UM DIA INIMAGINÁVEL

lusa-rebaixada

Foto: Reprodução TV / Esporte Interativo

Talvez você já tenha reparado que quando escrevo, muitas vezes uso Nós e não Eu. Isto porque sempre encarei este espaço me dado, como um privilégio que muitos outros tem vontade de ter para, as vezes opinar e em outras, esbravejar mesmo. Os das nossas raízes estão acostumados com palavras de baixo calão colocadas para fora como um vômito das angustias. Não pense que não tenho vontade de digita-las neste instante.

Por outro lado, perdão se meu sentimento é diferente do seu, mas eu me sinto mais refém dos comandantes do clube, do que culpado. E isto diminui minha tristeza. Estou muito mais consternado, algemado, refém, como disse à pouco, do que revoltado e triste.

É por isso que hoje escrevo baseado no Eu e não no Nós.

Triste fiquei, quando a Lusa perdeu o Brasileiro de 1996 por questão de regulamento. Triste saí do Morumbi na final de 1980, 1985, em 1998 quando o Castrilli nos degolou, sem dó. Triste saí do Canindé quando perdemos do Cruzeiro na semifinal de 1998. Como foi doída aquela derrota para o Bahia em Mogi, quando caímos para Serie B pela primeira vez. Triste e extremamente preocupante foi no ano passado, perder para o Vila Nova. Foram tristezas no âmago.

Hoje? Hoje eu fui refém. Me permite usar Nós fomos reféns?

Era revoltante e de tristeza profunda, sermos garfados no passado. Foi revoltante os tempos de Habillity no comando do futebol, da primeira vez que caímos para Série B. Gestões horrorosas que levaram a Lusa ladeira abaixo, isso, sem citar as lambanças.

Porque lambanças sempre existiram. O problema é que antes da Lei Pelé, o dinheiro entrava e os erros eram encobertos. Eu não esqueço que na final do primeiro turno com o Santos em 1980, venderam o Enéas na semana da final, ele não jogou e perdemos. Que tal um seguro para que ele jogasse aqueles dois jogos? O mesmo seguro que o Eurico Miranda fez “de boca” pelo Dener e claro, nossa diretoria acreditou no fio do bigode do dirigente vascaíno, até que se precisou dele e não existia.

Assim, somos reféns do amadorismo administrativo faz tempo. Amadorismo que nos levou hoje para a Serie D.

Algumas situações e frases me vem a mente, como a atribuída ao Dr. Oswaldo Teixeira Duarte de que quando a Portuguesa fosse administrada pelos portugueses que moram do outro lado do rio, ela acabaria.

A campanha pífia se consumou hoje, onde o resultado entre Macaé e Botafogo RP servia pra nós. Logo, perdemos para nós mesmos.

Fica evidente que os interesses internos são diferentes dos interesses do alambrado. E como fico no alambrado, o que fazer? Na Lusa, a frase que diz que o torcedor faz a diferença não se cumpre. Os torcedores da Portuguesa se tornaram reféns.

Quanto vale e como será pago esse resgate? Se é que será?

Lembrando que já torci para um clube que calou os maiores estádios do país. Vide, duas vezes por exemplo, o Mineirão em 1996 e eu assisto um jogo em Tombos, onde a placa levantada para a substituição dos jogadores são duas pranchetas de madeira, com os números dos atletas em folha de sulfite, só não sei se impressos ou escritos com pincel atômico, que vou dizer? É o fundo do poço, senão o fim, como apregoam alguns.

Sabe-se que clubes como o Santa Cruz já estiveram na Série D. Mas com as dívidas que a Lusa tem? Sem dúvida que não.

Portugueses são muito religiosos e a religião predominante da colônia ensina sobre a Paixão de Cristo. São etapas entre seu julgamento e o caminho da morte. Com a devida diferença de importância, o torcedor da Lusa é quem sofreu estas etapas e foi crucificado pelo comando do clube na própria Cruz de Avis.

