Onde a Arena vai mal…

triv

Foto: trivelo.uol.com.br

De alguns anos para cá, os campeonatos de futebol sofreram profundas mudanças, principalmente em relação ao número de equipes participantes. Como exemplo, podemos citar o principal torneio do futebol mundial, a Copa do Mundo de Seleções, que também passou por esse processo. No Mundial da Argentina, em 1978, foram dezesseis seleções em busca da Taça. Quatro anos mais tarde, na Espanha, vinte e quatro países brigariam pelo título. Dezesseis anos depois, no Mundial da França em 1998, foram 32 seleções disputando o posto de melhor país no mundo do futebol.

Me inspirei nos anos 70 para compor o título da coluna desta semana. Numa época em que a Confederação Brasileira de Desportos (CBD), depois transformada na atual CBF, incluía clubes no campeonato nacional de futebol para agradar seus pares e afilhados políticos. Nada mais anti-desportivo, afinal de contas, o critério de favorecimento era baseado em interesses políticos e econômicos, e os aspectos técnicos iam para o espaço. Fato absolutamente lamentável e incompatível com o esporte. Por isso, à época, o povo criou o bordão: “Onde a ARENA vai mal, mais um clube no Nacional”

A atual decisão da Confederação Sul-Americana de Futebol (CONMEBOL) foi o estopim para ativar minha memória, em relação à frase que dá título à minha coluna desta semana para o Jogo em Pauta.com, sua crônica esportiva on line. A Copa Libertadores passará a ter 42 equipes em 2017, além de uma final única, disputada em campo neutro. Assim como a Champions League. Além disso, a competição sul-americana terá início em fevereiro e terminará em novembro. Algo que o continente americano, por tradição, não está acostumado. Clubes, imprensa, torcida! Nunca se viu tal sistema implementado em terras sul-americanas.

E mais: será que existem 42 equipes de qualidade no continente americano, fazendo jus a um título tão importante quanto ao da Libertadores da América? Diante da “baciada” de clubes envolvidos, aposto que Símon Bolivar, o líder que lutou para que vários países do continente americano deixassem de ser colônias espanholas, deve estar se revirando no túmulo. No futebol, nem sempre a quantidade é sinônimo de qualidade. Espero sinceramente, ,mas com muito pessimismo, que esse aumento no número de clubes que disputarão a Libertadores não tenha impacto técnico e na qualidade apresentada no principal campeonato de futebol do continente americano.

Por Ivan Marconato para o site Jogo em Pauta (www.jogoempauta.com)

Mais um empate amargo de eliminação!

