Marques (RZ Motorsport Toyota/Toyota Corolla) – a 11s376

6-) 43 Vicente Orige (JLM Racing/Honda Civic) – a 18s143

7-) 0 Gustavo Martins (JLM Sport/Honda Civic) – a 20s171

8 -) 3 Vitor Meira (JLM Racing/Honda Civic) – a 20s247

9-) 38 G.di Mauro/S.Ramalho (C2 Team/Renault Fluence) – a 32s417

10-) 57 Felipe Tozzo/Mauri Zaccarelli (JLM Sport/Honda Civic) – a 33s293

11-) 11 Nonô Figueiredo (Onze Motorsports/Chevrolet Cruze) – a 33s293

12-) 199 Marcelo Rocha (Jupiter Racing Team/Ford Focus) – a 44s808

13-) 15 Bia Figueiredo (Toyota Bassani Racing/Toyota Corolla) – a 44s842

14-) 88 A.Cattucci/M.Lund (KFF Pro Racing/Chevrolet Cruze) – a 1min16s3

15-) 9 Rodrigo Baptista (Bassani Racing/Toyota Corolla) – a 1 volta

NÃO COMPLETOU

16-) 45 Fábio Carbone (Full Time Sports/Renault Fluence) – a 7 voltas

17-) 99 Cesar Bonilha (Jupiter Racing/Ford Focus) – a 13 voltas

18-) 555 Ayman Darwich (KFF Pro Racing/Chevrolet Cruze) – a 13 voltas

Campeonato

A montadora Honda contou com o grande desempenho e regularidade de Vitor Meira e Gustavo Martins que não venceram nenhuma prova na temporada mais ficaram como campeão e vice campeão respectivamente e ficou com o título de montadoras superando Renault em 2°, Toyota em 3°, Chevrolet em 4° e Ford em 5°. Confira a classificação final do campeonato de pilotos:

Foto: Fernanda Freixosa / brasileirodemarcas.com.br

Foto: Fernanda Freixosa / brasileirodemarcas.com.br

1-) Vitor Meira – 226 pontos
2-) Gustavo Martins – 199 pontos
3-) Guilherme Salas – 190 pontos
4-) Nonô Figueiredo – 188 pontos
5-) Vicente Orige – 188 pontos
6-) Gabriel Casagrande – 186 pontos
7-) Thiago Marques – 172 pontos
8 -) Daniel Kaefer – 166 pontos
9-) Rubens Barrichello – 154 pontos
10-) Cesar Bonilha – 133 pontos

A categoria volta as pistas nos dias 5 e 6 de março em Curitiba no Paraná, e a cada ano que passa a categoria fica mais forte e por ter os custos mais baixos que outras em âmbito nacional  vem ganhando muitos adeptos.

Curta: http://www.facebook.com/templodosesportes

por: Matheus Furlan

Em corrida repleta de toques, Abreu vence e Gomes é campeão da Stock Car

Foto: stockcar.com.br

Foto: stockcar.com.br

A decisão da temporada de 2015 da Stock Car foi dramática e espetacular. Na pole position Valdeno Brito partiu devagar e com isso todo o pelotão ficou bem colado. Devido a chuva todos os ponteiros partiram da parte de trás do grid e ai foi um festival de toques e um deles envolvendo Marcos Gomes líder do campeonato que foi parar no muro e acabou comprometendo a sua corrida.

Com Gomes nos boxes, Cacá Bueno começou o seu trabalho de escalada no pelotão e contou com diversos toques na sua frente, mas acontece que Cacá também se envolveu em disputas e com isso o seu capô começou a levantar. Gomes que ficou por sete voltas nos boxes mexendo na suspensão de seu carro voltou para a pista e passou a andar para chegar entre os 20 primeiros colocados.

Cacá Bueno com problemas em seu capô parou nos pits para a troca de pneus e reabastecimento, mas a equipe optou por não mexer na parte da frente e com isso os problemas do carro #0 só fizeram aumentar.

Foto: stockcar.com.br

Foto: stockcar.com.br

A disputa pelo título está na pista e com desespero, mas na pista a liderança Átila Abreu  sobrou após o abandono de Brito, Diego Nunes em segundo, Felipe Fraga em terceiro, Gabriel Casagrande em quarto e Vitor Genz em quinto.