Por Ricardo Veras para o site Jogo em Pauta (www.jogoempauta.com)

Anúncios

APOCALIPSE LUSITANO

lusa

Foto: Ricardo Veras/Jogo em Pauta

Antigamente, na volta para casa, após um jogo, brincava com quem estivesse comigo, fracionando o preço do ingresso pelo número de gols e emoções que a partida havia nos proporcionaram. Há um bom tempo não consigo fazer essa brincadeira e pior que isso, hoje, ao ouvir o vendedor de capa de chuva pedindo cinco reais nela, comprar um Pastel de Santa Clara pelos mesmos cinco reais e lembrar que a meia entrada da minha mãe teve o mesmo custo, cheguei a conclusão que esta mais fácil desenvolver um artigo falando da cor, aroma, temperatura e sabor do pastel, do que sobre o jogo do mesmo custo, porém sem o mesmo benefício.

O fato é que futebol de cinco reais, já é um futebol falido, pois nem o guardador de carro está aceitando esse valor e triste, triste mesmo, é ver que a produção do time não vale mais que isso.

Não quero ofender os profissionais envolvidos com a frase acima, mas expressar o quão fundo do poço, sem escada nem corda, o torcedor da Portuguesa vê a situação atual e futura do seu clube, se é que existe.

Sei que potências mundiais tiveram seu tempo e ruíram, como Babilônia, Egito e Roma, por exemplo. Sei de famílias nobres que faliram e de clubes que fecharam. Mas a Lusa, por mais que se enquadre em clube de colônia, com todos as barreiras que isso sempre gerou, é Vice´Campeã Brasileira, com endereço numa cidade de cerca de 20 milhões de habitantes. Será que uma boa administração não angariaria 5% destes habitantes para sua torcida?

Lemos ontem na internet que a Lusa é a 22ª marca esportiva no futebol brasileiro. Note que na divisão de séries, o time esta jogando na turma entre 41 e 60. Esse tipo de leitura dos fatos só me faz carimbar em uma palavra, as administrações nebulosas que transitam pelo Canindé há anos: Incompetentes.

Isto antes de citar o que passa na cabeça de todos nós, incompetência direcionada.

Perceberam que não falei da partida. Para que? Por que falar? O fato é que estamos há duas rodadas do fim do campeonato, quatro pontos atrás da luta pela sobrevivência na Serie C.

É uma UTI, com direito a extrema unção, totalmente cegados quanto ao futuro.
Uma torcia órfã, onde, como numa UTI, os poucos mais íntimos visitam, com outros íntimos, sem coragem da visita, e eu os entendo.

Por Ricardo Veras para o site Jogo em Pauta (www.jogoempauta.com)

Um jogo de verdade

Imagem: superpesps.blogspot.com

Imagem: superpesps.blogspot.com

Parece brincadeira a escolha deste título pra matéria. Chega a ser triste, irônico, sarcástico. Mas é assim que me sinto ao ver na tabela da Copa do Brasil de 2016, anotado para 11 de maio, o jogo Portuguesa X Vitória. Dois vice campeões brasileiros. Dois rivais de longa data. Dois times tradicionais do futebol brasileiro.
Um jogo de verdade para torcedores que estiveram em grandes estádios, com casa cheia vibrando pela gloriosa Portuguesa de Desportos. Sim, íamos pro estádio olhando no olho  do adversário. Imponentes, rivais, de igual pra igual.
Hoje, nesta “xepa/fim de feira” futebolística que a Lusa vive, convido a todos para prestigiar uma partida com um adversário que nos remete à algum sabor de rivalidade. Este foi meu intuito ao escrever sobre o assunto. Saudade do tempo em que olhava as tabelas no início dos campeonatos e fazia prognósticos e suposições sobre a campanha que poderíamos fazer.
Vivemos tempos em que jogar em casa não significa vantagem. Vivemos tempos de “ao Deus dará”. Vivemos tempos de entrar no Canindé por um vício adquirido, de gente que foi aliciada décadas atrás, com um cérebro meio atordoado num “o que aconteceu”, embora saibamos o que aconteceu.
Somos a família rica falida que continua gostando do bom e do melhor, mesmo comendo pão com manteiga. Vamos para o jogo com uma mania teimosa de pensar “quem sabe é hoje que as coisas dão certo”.
Então, que deem certo neste Portuguesa X Vitória, pois sempre tem um gostinho especial vencer uma camisa de rivalidade maior.
Por Ricardo Veras para o site Jogo em Pauta (www.jogoempauta.com)