Foto: wikipedia.org

Foto: wikipedia.org

Será que o torcedor corinthiano ou mesmo os jogadores do Corinthians buscaram na última quarta-feira (04) pós jogo, qual foi o real motivo da desclassificação do time na Libertadores?
Em comentários de padarias a redes sociais, a eliminação ficou por conta do pênalti que o André bateu e desperdiçou, alguns dizem que ele cobrou sem a alma do timão – um tanto displicente, ou talvez não tão preparado para tal pressão de torcida e do goleiro que pulava e se agitava a sua frente na linha do gol e o provocava mentalmente naquele momento.
Os mais analíticos comentam que o sistema adotado por Tite esse ano deveria ter sido diferente comparado ao ano de 2015. Naquele ano nomes como Jadson, Renato Augusto e até Vagner Love produziam forte pressão ao adversário  e tinham suas próprias particularidades em jogadas decisivas.
O torcedor de boa memória e mais tenso não queria sequer lembrar em nenhum momento da última quarta, de partidas em sua arena que recordasse as eliminações passadas e sofridas em sua casa, como as do Guarani do Paraguai na última Libertadores, e em decisões do Paulista para Palmeiras e Audax nos pênaltis.
Torcedores de outros clubes, ainda sinalizaram que o rival Corinthians não tinha um time tão competitivo para o torneio continental como o super elenco encerrado no Brasileirão 2015, além do mau resultado produzido no Uruguai contra o Nacional, tendo apenas na bagagem um placar em branco, na partida de ida das oitavas.
Agora, arranjar motivos para a não continuação do time na Libertadores, de certa forma ficaria fácil neste momento, o registro que fica, é que nos últimos noventa minutos jogados, três pontos foram crucias para o time alvinegro.
De fato, o pênalti não convertido de André – seria a esperança de virada naquele momento do jogo, ou também o último chute de Romero para a linha de fundo no momento final da partida – seria como uma comemoração de título, mas também creio que a extrema diferença também se fez aos cinco minutos da primeira etapa, com o gol marcado pelos uruguaios. A abertura do placar pelo adversário já sinalizava o quanto seria a extrema dificuldade que o Corinthians enfrentaria na decisão.
“O Corinthians vinha crescendo na competição, a terceira melhor campanha, a melhor do Paulista. Não gosto de ficar justificando, estamos todos sentidos. O pênalti que o André bateu é o mesmo que ele fez o gol a outra vez. Temos de melhorar o aproveitamento, esse é um dos pontos a melhorar”, disse Tite
Ah, se o Romero marcasse aquele gol no fim do jogo! Todos os argumentos citados acima cairiam por terra. Mas nem os 43 mil torcedores presentes conseguiram segurar a forte retranca do time uruguaio Nacional, e a eliminação que adia mais uma vez o sonho do Corinthians, pelo bi da Libertadores.
Por Arthur Dafs via site Jogo em Pauta (www.jogoempauta.com)

O imponderável e o saudosismo

Foto: Divulgação/Site Oficial São Paulo FC

Foto: Divulgação/Site Oficial São Paulo FC

Há muito tempo que os amantes do futebol não vivem apenas de jogos disputados nos finais de semana. Isso é coisa do passado, mesmo porque, os grandes campeonatos continentais do futebol do mundo, como a Champions League, Copa da UEFA, Copa Libertadores, Copa Sul-Americana, além dos outros torneios internacionais, com grande relevância em termos de disputa, são sempre disputados entre as terças e as quintas-feiras. Portanto, as emoções, para quem gosta de futebol, só dão folga em dois dias da semana: às segundas e às sextas. Se é que podemos definir esses dois dias como folga, porque, independentemente da realização das partidas, as notícias e as repercussões a respeito das mesmas não param, nem nos dias em que a bola não está rolando.

E pra quem gosta da coisa, isso é um prato cheio.  Depois de acompanhar um excelente jogo de futebol entre Audax e Santos, no último domingo, cujo empate em um gol deixou o título paulista em aberto, com muita emoção e futebol de qualidade reservados para o próximo final de semana; a programação das emissoras de televisão por assinatura, mesmo nos dias em que não há jogos, presenteiam os fanáticos pelo futebol com programas que só acrescentam ao aprendizado daqueles que fazem do mundo da bola o seu ganha-pão.  Fato diretamente relacionado a este que vos escreve (risos).

Vamos começar com a bola rolando:  Foram dois jogaços pela Libertadores. No primeiro, o São Paulo suou sangue, perdeu o jogo, mas conseguiu a classificação às quartas-de-final da competição sul-americana na última terça. Já o Corinthians, que ganhou o Campeonato Brasileiro do ano passado com sobras, desmontou o elenco e o remontou em tempo recorde para essa temporada – ainda que alguns digam que as peças não foram repostas em pé de igualdade com o elenco de 2015 – foi desclassificado do torneio continental depois de empatar com o Nacional do Uruguai, em Montevidéu. O Tricolor segue na disputa, enquanto em 2016, não houveram conquistas no primeiro semestre para o futebol profissional do Corinthians.