E foi assim que terminou a disputa do campeonato com Marcos Gomes em 22° e Cacá Bueno na 20° posição e desta forma o piloto do carro #80 ficou com o título da temporada de 2015 com 242 pontos conquistados além de três vitórias e cinco poles.

Confira a classificação do GP de São Paulo da Stock Car:

1-) 51 Átila Abreu (AMG Motorsport) – 23 voltas em 42min28s345 (média de 140,2 km/h)
2-) 70 Diego Nunes (Vogel Motorsport) – a 2s527
3-) 88 Felipe Fraga (Voxx Racing Team) – a 4s451
4-) 83 Gabriel Casagrande (Axalta C2 Team) – a 7s209
5-) 46 Vitor Genz (Boettger Competições) – a 7s521
6-) 5 Denis Navarro (Vogel Motorsport) – a 8s954
7-) 21 Thiago Camilo (Ipiranga-RCM) – a 11s400
8 -) 10 Ricardo Zonta (Shell Racing) – a 15s460
9-) 11 Cesar Ramos (Total Racing) – a 23s677
10-) 28 Galid Osman (Ipiranga-RCM) – a 24s808
11-) 14 Luciano Burti (RZ Motorsport) – a 25s398
12-) 63 Nestor Girolami (Schin Racing Team) – a 31s881
13-) 26 Raphael Abbate (Hot Car Competições) – a 38s596
14-) 74 Popó Bueno (Total Racing) – a 42s483
15-) 66 Felipe Guimarães (Boettger Competições) – a 44s136
16-) 1 Antonio Pizzonia (Prati-donaduzzi) – a 50s457
17-) 110 Felipe Lapenna (Schin Racing Team) – a 59s604
18-) 3 Bia Figueiredo (União Química Racing) – a 59s632
19-) 25 Tuka Rocha (União Química Racing) – a 59s682
20-) 0 Cacá Bueno (Red Bull Racing) – a 1min16s094
21-) 73 Sergio Jimenez (Axalta C2 Team) – a 4 Voltas
NÃO COMPLETARAM
22-) 80 Marcos Gomes (Voxx Racing Team) – a 7 Voltas
23-) 77 Valdeno Brito (Shell Racing) – a 14 Voltas
24-) 29 Daniel Serra (Red Bull Racing) – a 19 Voltas
25-) 90 Ricardo Mauricio (Eurofarma RC) – a 20 Voltas
26-) 4 Julio Campos (Prati-donaduzzi) – a 20 Voltas
27-) 100 Allam Khodair (Full Time Sports) – a 22 Voltas
28-) 65 Max Wilson (Eurofarma RC) – a 22 Voltas
29-) 42 Constantino Jr (AMG Motorsport) – a 23 voltas
30-) 69 Beto Monteiro (Hot Car Competições) – a 23 voltas
31-) 8 Rafael Suzuki (RZ Motorsport) – a 23 voltas
32-) 111 Rubens Barrichello (Full Time Sports) – a 23 voltas
EXC-) 9 Gustavo Lima (ProGP) – por atitude anti-desportiva

Campeonato

Marcos Gomes conquistou o seu primeiro título da categoria ao somar 242 pontos e entra para o seleto grupos de campeões da categoria, mas vale lembrar que Cacá Bueno conta com cinco títulos de campeão. Confira a classificação final da Stock Car 2015:

Foto: stockcar.com.br

Foto: stockcar.com.br

1° Marcos Gomes 242 pontos

2° Cacá Bueno 210 pontos

3° Thiago Camilo 193 pontos

4° Rubens Barrichello 188 pontos

5° Allam Khodair 184 pontos

6° Daniel Serra 181 pontos

7° Ricardo Mauricio 172 pontos

8° Max Wilson 162 pontos

9° Felipe Fraga 159 pontos

10° Átila Abreu 155 pontos

A temporada de 2016 da Stock Car volta as pistas no dia de 6 de março com a Corrida de Duplas em Curitiba, no Paraná.