Habemus Presidente

Imagem: superpesps.blogspot.com

Imagem: superpesps.blogspot.com

Sim, após mais de um mês sem presidente, na última quinta-feria (28/4/2016), José Luiz Ferreira de Almeida foi empossado como o novo presidente da Associação Portuguesa de Desportos até o final do ano.
A maneira como chega ao cargo, mostra bem como andam as coisas no clube. Mesmo sendo candidato único, pois a situação do clube inibe se “dar a cara a tapa” para ocupar o cargo, tentaram impugnar sua candidatura. Uma oposição sem candidato.
Meu espaço no Jogo em Pauta me permite falar destes assuntos, mas desde o início fui convidado para mostrar como se sente o torcedor. Por isso, enfoco e enfocarei sempre neste sentimento.
Um sentimento de órfão que temos por tudo que vive a Portuguesa nos últimos anos.
O histórico recente das saídas dos últimos três presidentes, Manoel da Lupa, tirado do cargo e Ilídio Lico e Jorge Manoel Gonçalves renunciando, mostra o quão grave é a situação do clube nos últimos anos e o quão em ebulição é a vida política interna.
O torcedor é o povo desta situação, se sentindo como na fila do SUS, ao ver desmandos, divisões e coisas vergonhosas escancaradas dentro de campo, com campanhas pífias e notícias vexatórias como a do jogador Renan que foi na arquibancada do Morumbi torcer por outro clube.
O fato é que ao menos temos um novo piloto neste avião desgovernado, o que sempre gera uma expectativa quanto aos dias futuros.
Que suas palavras com respeito a ter uma linha a seguir realmente se mostrem verdadeiras. Ninguém esta aqui para torcer contra. Muito pelo contrário, que o futuro da Lusa seja promissor, mesmo que o passo não seja na velocidade que a alma do torcedor deseje, mas que se perceba e se tornem reais os passos firmes nesta marcha que leve a Lusa novamente a figurar na elite do futebol brasileiro.
Por Ricardo Veras via site Jogo em Pauta (www.jogoempauta.com)

Tianjin Quanjian encerra pré-temporada do Brasil

A equipe da segunda divisão do futebol chinês, Tianjin Quanjian, encerrou nesta terça feira, 2, sua pré-temporada no Brasil. A equipe que é comandada por Vanderlei Luxemburgo chegou no inicio do mês de janeiro e ganhou status após comprar o meia Jadson do Corinthians e contratar o atacante Luis Fabiano que estava no São Paulo. A equipe não parou por ai e ainda entrou em acordo com o Santos e acertou com o jovem Geuvânio.

Foto: Matheus Furlan

Foto: Matheus Furlan

Os chineses estão com um projeto audacioso e querem chegar a primeira divisão do futebol local logo na primeira temporada e para esse projeto o professor Luxa vem trabalhando bastante. O Tianjin realizou cinco partidas em solo nacional e foi derrotado em todas (2 x 1 para o XV de Piracicaba, 4 x 0 para o Bragantino, 4 x 2 para o Taubaté, 5 x 1 para o Vitória-BA e 1 x o para a Portuguesa), sofreu 16 gols e marcou quatro, mas para o meia Jadson os resultados foram o que menos importaram na pré-temporada, mas reconhece que o treinador tem muito trabalho pela frente. “A equipe tem muito a crescer ainda. O Vanderlei terá que fazer um trabalho muito forte  na China onde o pessoal tem uma mentalidade diferente da que tem aqui no Brasil, mas  a equipe cresceu bastante de produção apesar das derrotas, o o professor falou para todos que estava contente com a evolução da equipe na parte tática e nos estamos aqui para ajudar os chineses e conseguir os abjetivos que é subir para a primeira divisão”.