Para finalizar, concluímos com o imponderável. E o imponderável veio com a programação esportiva da TV, e o espetacular programa Bola da Vez, da ESPN Brasil.  O programa recebeu o ex-meio-campista, e atual treinador de futebol Toninho Cerezo. Um dos maiores médios-volantes que esses olhos, que a terra há de comer, já viram. Cerezo jogou no Atlético Mineiro, na Roma e na Sampdória, da Itália; no São Paulo, no Cruzeiro e no Paulista de Jundiaí. Toninho também foi técnico de algumas equipes brasileiras e japonesas. O programa contou com revelações surpreendentes da vida profissional, e também curiosidades e detalhes da conduta pessoal e familiar do ex-jogador. Lições importantíssimas para aqueles que gostam de futebol jamais esquecer, e também aprender um pouco sobre o que é ser bem sucedido, num esporte tão competitivo como o futebol mundial.

Um meio de semana riquíssimo, em que o imponderável da final do Paulistão, e das emoções da Libertadores, e o saudosismo das surpreendentes revelações de Toninho Cerezo, só trouxeram bagagem, experiência e aprendizado para aqueles que gostam de assistir, falar, escrever e repercutir o futebol em todos os seus aspectos.

Por Ivan Marconato via site Jogo em Pauta (www.jogoempauta.com)

Definidos os confrontos da Libertadores

Os oitavas de finais da Libertadores da América de 2016 foram definidos na noite desta quinta feira (21) com o empate do São Paulo diante do The Strongest em 1 x 1 na Bolívia. A partida que foi emocionante e repleta de catimba teve os donos da casa saindo na frente do placar e os brasileiros empatando ainda na primeira etapa. Denis e Calleri ainda foram expulsos no final do jogo o que complica a vida do Tricolor na próxima fase da competição. O time da capital paulista vai enfrentar o Toluca do México.

 

A definição dos confrontos é realizada da seguinte forma. Os oito melhores primeiros colocados ficam de um lado e os oito segundos do outro. O melhor primeiro enfrenta o pior segundo, nesse caso Atlético Nacional da Colômbia jogará diante do Huracán da Argentina, ambos estavam no grupo 4, sendo que na partida de ida na Argentina o Atlético venceu por 2 x 0 e na volta em solo colombiano, o jogo foi 0 x 0, único empate da equipe da Colômbia.

Confira os duelos das oitavas de final da Libertadores 2016:

(1º) Atlético Nacional (COL) x (16º) Huracán (ARG)
(2º) Pumas (MEX) x (15º) Deportivo Táchira (VEN)
(3º) Corinthians x (14º) Nacional (URU)
(4º) Atlético-MG x (13º) Racing (ARG)
(5º) Toluca (MEX) x (12º) São Paulo
(6º) Boca Juniors (ARG) x (11º) Cerro Porteño (PAR)
(7º) River Plate (ARG) x (10º) Independiente del Valle (EQU)
(8º) Rosario Central (ARG) x (9º) Grêmio

Ainda se datas definidas para os confrontos, Atlético-MG e Corinthians definem suas vagas em casa enquanto Grêmio e São Paulo decidiram a vaga fora de seus domínios.

Curta: http://www.facebook.com/templodosesportes

por: Matheus Furlan

O Quatrilho!

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

Quando a Copa Libertadores começou, cinco clubes brasileiros estavam na disputa da Taça mais desejada da América do Sul no primeiro semestre da temporada. O futebol do estado de São Paulo, bem representado por seu ” Trio de Ferro”, Corinthians – campeão brasileiro do ano passado, o rival Palmeiras, que levantou a Copa do Brasil em 2015, e o São Paulo, que garantiu a vaga na Pré-Libertadores, passando à fase de grupos da competição continental depois de ficar na quarta posição no Brasileirão. Além deles, o Grêmio e o Atlético Mineiro também estavam qualificados a jogar a competição continental.

E dos cinco brasileiros, quatro deles conseguiram êxito na fase de grupos, e estão classificados à fase final da competição sul-americana. Apenas o Palmeiras, que no meio do caminho trocou Marcelo Oliveira por Cuca à beira do campo, não teve sucesso em permanecer na Libertadores. Sem sustos, Corinthians, Grêmio e Atlético passaram com tranquilidade por seus adversários. O São Paulo se classificou no sufoco, empatando com o The Strongest na altitude de La Paz, na última rodada do Grupo, e o Palmeiras, mesmo vencendo o seu último jogo da chave, não conseguiu a vaga para a fase final do torneio continental.

