Force India anuncia a saída de Nico Hulkenberg que segue para a Renault

hulk

Foto: Reprodução / Facebook Nico Hülkenberg – oficial

Após quatro temporadas, sendo as três últimas de forma consecutiva, na Force India, o piloto Nico Hulkenberg ao deixará o time ao final da temporada de 2016.

Na manhã desta sexta feira, (14), através de um comunicado de  Vijay Mallya, mandatário do time, agradecimentos e desejos de boa sorte foram tecidos ao piloto alemão que teve como melhor resultado no time um quarto lugar na Bélgica em 2012 além da pole position conquistada no Brasil em 2014. “Todo mundo na Force India deseja coisas boas a Nico, que defenderá um novo time na Fórmula 1. Passando cinco anos conosco, Nico se tornou um grande amigo e contribuiu de maneira significativa com o sucesso do time. Ele é um piloto fora de série, que marcou mais pontos do que qualquer outra pessoa que passou por aqui. É verdade que sentiremos falta de Nico, mas respeitamos sua decisão de explorar novas oportunidades e seria errado ficar no meio do caminho”, concluiu.

Atual nono colocado no  Mundial de Pilotos com 54 pontos, Hulkenberg expressou sua satisfação e guiar a Renault em 2017. “Estou muito feliz em me juntar à Renault em 2017. Sempre foi meu sonho trabalhar por uma equipe de fábrica. As novas regras da F1 vão mudar o jogo e darão à equipe uma grande oportunidade. Nos próximos anos, a Renault terá um papel de desafiante, que se encaixa em minha abordagem.  A Renault sempre foi protagonista no automobilismo e me traz memórias incríveis: em seu período com a companhia, Michael Schumacher não apenas ajudou a Alemanha na F1, como acendeu em mim a fagulha por correr. Estou ansioso em fazer parte da família Renault e desejo escrever uma nova história de sucesso.”

Com o acerto do alemão com o time francês, um acento esta vago na Force India, mas a quem diga que não ficará muito tempo assim. O time que conta com os motores Mercedes será o principal alvo dos pilotos no próximos dias, e á quem diga que um jovem nome pode aparecer.

Curta: http://www.facebook.com/templodosesportes

Por Matheus Furlan

Anúncios

Sem dificuldades, Rosberg vence no Japão

rosberg

Foto: Reprodução/Facebook Mercedes AMG Petronas – oficial

O alemão largou vem e viu Hamilton partir mal e ser engolido pelo pelotão. Max Verstappen que está em uma crescente espetacular dominou osegundo posto e não o deixou, mesmo quando no final da disputa, depois que Hamilton escalou o pelotão novamente chegou no jovem holandês para brigar pelo segundo lugar. Por falar em Hamilton, com um carro bem mais acertado que os demais, o inglês fez uma prova de recuperação e fechou a disputa em terceiro

A parte intermediária também teve alguns bons momentos. A Ferrari bem que tentou mas nada de acompanhar as Mercedes e a RBR de Verstappen, a Williams mais uma vez pecou na estratégia. A ideia inicial rea de fazer apenas uma parada, mas com o desgaste excessivo dos compostos, Massa e Bottas foram obrigados a fazer mais uma parada nos pits e terminaram a disputa em nono e décimo respectivamente, mais uma vez atrás da Force India que ficou em sétimo com Pérez e oitavo com Hulkenberg.

Felipe Nasr mais uma vez teve trabalho com a Sauber e terminou a disputa em 19° lugar. Situação complicada para o brasileiro que está as vésperas de decidir deu futuro na categoria. Confira como ficou a classificação final do GP do Japão:

1 – Nico Rosberg – Mercedes – 53 voltas
2 – Max Verstappen – Red Bull-Tag Heuer – +4.978s
3 – Lewis Hamilton – Mercedes – +5.776s
4 – Sebastian Vettel – Ferrari – +20.269s
5 – Kimi Raikkonen – Ferrari – +28.370s
6 – Daniel Ricciardo – Red Bull-Tag Heuer – +33.941s
7 – Sérgio Perez – Force India-Mercedes – +57.495s
8 – Nico Hulkenberg – Force India-Mercedes – +59.177s
9 – Felipe Massa – Williams-Mercedes – +1:37.763
10 – Valtteri Bottas – Williams-Mercedes – +1:38.323
11 – Romain Grosjean – Haas-Ferrari – +1:39.254
12 – Jolyon Palmer – Renault – +1 volta
13 – Daniil Kvyat – Toro Rosso-Ferrari – +1 volta
14 – Kevin Magnussen – Renault – +1 volta
15 – Marcus Ericsson – Sauber-Ferrari – +1 volta
16 – Fernando Alonso – McLaren-Honda – +1 volta
17 – Carlos Sainz Jr. – Toro Rosso-Ferrari – +1 volta
18 – Jenson Button – McLaren-Honda – +1 volta
19 – Felipe Nasr – Sauber-Ferrari – +1 volta
20 – Esteban Gutierrez – Haas-Ferrari – +1 volta
21 – Esteban Ocon – Manor-Mercedes – +1 volta
22 – Pascal Wehrlein – Manor-Mercedes – +1 volta