No campo do Canindé, o Tianjin Quanjian acabou derrotado pela Portuguesa por 1 x 0, gol do meia Caio aos 9 minutos da segunda etapa e o técnico da Lusa, Estevão Soares também falou sobre  a montagem da equipe chinesa, que conversou co Luxemburgo e afirmou que o treinador está correto em pensar na montagem da equipe e não diretamente nos resultados, “Eu conversei com o Vanderlei Luxemburgo antes do jogo e após o jogo também, e a filosofia, o pensamento dele é esse e não poderia ser diferente, nós não poderíamos esperar que uma equipe que esta sendo formada agora mesmo contado com três brasileiros, o Jadson, Luis Fabiano e Geuvânio tivesse uma performance de primeira time. Então  é como ele falou, primeiro e montar, adaptar os atletas que foram para lá, existe um ensinamento, um aperfeiçoamento de um trabalho que esta sendo feito com os jogadores chineses e eu não tenho duvido que com maestria do Vanderlei , do Felipão e com o investimento que vem sendo feito pelas empresas estatais e pelo governo chinês, no máximo em 10, 12, 15 anos, a China  esteja brigando de igual  para igual”.

O regulamento do campeonato chinês permite a contratação de três jogadores estrangeiros, ou seja, o Tianjin Quanjian já esta com a sua cota excedida com os brasileiros, mas existe um jogador camaronês na equipe, o zagueiro Kilama Jean de 30 anos, mas o atleta é naturalizado honconguês, aquele que nasce em Hong-Kong e como a mesma é uma província da China ele esta liberado para atuar na equipe sem problemas.

O Tianjin Quanjian viaja de volta para a China nesta quarta feira, 3, e terá um descanso de cinco dias em virtude do ano novo chinês que se inicia no dia 8 de fevereiro, o ano do Macaco de Fogo, logo após esse período, a equipe se reúne novamente e parte para mais 30 dias de pré-temporada na Coréia do Sul e deve estrear oficialmente no campeonato local no dia 12 de março.

Curta: http://www.facebook.com/templodosesportes

por: Matheus Furlan

Analogia Lusitana 2016

Foto: canelada.com.br

Foto: canelada.com.br

Todo torcedor, no primeiro momento de ‘cérebro livre’ das atividades diárias se depara pensando no seu clube de coração. Comigo não é diferente.Neste início de ano, avaliando as mudanças lidas ou ouvidas por mim,  sobre a nossa Lusa, me deparei com a analogia entre o que sonhamos pro final do ano e a construção de uma casa.
Todos que ja construíram uma casa ou tem esse sonho, ao olhar pra um terreno cheio de mato, já vislumbra a casa pronta, até mesmo habitada. Entretanto, é sabido de toda a tarefa até o final da construção.Muito trabalho é feito no início, que não será visto a olho nu quando a casa estiver pronta. Fazer a planta, limpar o terreno, fazer os alicerces com suas sapatas, encanamentos subterraneos. Depois sim, o primeiro tijolo ate´todo o processo que leva a fechadura do portão.
Nestes últimos meses, foi feito esse primeiro trabalho. A saída jogadores, fez parte de uma renovação. A manutenção do meio campo Renan foi a primeira notícia. Depois veio a renovação com o técnico Estevam Soares. Uma mini temporada de treinos antes mesmo das festas de fim de ano, o fechamento de contrato com uma nova fornecedora de material esportivo e nesse início de ano, no seu primeiro jogo treino a vitória por 7 x 1 sobre o São José.
Tudo isso é um trabalho, assim como na construção da casa, de alicerce, pois nosso primeiro tijolo será colocado em 31 de janeiro contra o Barretos.
A casa pronta, habitada e cheia de alegria?Bem, isto é o que vislumbramos ao poder dizer que a Lusa conseguiu os dois acessos sonhados por nós desde já.
Por Ricardo Veras para o site Jogo em Pauta (www.jogoempauta.com)