E agora, o que acontecerá com os clubes brasileiros, nessa que é a “menina dos olhos” dos times de futebol em todo o primeiro semestre das temporadas?  O Grêmio, pega o argentino Rosário Central; o Atlético, também terá um argentino pela frente, pois enfrentará o Racing. O São Paulo vai ao México, pegar o Toluca, e ainda ficara às voltas com a altitude do país do sombreiro; e o Corinthians, terá um pedreira pela frente, o Nacional do Uruguai, tradicional clube que disputa a Libertadores.

Desse “quatrilho”, em que dois paulistas, um gaúcho e um mineiro representam o futebol brasileiro na Libertadores, quem sairá vencedor?  Por retrospecto na primeira fase, Grêmio, Atlético e Corinthians levam vantagem, já que o São Paulo suou sangue para chegar às oitavas de final. Entretanto, o Tricolor Paulista conta com a tradição e o retrospecto de já ter conquistado a Libertadores da América em três oportunidades.   E qual dos clubes brasileiros fará as honras de Simon Bolívar na competição de 2016?  Muita emoção e bom futebol em campo é o que esperamos dos representantes brasileiros.

Por Ivan Marconato para o site Jogo em Pauta (www.jogoempauta.com)

Menina dos olhos!

Foto: viing.blogspot.com

Foto: viing.blogspot.com

A semana foi trágica para os três clubes paulistas, que estão também envolvidos na principal competição do futebol na América do Sul, a Taça Libertadores da América. O campeonato sul-americano de clubes é a “menina dos olhos” de dez entre dez clubes localizados abaixo da linha do equador. A competição continental ficou relegada ao segundo plano por décadas, principalmente depois que o Santos de Dorval, Mengálvio, Coutinho, Pelé e Pepe, conquistou o continente sul-americano e também o mundo.

Mas isso foi há 50 anos. Depois de esporádicas conquistas de clubes brasileiros na década de 90 (São Paulo, Grêmio, Cruzeiro e Vasco); a Libertadores voltou a acender o brilho nos olhos dos clubes brasileiros e de seus dirigentes. É justo! Afinal de contas, a competição sul-americana reverte ao clube retorno de patrocínio, principalmente por conta da visibilidade que as partidas proporcionam devido sua exibição ao vivo pela televisão.

Para termos uma noção de quanto a Libertadores é valiosa, a emissora detentora dos direitos até o ano de 2018 pagou o montante de US$ 450 milhões, e o acordo vale para a transmissão de três competições sul-americanas, a Libertadores, a Copa Sul-Americana e a Recopa, ou seja US$ 150 milhões por ano. Logo, os clubes que não jogam a Libertadores perdem oportunidade de ganhar, e muito, dinheiro.

Em compensação, há uma “colher de chá” afinal de contas, o Campeonato Brasileiro acaba sendo uma competição infinitamente mais vantajosa aos clubes, se levarmos em consideração os aspectos financeiros. O certame nacional custou à R$ 1, 3 bilhão à emissora detentora dos direitos, sendo que cada uma de suas 380 partidas vale R$3,4 milhão.  Na Libertadores, o campeão lucra R$ 30 milhões, ou seja R$ 2,5 milhões por jogo.

Na ponta do lápis, o lucro em disputar a Libertadores é proporcionalmente maior, afinal de contas, tanto o tempo de disputa, quanto o número de jogos é inferior aos disputados pelo Brasileirão. Entretanto, não somente por conta da grana, mas principalmente por causa do prestígio desportivo, não disputar a Libertadores também acaba sendo um péssimo negócio aos times de futebol.