Campeonato

Com os resultados deste final de semana, Nico Rosberg chegou a 313 pontos contra 280 de Lewis Hamilton. Agora são 33 tentos de vantagem para o alemão que está se aproximando de conquistar seu primeiro título na carreira. Felipe Massa subiu para o 10° lugar no Mundial de Pilotos com 43 pontos.

A próxima etapa da F1 acontece no dia 23 de outubro, nos Estados Unidos.

Curta: http://www.facebook.com/templodosesportes

Por Matheus Furlan

Sergio Pérez renova com a Force India

force-1

Foto: Reprodução / Facebook Sahara Force India Formula One Team – oficial

O mexicano Sergio Pérez vinha agitando a dança das cadeiras, mas depois de alguns rumores a meses atrás, o piloto que pode ser considerado um dos destaques da temporada 2016 da F1, ao lado de Max Verstappen, renovou seu contrato com a Force India e seguirá sendo companheiro de de Nico Hulkenberg na equipe.

Em um comunicado, o mexicano que ocupa a oitava colocação no Mundial de Pilotos com 74 pontos, afirmou. “Tenho o prazer de confirmar que estarei correndo com a Sahara Force India em 2017 como o time e os meus patrocinadores tendo concluído seus acordos”.

“A equipe me conhece bem e é importante ter estabilidade, especialmente com algumas grandes mudanças de regras para o próximo ano. Estou animado para o resto da temporada e para o desafio que espera por todos nós em 2017.” “Agradeço a toda a equipe por acreditar em mim e farei o meu melhor para retribuir sua fé com pontos, pódios e vitórias, espero.”

“Também quero agradecer aos nossos parceiros mexicanos, especialmente Telmex e Telcel, que me apoiam desde criança. Eles continuam desempenhando um papel importante na minha jornada neste esporte.”

A Renault buscava a contratação do piloto, mas a falta de um acerto no tempo de contrato fez com que o mexicano ficasse na atual equipe e de olho em uma vaga na Ferrari em 2018.

Curta: http://www.facebook.com/templodosesportes

Por Matheus Furlan

Ricciardo vence em final de semana desastroso da Mercedes

rbr

Foto: Reprodução / Facebook Rede Bull Racing – oficial

Falar que a Mercedes teve um final de semana desastroso é extremamente difícil, uma vez que a equipe alemã sempre tem o melhor desempenho e quase sempre conta com a sorte. Mas neste final de semana não foi assim.

A 16° etapa da temporada, na Malásia, começou com o domínio de Lewis Hamilton que depois de quebrar o recorde da pole position largou de forma tranquila para seguir na ponta, mas logo atrás de si, Rosberg acabou sendo acertado por Vettel que largou do quinto lugar. O alemão da Mercedes foi para o final do pelotão enquanto o alemão da Ferrari abandonou a disputa.

Na nono volta o safety car virtual foi acionado em virtude da escada da Haas de Romain Grosjean, momento de paradas nos pits para alguns pilotos.

A corrida passou então a ter duas frentes, Hamilton na liderança que passava a travar uma bela batalha com Max Verstappen enquanto Nico Rosberg escalava o pelotão. Esse segundo favorecido pelo grande desempenho do seu carro conseguiu rapidamente chegar na zona de pontuação enquanto a situação de Hamilton que já havia perdido a liderança para o jovem holandês parecia estar de volta a normalidade.

As voltas foram se passando e na altura do 38° giro, Rosberg e Raikkonen passaram a disputa a quarta colocação, mas que  alemão tocou no finlandês começou a ser investigado pela manobra e acabou punido com 10 segundos em uma parada nos pits ou de acréscimo no seu tempo final de corrida.