Lusa: 25 anos do 1º título da Copinha

Confesso que só fui perceber a importância e a comemoração deste título nesta semana, quando comentaram sobre o mesmo em uma emissora de rádio. De imediato a minha inspiração pra escrever sobre isto veio, afinal, consigo lembrar de alguns momentos daquela conquista, já que na época eu era apenas uma criança. Pedi até licença para o meu companheiro de Jogo em Pauta Ricardo Veras, especialista quando o assunto é Portuguesa.
f: Acervo da Bola

f: Acervo da Bola

1991, este foi o ano. Se hoje a Lusinha amarga uma fase triste, tentando retomar seus grandes momentos e almejando um lugar nas divisões mais altas do futebol, naqueles tempos a coisa era diferente. Agora falando especificamente daquela conquista, QUE CONQUISTA, com um time de dar inveja a qualquer equipe de base de hoje. Se anos mais tarde alguns dos destaques dessa equipe não vingaram para os grandes, nesta competição, juntos, eles voavam e impressionavam dentro de campo. Comandados pelo técnico Écio Pasca, a Lusa conquistou o primeiro de seus dois títulos com uma sonora goleada sobre o Grêmio na final, 4 a 0. Antes já tinha feito a maior goleada da competição nos 8 a 2 sobre o Sergipe, ainda na fase de grupos e também terminou a competição com o melhor ataque (32 gols em 9 jogos), o maior artilheiro (Sinval, 10 gols) e o melhor jogador, este sem parênteses: Dener.
Daquele time, saiu o termo “losango flutuante”, inventado pelo próprio treinador, que se inspirou no basquete para formá-lo. Dener flutuava pelo campo, sem ter a necessidade de marcar enquanto o ponta Tico, mais obediente e com maior conhecimento tático, marcava e quando podia, também flutuava. Sinval era o homem de referência na área adversária e Pereira completava o esquema. Os quatro subiram para o elenco principal da Lusa ainda naquele ano.
Além destes, podemos destacar o volante Roque, o marcador deste time que também fez sucesso na equipe principal da Lusa, o zagueiro Juarez, o xerife que foi promovido e depois fez a carreira em times médios da Itália e o meia Maninho, que também chegou ao elenco principal da Portuguesa e foi um dos envolvidos na história mais curiosa desta conquista.
A goleada na final contra o Grêmio realmente foi histórica, mas a maioria dos jogadores daquele elenco destacam uma outra partida daquela campanha: o duelo contra o São Paulo, na última rodada da 1ª fase.
Jogo contra o tricolor, no Pacaembu, valendo a primeiro lugar no grupo. Dener, endiabrado como sempre, pedalava, dava chapéu e canetas, mas o gol não saía. Fim do primeiro tempo, 0 a 0 no placar. Durante o intervalo, Maninho, que também se destaca pela liderança, resolveu cobrar o craque pelas firulas e pouca objetividade. Os dois discutiram e chegaram até a trocar alguns socos. Clima tenso, jogadores separando os dois e o técnico Écio só de olho, em silêncio. 10 minutos depois, no vestiário o próprio resolveu acabar com aquele ambiente fúnebre, levantou, mandou os dois envolvidos também ficarem em pé e falou: “Agora ninguém vai separar vocês. Se vocês quiserem se pegar, podem se pegar. Maninho eu preciso de você 100% no meio de campo, correndo. E Dener eu também preciso de você 100% no ataque, fazendo gols. Se vocês forem brigar a nossa história acaba aqui. Agora se vocês se abraçarem, a gente vai ganhar o jogo e ninguém vai nos parar” relembrou Maninho. O discurso atingiu ambos, que emocionados, se abraçaram e choraram.
Associacaoportuguesadesportos.blogspot.com