E depois dos jogos desse meio de semana, os times paulistas devem “colocar as barbas de molho” se não quiserem sair no prejuízo. Corinthians e Palmeiras perderam suas partidas desta semana; e o outro paulista, o São Paulo, empatou ontem conquistando seu primeiro ponto em seis possíveis na competição. Então, os clubes paulistas que se cuidem, pois podem ficar cada vez mais distante desse “pote de ouro” que é a competição sul-americana. Será que o “Trio de Ferro” se transformará em “Trio de Lata” e ficará sem essa importante fonte de renda?  Aguardemos!

Por Ivan Marconato para o site Jogo em Pauta (www.jogoempauta.com)

No meio do deserto, Corinthians vence na abertura da Libertadores

Na pequena cidade de El Salvador no meio do deserto do Atacama, no Chile a cerca de 2.300 metros de altitude, o Corinthians iniciou o caminho na Libertadores da América de 2016 de forma sofrida.

 

A viagem foi longa, e o inicio da partida diante do Crobesal foi complicado, mas logo  aos 12 minutos da primeira etapa queda de energia no estádio e a partida ficou cerca de 16 minutos parada.  Quando as luzes voltaram os chilenos foram para cima e com boas jogadas pelo lado direito do ataque, levaram perigo. O Corinthians so conseguiu se achar na primeira etapa quando colocou a bola no chão, por falar no chão, foi Cássio que ficou no gramado chileno após se chocar com Yago.

O goleiro corinthiano ficou alguns minutos caído e precisou ser atendido, mas se recuperou a tempo para ver a cobrança de falta de Lucca passar perto da meta chilena.

Na segunda etapa, a partida seguia o mesmo panorama, mas Tite fez mudanças na equipe o que deixou a equipe brasileira mais no campo de ataque a situação melhorou de vez quando o jogador mais ofensivo do Cobresal, Benítez. deixou o campo machucado.

Tudo se encaminhava para o empate em 0 x 0 quando aos 45 minutos do segundo tempo, Lucca cruzou da direita e o zagueiro Escalona acabou tocando contra a própria meta, Corinthians 1 x 0.  Com esse resultado, o Timão é o único paulista a vencer na estréia da Libertadores de 2016 e de quebra assumiu a liderança do grupo 8 da competição, uma vez que Independiente Santa Fé (COL) e Cerro Porteño (PAR) não saíram do 0 x 0.

O Corinthians volta a campo na competição continental na Arena Corinthians no dia  2 de março diante do Santa Fé.

FICHA TÉCNICA
COBRESAL(CHI) 0 X 1 CORINTHIANS

Local: Estádio El Cobre, em El Salvador (CHI)
Data: 17 de fevereiro de 2015
Horário: 21h45 (de Brasília)
Árbitro: Andrés Cunha (URU)
Público: 3.167 espectadores
Renda: não divulgada
Assistentes: Mauricio Espinosa (URU) e Gabriel Popovits (URU)
Cartões amarelos: Sarabia e Grbec (Cobresal); Bruno Henrique e Rodriguinho (Corinthians)
Gol: Escalona (contra), aos 45 minutos do segundo tempo

COBRESAL: Cuerdo; Jerez, Salazar, Escalona e López; Ureña, Sarabia, Fuentes, Sepúlveda (González) e Benítez (Oyaneder); Cantero (Grbec); Técnico: Dalcio Giovagnolo

CORINTHIANS: Cássio; Fagner, Felipe, Yago e Uendel; Bruno Henrique, Romero (Giovanni Augusto), Elias (Willians), Rodriguinho e Lucca; Danilo (André);Técnico: Tite