Curta: http://www.facebook.com/templodosesportes

por: Matheus Furlan

Chuva da as caras em Interlagos. Brito é pole, Bueno e Gomes largam no final do grid

Foto: stockcar.com.br

Foto: stockcar.com.br

A Stock Car está em São Paulo para a sua última etapa da temporada de 2015 e para os amantes do automobilismo, a decisão começou em grande estilo.

Na formação do grid de largada os primeiros grupos foram sob pista seca e anotaram os seus tempos de forma segura, sendo que Valdeno Brito atingiu  marca de  1min38s992. Mas conforme os minutos foram se passando a chuva foi chegando e chegando e ai tudo mudou.

Os grupos finais que eram compostos pelos pilotos mais rápidos do final de semana acabou se dando mal. Com água na pista o rendimento ficou longe do de Brito e desta forma Cacá Bueno vai largar do 26° e Marcos Gomes do 27° posto, e que ninguém se engane, Mauricio, Camilo, Campos, Barrichello, Khodair, Serra e Wilson estão no mesmo barco, todos de 25° para trás. Muito trabalho para essa galera.

Confira o grid de largada em São Paulo:

1-) 77 Valdeno Brito (Shell Racing) – 1min38s992
2-) 51 Átila Abreu (AMG Motorsport) – a 0s147
3-) 73 Sergio Jimenez (Axalta C2 Team) – a 0s411
4-) 70 Diego Nunes (Vogel Motorsport) – a 0s467
5-) 88 Felipe Fraga (Voxx Racing Team) – a 0s684
6-) 46 Vitor Genz (Boettger Competições) – a 0s685
7-) 14 Luciano Burti (RZ Motorsport) – a 0s754
8 -) 83 Gabriel Casagrande (Axalta C2 Team) – a 0s811
9-) 5 Denis Navarro (Vogel Motorsport) – a 0s842
10-) 11 Cesar Ramos (Total Racing) – a 1s049
11-) 10 Ricardo Zonta (Shell Racing) – a 1s053
12-) 28 Galid Osman (Ipiranga-RCM) – a 1s074
13-) 110 Felipe Lapenna (Schin Racing Team) – a 1s292
14-) 1 Antonio Pizzonia (Prati-donaduzzi) – a 1s340
15-) 74 Popó Bueno (Total Racing) – a 1s488
16-) 26 Raphael Abbate (Hot Car Competições) – a 1s543
17-) 63 Nestor Girolami (Schin Racing Team) – a 1s569
18-) 42 Constantino Jr (AMG Motorsport) – a 1s729
19-) 66 Felipe Guimarães (Boettger Competições) – a 1s737
20-) 69 Beto Monteiro (Hot Car Competições) – a 1s763
21-) 25 Tuka Rocha (União Química Racing) – a 1s798
22-) 8 Rafael Suzuki (RZ Motorsport) – a 1s830
23-) 3 Bia Figueiredo (União Química Racing) – a 2s053
24-) 9 Gustavo Lima (ProGP) – a 2s556
25-) 111 Rubens Barrichello (Full Time Sports) – a 8s616
26-) 0 Cacá Bueno (Red Bull Racing) – a 8s852
27-) 80 Marcos Gomes (Voxx Racing Team) -a 9s040
28-) 100 Allam Khodair (Full Time Sports) – a 9s635
29-) 29 Daniel Serra (Red Bull Racing) – a 9s669
30-) 90 Ricardo Mauricio (Eurofarma RC) – a 9s921
31-) 21 Thiago Camilo (Ipiranga-RCM) – a 10s743
32-) 65 Max Wilson (Eurofarma RC) – a 10s976
33-) 4 Júlio Campos (Prati-donaduzzi) – a 11s637

A decisão do título está entre Cacá Bueno que soma 210 pontos e Marcos Gomes que soma 242 pontos. A matemática do título é a seguinte: Para Bueno ficar com o título ele tem que vencer  e torcer para Gomes ficar de 13° para trás. Caso Gomes abandone a disputa, Bueno que completar a corrida no máximo em quarto lugar e com os dois largando no final do grid tudo pode acontecer.

A largada para a disputa em São Paulo está marcada para às 10 horas  da manhã, horário de Brasília.