Associacaoportuguesadesportos.blogspot.com

Reinício de jogo e quase tudo diferente. Seriedade em campo e Dener continuava inspirado. Ao fazer o primeiro gol, Dener corre na direção de Maninho e o abraça, tudo resolvido. Ainda teve tempo pro segundo gol, 2 a 0 no tricolorzinho.
Para Tico aquele dia também foi especial, mas por outro motivo: era seu aniversário. Melhor amigo de Dener naquela época, o jogador chegou em casa e foi recebido com uma festa surpresa, organizada pela família e pelo grande parceiro de clube: “A nossa amizade era muito forte”, contou Tico.
Na final, um jogo histórico. O Grêmio tinha entre outros nomes, Danrlei e Carlos Miguel, jogadores que depois se destacaram no profissional. Mas não tinha como comparar, o título daquele ano tinha que ser da Lusinha. Sim, era um jogo entre categorias de base, mas a comparação lembra e muito aquele Barcelona x Santos na final do Mundial de 2011, tanto pelo placar quanto pela disparidade na qualidade e no volume de jogo apresentado por cada equipe. A Lusa fez 4 a 0 no Grêmio, mas ficou barato, cabia mais. Tico, Pereira, Sinval e Dener foram os autores dos gols.
Depois da conquista, sete jogadores foram promovidos para o elenco principal, mas poucos se destacaram. Tico, Sinval e Roque foram os mais “famosos”. Dener, que merece um artigo a parte, foi mais promissor de todos!
25 anos da conquista, 25 anos de uma das maiores equipes já formadas na Copinha. Portuguesa de 1991, campeã da Copa SP de Juniores, a base que todo time queria ter.
CAMPANHA – COPA SP 1991
05.01.1991 – Portuguesa 2-1 América-RJ (primeira fase)
08.01.1991 – Portuguesa 5-1 Flamengo-RO (primeira fase)
12.01.1991 – Portuguesa 8-2 Sergipe (primeira fase)
14.01.1991 – Portuguesa 2-0 São Paulo (primeira fase)
17.01.1991 – Portuguesa 3-0 Santo André (segunda fase)
19.01.1991 – Portuguesa 3-1 São Bernardo (segunda fase)
21.01.1991 – Portuguesa 2-1 Bahia (segunda fase)
24.01.1991 – Portuguesa 3-1 Goiás (semifinal)
26.01.1991 – Portuguesa 4-0 Grêmio (final), Pacaembu

Por: Guilherme Galdino publicado no site Jogo em Pauta (www.jogoempauta.com)

Em breve, reviverão esse clássico no Paulistão!

 – Portuguesa 1 x 0 Guarani  12/7/2015
f: Jornalheiros_blogspot

f: Jornalheiros_blogspot

Um jogo de abnegados. Falo dos torcedores, cerca de 100 bugrinos e 1400 lusos que em números exatos, conforme ficha do jogo totalizaram 1587 pessoas presentes.
Chamo de abnegados, porque durante a partida me veio a mente a história das duas agremiações e que a soma de lugares dos dois estádios beira os 70 mil lugares. Não sei se o Guarani já lotou o Brinco de Ouro só com sua torcida. A Lusa já lotou o Canindé.
Pois bem, estes 1587 viram uma vitória da Lusa construída aos 37 minutos do primeiro tempo através de Hugo, após receber um cruzamento rasteiro, digamos, açucarado, vindo da ponta direita.
O jogo começou com a Lusa tomando iniciativa, como é comum ao time da casa. Com o tempo, o Guarani ensaiou se soltar, mas com o golpe do gol, a nossa Lusa retomou o comando do jogo, perdendo gols e fazendo um que foi anulado. Uma bola cruzada da esquerda para o segundo pau, onde o atacante luso cabeceia pro centro da área e Milton Jr definiu. Se estava mesmo impedido o ataque luso na hora do cruzamento, não sei. Quem vos escreve é daqueles que vê o jogo atrás do gol, no máximo, na lateral do campo onde está o ataque luso, atras do Sardinha ( Sr. Leonardo), que é nosso homem do “serviço sujo” de tirar a paciência do bandeirinha. Assim, não posso opinar sobre o erro do bandeira.
A Portuguesa teve o comando da partida, mas faltava o segundo gol pra acalmar corações. A coisa estava se desenhando bem. Como disse na coluna sobre a troca de treinadores, time dirigido pelo Estevam Soares costuma trocar bem a bola, mas o detalhe final, esbarrou na trave e no goleiro bugrino. Alias, goleiro que nos defendeu, falhando muito o ano passado.
Daí veio a expulsão boba de Renan e tivemos aquele sufoco até o fim. Tenho vontade de bater em corinthiano que diz que eles são sofredores. Eles não sabem de nada.
Apito final dado, após eternos 5 minutos de acréscimo, saímos satisfeitos. Só não entendi o goleiro Rafael, que hostilizado, como é comum e até engraçado, faz parte do futebol, rir ironicamente fazendo sinal de negativo pra torcida lusa enquanto se dirigia aos vestiários.
Rafael, antigamente eu não tinha espaço, mas já que hoje tenho, respondo ao teu sinal de negativo pra nós: Tá positiva pra caramba a tua carreira, pra você fazer sinal negativo pra nós, né?
Por: Ricardo Veras