Curta: http://www.facebook.com/templodosesportes

por: Matheus Furlan

Em jogo sofrido, São Paulo ingressa na Libertadores

f: Reprodução Página Oficial do São Paulo

f: Reprodução Página Oficial do São Paulo

O atacante foi convocado as pressas para  a concentração do time – no lugar de Kardec, Rogério marca e fica mais próximo da torcida, mas para garantir sua posição no time, o atacante precisa marcar mais gols para convencer Bauza.
No estádio Paulo Machado de Carvalho, Pacaembu, o São Paulo garantiu sua vaga diante do Universidad César Vallejo, pelo placar de 1 x 0 – gol de Rogério. Com a vitória o Tricolor Paulista ingressa na Libertadores – no grupo 1, já compostos pelo atual campeão River Plate, da Argentina, pelo The Strongest, da Bolívia, e pelo Trujillanos, da Venezuela.
A partida não foi a das mais vibrantes, principalmente no primeiro tempo, um jogo fraco, e sem muitas emoções. Ambiente que deixou o torcedor saopaulino irritado – sobrando algumas vaias aos jogadores após o término da primeira etapa.
Segundo tempo, o São Paulo voltou diferente, com mais imposição diante do adversário, com maior volume do jogo, o time brasileiro conseguiu ataques mais contundentes na área adversária – tendo lances que deixava o torcedor animado, porém desesperado com as insistentes bolas na trave do time paulista. Parecia que os deuses do futebol queriam um sofrimento a mais para os torcedores e jogadores do São Paulo.
A participação da trave se iniciou com o pênalti perdido por Michel Bastos ainda no primeiro tempo, que tirou o goleiro de sua batida,caprichosamente a bola carimbou a trave esquerda do goleiro peruano – o pênalti foi anotado sobre o meia Ganso.

 

Mais traves
Na segunda etapa mais vítimas da trave peruana, dessa vez com Calleri e Hudson. Para mudar o jogo e na busca de um placar vitorioso, o técnico Bauza optou pela opção de Wesley e saída de Ganso, era uma alternativa diferente no ataque tricolor, o atacante saiu do banco de reservas e agitou bastante o ataque direito do time do Morumbi.
Ao time peruano mesmo com um placar em branco que o eliminaria da competição, após 30 minutos da segunda etapa, o time de César Vallejo não obtinha força suficiente para atacar o adversário, que era empurrado pela sua torcida, que gritava com veemência pelo atacante Rogério – opção obrigatória no banco de reservas, pela ausência de Kardec – atingido na semana por uma amidalite.
Aos 40 minutos, Rogério – camisa 17 entra em campo, o torcedor sabia o que pedia. Após as insistentes traves tricolores, os deuses do futebol guardava algo encantador para a classificação saopaulina. Após cobrança de escanteio pela esquerda, a bola sobrou ao atacante Rogério na pequena área, que em um mini voleio marcou o gol da vitória, da classificação e do Ufa de qualquer saopaulino na noite desta quarta-feira (10).

 

– Bauza em coletiva de imprensa – após a vitória
“Após a vitória e ingresso a Libertadores, o técnico Bauza disse em coletiva “O que e preocupa é que nós tivemos cerca de 20 chances de gol e não pudemos converter. Na Libertadores isso custa caro. Por outro lado, a equipe não desistiu. Temos que trabalhar e fazer que esse domínio se transforme em resultado. Vamos encontrar equipes como o César Vallejo e algumas superiores, por isso temos que melhorar”, afirmou o treinador
O treinador equatoriano, mesmo com o objetivo alcançado,reconhece que o time precisa melhorar no ataque – principalmente no setor de criação.
“A classificação veio com autoridade. O 1 a 0 não mostrou o que a equipe fez. Creio que tivemos o controle do jogo a todo momento, mesmo no primeiro tempo, em que o César Vallejo pressionou muito.  Antes do gol que fizemos, parecia que não conseguiríamos definir. Não estou conformado com o desempenho da equipe. Classificamos, conseguimos o objetivo, seguimos como uma equipe sólida, mas ainda nos falta mais criação, mais futebol, ser mais inventivo. Vamos seguir trabalhando”, concluiu Bauza.

 

Por Arthur Dafs para o site Jogo em Pauta (www.jogoempauta.com)

Conmebol divulga datas e horários dos jogos da Libertadores 2016

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

A Conmebol divulgou datas e horários das partidas da Libertadores 2016 e os brasileiros, se contarmos o São Paulo na primeira fase da competição diante do Cesar Vellejo do Peru, estreiam todos fora de casa.