Curta: http://www.facebook.com/templodosesportes

por: Matheus Furlan

Leandro Totti é tricampeão da Fórmula Truck

Foto: facebook.com/rmftruck

Foto: facebook.com/rmftruck

A Fórmula Trcuk esteve em Londrina para a decisão do título da temporada 2015. Após marcar a pole position Giaffone teve muito trabalho para segurar Salustiano nas primeiras voltas no circuito paranaense, ainda mais se contarmos com a pista extremamente molhada.

Após poucas voltas Salustiano colocou lado a lado com Giaffone e fez valer a sua força e habilidade e conquistou a primeira posição, logo atrás deles uma bela disputa entre Pachenki e Totti e o segundo acabou por assumiu a terceira posição. Neste momento, Totti que já entrou com 10 pontos de vantagem sobre os adversários sagrava-se campeão da temporada.

Salustiano disparou na ponta, Giaffone passou a sofrer forte pressão de Totti e Pachenki que vinha em parto começou a defender a sua posição de Muffato.

Faltando 40 minutos para o término da prova, Totti se aproveitou da freada do radar e conseguiu a ultrapassagem sobre Giaffone, assumindo a segunda posição. Na metade do pelotão Jardim se aproveitou bem do final da reta e deixou Marques para trás na busca pelo sexto lugar.

Poucos minutos mais a frente, Totti exagerou na dose e acabou perdendo o traçado e caindo para o terceiro posto, mas a alegria de Giaffone durou pouco e poucas curvas a frente Totti voltou a ultrapassa-lo e assumir o segundo lugar cerca de oito segundo atrás de Salustiano.

E na metade da prova veio a bandeira amarela programada com Salustiano em 1°, Totti em 2°, Giaffone em 3°, Pachenki em 4° e Muffato em 5° lugar. Confira a classificação na bandeira quadriculada programada:

1º) 55 – Paulo Salustiano (Mercedes, PE), 12 voltas em 27:04.7996 (média de 63.9 kmh)
 2º) 73 – Leandro Totti (Volkswagen , PR), a 9.0510
 3º)   4 – Felipe Giaffone (Volkswagen , PR), a 10.2460
 4º) 80 – Diogo Pachenki (Mercedes , PR), a 11.4108
 5º) 35 – David Muffato (Scania , PR), a 14.4749
6º)   8 – Adalberto Jardim (Volkswagen , PE), a 20.4272
7º)   7 – Débora Rodrigues (Volkswagen , PR), a 29.0195
8º) 77 – André Marques (MAN , PR), a 29.5686
9º) 72 – Djalma Fogaça (Ford , PE), a 32.0974
10º) 15 – Roberval Andrade (Scania , PE), a 40.1218
11º)   6 – Wellington Cirino (Mercedes , PR), a 48.0593
12º) 20 – Pedro Muffato (Scania , PR), a 55.8678
13º) 515 – Raijan Mascarello (Ford , MT), a 56.6511
14º) 83 – Regis Boessio (Volvo , RS), a 57.6170
15º) 25 – Jaidson Zini (Iveco , PR), a 58.7570
16º) 30 – Rogerio Castro (Mercedes , GO), a 1:16.2829
17º) 333 – Alex Fabiano (Volvo , SP), a 1:32.1232
18º) 88 – Beto Monteiro (Iveco , PE), a 1:45.3680
19º) 28 – Fabiano Brito (Scania , PR), a 2 voltas

Foto: formulatruck.com.br

Foto: formulatruck.com.br

Na relargada Salustiano se mandou, Totti se sustentou por uma volta e acabou ultrapassado por Giaffone. Pachenki seguia em quarto e Muffato em quinto.  Faltando cerca de 21  minutos, Beto Monteiro e seu Iveco acabaram por bater e nas primeiras posições todos juntos com muita pressão de Giaffone sobre Salustiano.

Por diversos minutos a corrida seguiu na mesma tocada com Salustiano se defendendo de Giaffone e Totti apenas de olho em tudo isso. Na parte intermediária do pelotão, Marques, Rodrigues e Cirino se enroscaram e acabaram por rodar, mas nada que preocupasse e a disputa seguiu firme e forte pela ponta.