Com dois gols de Malcon, Timão vence Lusa e garante na próxima fase do Paulistão 2015

Foto: © Daniel Augusto Jr / Agência Corinthians / corinthians.com.br

Foto: © Daniel Augusto Jr / Agência Corinthians / corinthians.com.br

O Corinthians esta passando pela semana mais conturbada possível, depois de vencer o Capivariano no último domingo por 3 x 2 fora de casa, o Timão voltou a campo nesta terça feira, 24, para realizar uma partida atrasada da quarta rodada do Paulistão 2015 diante da Portuguesa.

Na ocasião o clube do Parque São Jorge estava disputando a primeira fase da Libertadores da América contra o Once Caldas. Na partida diante da Lusa o Corinthians foi superior durante todo o jogo, criou diversas oportunidades, sufocou a Portuguesa, isso porque o time de Tite que estava em campo era o considerado reserva, desde o goleiro aoa ataque.

Com diversas oportunidades criadas e desperdiçadas,  coube a Malcom de cabeça abrir o placar aos 27 minutos da primeira etapa abrir o placar a favor do Timão, 1 x 0. Love, Luciano e o próprio Malcom  tiveram  oportunidade de ampliar o placar ainda na primeira etapa , mas a falta de pontaria e o goleiro Rafael Santos evitaram um placar maior na primeira etapa.

A Lusa apareceu poucas vezes no ataque e quando apareceu Walter estava lá para segurar e aos 18 minutos da etapa final, o Timão foi para cima e depois de um corte mal feito da defesa da Lusa no passe de Danilo e a bola sobrou limpa para o jovem atacante corinthiano que de primeira acertou um belo chute da entrada da área e marcou o segundo dele na partida, o segundo do Timão na partida, 2 x 0.

Da mesma forma que na primeira etapa, mais um caminhão de gols foi perdido, Danilo, Malcom, Love, Luciano e Bruno Henrique não conseguiram colocar a bola na rede. Com a vitória o Timão chegou aos 29 pontos em 11 jogos no Paulistão e se garantiu na próxima fase da competição estadual e de quebra a derrota da Portuguesa fez com que o Palmeiras também se classificasse para a segunda fase uma vez que a Lusa não pode mais chegar a pontuação o rival.

Confira os resultados desta terça feira, 24, no Paulistão:

Corinthians 2 x 0 Portuguesa (4° rodada)

Botafogo 0 x 0 Ituano (12° rodada)

Rio Claro 1 x 1 XV de Piracicaba (12° rodada)

Mais quarto partidas acontecem nesta quarta feira, 25 pela 12° rodada do estadual, com grande destaque para o clássico entre Palmeiras x São Paulo no Allianz Parque. Confira os demais duelos desta rodada:

quarta feira, 25:

Marília x Red Bull Brasil, às 19:30 em Marília;

Audax x Capivariano, às 19:30 em Osasco;

Linense x Mogi Mirim, às 19:30 em Lins;

Palmeiras x São Paulo, às 22:00 em São Paulo;

quinta feira, 26:

São Bento x Bragantino, às 19:30 em Sorocaba;

Corinthians x Penapolense, às 19:30 em São Paulo;

Ponte Preta x Santos, às 21:00 em Campinas;

Portuguesa x São Bernardo, adiado para o dia 31/3.