A competição continental terá inicio para o Tricolor no dia 3 de fevereiro enquanto os demais jogam nos dias 16 e 17 do mesmo mês, confira os dias e horários dos duelos brasileiros na disputa:

Palmeiras
16/02 às 21h45 – River (URU) ou Universidad de Chile (fora)*
02/03 às 21h45 – Rosário Central-ARG (casa)
09/03 às 21h45 – Nacional-URU (casa)
17/03 às 21h45 – Nacional-URU (fora)
06/04 às 21h45 – Rosário Central-ARG (fora)
14/04 às 21h45 – River (URU) ou Universidad de Chile (casa)*

Corinthians
17/02 às 21h45 – Cobresal-CHI (fora)
02/03 às 21h45 – Oriente Petrolero ou Santa Fe (casa)*
09/03 às 19h30 – Cerro Porteño-PAR (fora)
16/03 às 21h45 – Cerro Porteño-PAR (casa)
13/04 às 21h45 – Oriente Petrolero ou Santa Fé (fora)*
20/04 às 21h45 – Cobresal-CHI (casa)

São Paulo
03/02 às 21h45 – Cesar Vallejo-PER (fora)
10/02 às 21h45 – Cesar Vallejo-PER (casa)

Caso o São Paulo se classifique diante do Cesar Vallejo:
17/02 às 19h30 – The Strongest-BOL (casa)
10/03 às 19h30 – River Plate-ARG (fora)
16/03 às 19h30 – Tujillanos-VEN (fora)
05/04 às 21h45 – Trujillanos-VEN (casa)
13/04 às 19h30 – River Plate-ARG (casa)
21/04 às 21h45 – The Strongest-BOL (fora)

Grêmio
17/02 às 00h00 – Toluca-MEX (fora)
02/03 às 21h45 – LDU (casa)
09/03 às 21h45 – San Lorenzo (casa)
15/03 às 21h45 – San Lorenzo (fora)
13/04 às 21h45 – LDU (fora)
19/04 às 21h45 – Toluca-MEX (casa)

Atlético-MG
17/02 às 21h45 – Melgar-PER (fora)
24/02 às 21h45 – Independiente Del Valle ou Guarani-PAR (casa)*
10/03 às 21h45 – Colo Colo (fora)
16/03 às 21h45 – Colo Colo (casa)
06/04 às 21h45 – Independiente Del Valle ou Guarani-PAR (casa)*
14/04 às 19h30 – Melgar-PER (casa)

*jogos da primeira fase que aconteceram nos dias 3 e 10 de fevereiro para a definição dos grupos.

Que os brasileiros tenham uma longa vida na competição continental.

Curta: http://www.facebook.com/templodosesportes

por: Matheus Furlan

Definidas as semifinais da Libertadores 2015

Foto: Alexandre Lopes / rasilhandebol.com.br

Foto: Alexandre Lopes / rasilhandebol.com.br

Estão definidas as semifinais da Copa Libertadores 2015. São quatro equipes de países diferentes. Começamos pelo River Plate da Argentina que eliminou o Cruzeiro após grande partidas dos argentinos em Minas Gerias, 3 x 0 e a vaga nas semifinais diante do Guarani do Paraguai que eliminou o Corinthians e o Racing da Argentina. Os paraguaios que empataram a partida de volta na Argentina vem surpreendendo a todos.

Do outro lado o Tigres do  México eliminou o Emelec após vitória por 2 x 0 em casa com grande atuação de Rafael Sobis e vai enfrentar o o Internacional de Porto Alegre que depois de perder a partida de ida para o Santa Fé da Colômbia conseguiu reverter o placar anotando 2 x 0 em casa, desta forma as semifinais ficaram assim:

River Plate x Guarani*

Tigres x Internacional*

As partidas de ida acontecerão no dia 15 de julho, sendo que paraguaios e brasileiros decidem a classificação em casa.

Quem vai para a final da Copa Libertadores 2015? Quatro torcidas, mas apenas duas vão fazer a festa na final.

Curta: http://www.facebook.com/templodosesportes

por: Matheus Furlan