Faltando seis minutos de prova o pace truck, caminhão de segurança entrou na pista devido a óleo no traçado e com isso a corrida entrou em bandeira amarela, mesmo assim André Marques perdeu o ponto certo do traçado bateu na barreira de pneus e capotou o seu pesado #77.

E o final da corrida em Londrina aconteceu sob bandeira amarela e a vitória de Paulo Salustiano, com Giaffone em 2°, Totti em 3°, Pachenki em 4° e Muffato em 5° lugar.

Confira a classificação final do GP de Londrina:

1º) 55 – Paulo Salustiano (Mercedes, PE), 12 voltas em 25:04.6144 (média de 89.6 kmh)
 2º)   4 – Felipe Giaffone (Volkswagen , PR), a 3.9048
 3º) 73 – Leandro Totti (Volkswagen , PR), a 5.3266
 4º) 80 – Diogo Pachenki (Mercedes , PR), a 9.8974
 5º) 35 – David Muffato (Scania , PR), a 11.0793
6º)   6 – Wellington Cirino (Mercedes , PR), a 12.0182
7º)   7 – Débora Rodrigues (Volkswagen , PR), a 12.5875
8º) 20 – Pedro Muffato (Scania , PR), a 13.1568
9º) 25 – Jaidson Zini (Iveco , PR), a 15.6145
10º) 15 – Roberval Andrade (Scania , PE), a 16.1961
11º) 515 – Raijan Mascarello (Ford , MT), a 19.3303
12º) 30 – Rogerio Castro (Mercedes , GO), a 20.0751
13º) 83 – Regis Boessio (Volvo , RS), a 22.7755
14º)   8 – Adalberto Jardim (Volkswagen , PE), a 2 voltas
15º) 77 – André Marques (MAN , PR), a 2 voltas
16º) 72 – Djalma Fogaça (Ford , PE), a 4 voltas
17º) 333 – Alex Fabiano (Volvo , SP), a 6 voltas
18º) 28 – Fabiano Brito (Scania , PR), a 10 voltas

Desta forma o título da temporada ficou com Leandro Totti #73, piloto da casa de Londrina que conquista o bicampeonato consecutivo na categoria, o terceiro na carreira com 369 pontos conquistados.

Classificação do campeonato

1° Leandro Totti 369 pontos CAMPEÃO

Paulo Salustiano 367 pontos

Felipe Giaffone 360 pontos

Diogo Pachenki 273 pontos

Djalma Fogaça 269 pontos

André Marques 268 pontos

“O Marvado”, como é conhecido Totti chega ao seu terceiro título na categoria, sendo que o primeiro foi em 2012 de Mercedes Benz e o segundo título vem na  temporada de 2014 ja com o caminhão da Volkswagem.

A categoria teve mais uma grande temporada com muitas disputas e emoções com certeza os amantes da velocidade já estão ansiosos para a temporada de 2016.

Parabéns a Leandro Totti e a Volkswagen por mais um título no automobilismo nacional,

Curta: http://www.facebook.com/templodosesportes

por: Matheus Furlan

Toro Rosso vai de Ferrari em 2016

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

Na última quinta feira, 3, a Renault confirmou a aquisição da Lotus (clique aqui) para possuir uma equipe de fábrica em 2016, na sexta feira, 4, pela manhã, a Red Bull confirmou que terá motores Renault mas batizados de TAG Heuer (clique aqui) na temporada do ano que vem, na parte da tarde do mesmo dia foi a vez da Toro Rosso decidir o seu futuro na categoria.

A irmã da RBR deixou os motores Renault e passará, ou melhor, voltará a utilziar os motores Ferrari em 2016. A STR já utilizou propulsores Ferrari entre as temporadas de 2007 e 2013.

Mas tem um pequeno detalhe, a equipe vai andar com os motores italianos de 2015, ou seja, já defasados com relação aos adversários. De acordo com a publicação “Autosport”, o acordo já estava pronto antes mesmo do GP de Abu Dhabi, mas só foi devidamente anunciado após a FIA conceder uma permissão especial para que a Ferrari pudesse fornecer motores de 2015 para a Toro Rosso em 2016, uma vez que tal fato não poderia mais acontecer de acordo com o regulamento.