O Corinthians vai fazer quatro jogos em sete dias, mostrando mais uma vez o péssimo calendário do futebol brasileiro com um excesso de jogo na temporada.

Curta: http://www.facebook.com/templodosesportes

por: Matheus Furlan

Portuguesa vence, Ponte Preta volta a elite

Muito ainda questionam como a Portuguesa conseguiu ir tão mal da disputa da Série B do Brasileirão. A equipe que já esta matematicamente rebaixada para a Série C teve pouquíssimo resultados positivos, tanto que a sua quarta vitória na competição aconteceu neste sábado diante do Luverdense no Canindé, 1 x 0, gol de Luan de cabeça no início da segunda etapa.

 

A vitória é uma tentativa da Lusa encerrar a sua participação na segundona de forma honrada, mas acima de tudo pensando já em voltar a divisão de acesso a elite do futebol nacional. Os paulistas somam 24 pontos em 34 jogos com apenas 4 vitórias, 12 empates e 18 derrotas, já o Luverdense aparece em 11° lugar com 46 pontos conquistados.

Ponte Preta volta a Série A

Depois do Joinville, a Ponte Preta também garantiu a sua vaga na Série A do Brasileirão 2015. O acesse veio após a Macaca derrotar o Bragantino fora de casa por 2 x 0, Alexandro em cobrança de pênalti e Roni marcaram para os campineiros que festejaram muito.

 

O confronto contra o Braga foi bem movimentado e os donos da casa foram os primeiros a criar as oportunidades de marcar, e há quem diga que a penalidade que originou o primeiro gol da Ponte Preta não existiu, mas o fato é que depois de uma grande companha, o estado de São Paulo volta a ter cinco representantes na elite do futebol nacional.

Confira os resultados da 34° rodada da Série B:

Avaí 0 x 0 Oeste

Sampaio Corrêa 1 x 2 Joinville

América-RN 1 x 3 Boa Esporte

Ceará 0 x 0 Atlético-GO

Bragantino 0 x 2 Ponte Preta

Vasco da Gama 1 x 0 ABC

Náutico 0 x 0 Santa Cruz

América-MG 1 x 1 Icasa

Portuguesa 1 x 0 Luverdense

Vila Nova 2 x 0  Paraná

CLASSIFICAÇÃO P J V E D GP GC SG %
1 Ponte Preta* 67 34 19 10 5 57 31 26 65
2 Joinville* 66 34 20 6 8 50 29 21 64
3 Vasco 59 34 15 14 5 46 31 15 57
4 Boa Esporte 53 34 16 5 13 47 42 5 51
5 Atlético-GO 53 34 15 8 11 49 43 6 51
6 Avaí 53 34 15 8 11 43 37 6 51
7 Santa Cruz-PE 52 34 13 13 8 47 31 16 50
8 Ceará 51 34 14 9 11 54 50 4 50
9 América-MG 49 34 16 7 11 49 38 11 53
10 Sampaio Corrêa-MA 47 34 11 14 9 48 40 8 46
11 Luverdense-MT 46 34 14 4 16 37 42 -5 45
12 Náutico 46 34 13 7 14 38 43 -5 45
13 ABC-RN 41 34 12 5 17 28 35 -7 40
14 Paraná 41 34 10 11 13 36 40 -4 40
15 Bragantino 39 34 11 6 17 40 52 -12 38
16 Icasa 39 34 10 9 15 29 36 -7 38
17 Oeste 39 34 9 12 13 35 47 -12 38
18 América-RN 36 34 10 6 18 38 47 -9 35
19 Vila Nova-GO 29 34 9 2 23 28 59 -31 28
20 Portuguesa* 24 34 4 12 18 26 52 -26 23

Restam apenas duas vagas para a elite do futebol nacional, quem será que vai se classificar?

Curta: http://www.facebook.com/templodosesportes

por: Matheus Furlan