Com a jovem dupla Max Verstappen e Carlos Sainz Jr., a Toro Rosso terá muito trabalho no desenvolvimento deste motor para não andar na parte de trás do pelotão em 2016.

Curta: http://www.facebook.com/templodosesportes

por: Matheus Furlan

Red Bull vai da TAG Heuer em 2016

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

A Red Bull Racing tem o seu motor para a temporada de 2016 da F1. Trata-se do motor Renault, o mesmo que a equipe reclamou durante toda a temporada.

Acontece que a equipe tem contrato e com as negativas da Mercedes, Ferrari e Honda, a equipe teve que se virar com o que tinha. Mas nem tudo será conduzido pela montadora que na última quinta feira, 3, anunciou a aquisição da Lotus. Os motores serão produzidos pela Renault, preparados pelos britânicos da Ilmor e serão chamados de TAG-Heuer.

A empresa que fabrica relógios era parceira da McLaren de loga data, mas agora estará ao lado da RBR e além de batizar os novos motores, também estará com sua marca estampada no nome do novo carro que será o  Red Bull Racing-Tag Heuer RB12.

Com Daniel Ricciardo e Daniil Kvyat ao comando dos modelos, a equipe austríaca que a todo custo voltar a vencer, e agora vamos ver uma batalha interessante em 2016. A equipe de fábrica da Renault com motores de fábrica e a RBR com motores franceses mais preparados por outra empresa. Quem vai se dar melhor?

Curta: http://www.facebook.com/templodosesportes

por: Matheus Furlan

Giaffone é pole em Londrina

Foto: formulatruck.com.br

Foto: formulatruck.com.br

A Fórmula Trcuk chegou a sua última etapa da temporada de  2015 em Londrina, no Paraná e Felipe Giaffone #4 marcou a pole position, a sua sexta na temporada ao marcar o tempo de 1min35s593, Paulo Salustiano ficou em segundo, Diogo Pachenki em terceiro e Leandro Totti na quarta posição.

Confira o grid de largada:

1º) Felipe Giaffone (Volkswagen Constellation-MAN), RM Competições, 1min35s5930, média de 118,4 km/h
2º) Paulo Salustiano (Mercedes-Benz), ABF/Mercedes-Benz, 1min35s8337
3º) Diogo Pachenki (Mercedes-Benz), Copacol Racing Truck, 1min36s3941
4º) Leandro Totti (Volkswagen Constellation-MAN), RM Competições, 1min36s6763
5º) André Marques (MAN TGX), RM Competições, 1min36s8416
6º) Roberval Andrade (Scania), Corinthians Motorsport, 1min36s8846
7º) David Muffato (Scania), Muffatão Racing, 1min37s1083
8º) Wellington Cirino (Mercedes-Benz), ABF/Mercedes-Benz, 1min37s6344
9º) Adalberto Jardim (Volkswagen Constellation-MAN), RM Competições, 1min37s8356
10º) Rogério Castro (Mercedes-Benz), ABF Racing Team, 1min38s5105
11º) Débora Rodrigues (Volkswagen Constellation – MAN), RM Competições, 1min37s7960
12º) Régis Boessio (Volvo), Boessio Competições, 1min38s2750
13º) Djalma Fogaça (Ford), DF Racing Fans, 1min38s6013
14º) Jaidson Zini (Iveco), Dakar Motorsport, 1min38s7490
15º) Pedro Muffato (Scania), Muffatão Racing, 1min39s2774
16º) Raijan Mascarello (Ford), DF Racing Fans, 1min39s5907
17º) Alex Fabiano (Volvo), Clay Truck Racing, 1min39s6748
18º) Beto Monteiro (Iveco), Lucar Motorsports, 1min41s5145
19º) Fabiano Brito (Scania) Max Power Racing Team, 2min02s0049

Disputa do título

Para a disputa do título deste final de semana, Totti leva vantagem com 327 pontos, Salustiano e Giaffone somam 317, já computando o ponto de bonificação à Giaffone pela pole position.

A promessa de muita disputa em Londrina que tem largada prevista para às 13:15 da tarde, horário de Brasília.

Curta: http://www.facebook.com/templodosesportes

por: Matheus Furlan