Foi quando na 41° volta a situação de Hamilton mudou. O motor da Mercedes pegou fogo, o inglês entrou em desespero e as RBR de Ricciardo que vinha em segundo e Verstappen que aparecia em terceiro subiram para a dobradinha, Rosberg que após ser tocado no começo da disputa passou a ocupar a terceira posição.

O final da disputa ainda teve a Haas de Gutiérrez perdendo a roda dianteira esquerda, Nasr abandonando a disputa com problemas de freio na Sauber e claro a bandeira quadriculada para Daniel Ricciardo que conseguiu segurar Max Verstappen e ficou com a vitória a primeira do australiano em 2016, a sua quarta na carreira. O jovem holandês terminou em segundo e Nico Rosberg que conseguiu abrir a diferença necessária da punição para Kimi Raikkonen que terminou em quarto, subiu no pódio em terceiro lugar. A última vez que a RBR fez uma dobradinha aconteceu no GP do Brasil de 2013.

O Top-10 foi completo por Bottas em quinto, Pérez em sexto, Alonso após largar em último em sétimo, Hulkenberg em oitavo, Button em nono e Palmer em 10° lugar.

Felipe Massa mais uma vez teve um final de semana para se esquecer. Depois de se classificar em 10°, o brasileiro teve um problema de acelerador na hora de levar o carro para o grid e acabou largando dos pits, na sétima volta o brasileiro viu a sua situação piorar quando um furo no pneu fez com que o mesmo tivesse que voltar aos pits e desta forma o final para a Williams #19 foi o 13° lugar.

Campeonato

Com o abandono de Hamilton, Rosberg abre 23 pontos de vantagem para o companheiro de equipe, são 288 pontos conquistados pelo alemão contra 265 do inglês, diferença que a essa altura do campeonato passa a ser significativa. Ricciardo aparece em terceiro com 204, Raikkonen o quarto com 160 e Vettel o quinto com 156. Felipe Massa caiu uma posição, agora é o 11° com 41 pontos logo atrás de Alonso da McLaren que neste final de semana chegou aos 42 pontos.

A próxima etapa da temporada acontece já no próximo domingo, (9), em Suzuka, no Japão.

Curta: http://www.facebook.com/templodosesportes

Por Matheus Furlan

Lewis Hamilton é pole na Malásia

mailton

Foto: Divulgação

Não deu para ninguém na formação do grid de largada do GP da Malásia da F1. A pole position é de Lewis Hamilton da Mercedes que anotou o tempo de 1m32s850, único a andar abaixo de 1m33s e quebrando o recorde de pole position mais rápida que era de Michale Schumacher com o tempo de 1m33s074, anotada em 2004.Essa foi a oitava pole do atual campeão na temporada, a 57° posição de honra na carreira.

Nico Rosberg parte da segunda colocação com o tempo de 1m33s264, e sabe que terá uma tarefa complicada para assegurar a ponta do campeonato diante do inglês neste final de semana. A dupla da RBR aparece na segunda fila com Max Verstappen em quarto e Daniel Ricciardo em quarto.

Mais uma vez o desempenho da Williams ficou abaixo do esperado, atrás da Force Índia, e de uma McLaren (Button), Felipe Massa parte do 10° lugar com o tempo de 1m34s761, Bottas é o 11°.

Felipe Nasr parte apenas da 18° colocação com a Sauber com o tempo de 1m35s949. A última colocação é de Fernando Alonso da McLaren que após trocar diversos componentes do motor sofreu uma punição de 45 posições.

A largada para as 56 voltas da disputa em Sepang, está marcada para às 4 horas da manhã, horário de Brasília, desde domingo.

Curta: http://www.facebook.com/templodosesportes

Por Matheus Furlan

CALENDÁRIO DE 2017 DA FÓRMULA 1 É DIVULGADO COM GP DOBRASIL SUJEITO A CONFIRMAÇÃO

brasil-interlagos

Foto: Divulgação

Nesta terça feira, (28), a FIA, entidade máxima do automobilismo mundial, divulgou o calendário de 2017 da Fórmula 1 com 21 etapas, da mesma forma que na atual temporada.

A surpresa para muitos foi que o GP do Brasil de 2017 apareceu marcado com sujeito a confirmação, da mesma forma que as etapas do Canadá e Alemanha. Não é de agora que Bernie Ecclestone vem falando sobre a saída da etapa tupiniquim da categoria, mas em nota, a organização do evento afirmou que “Há um contrato em vigência até 2020 e que será cumprido rigorosamente como sempre ocorreu nestes 45 anos”.

A F1 2017 está marcada para o dia 12 de novembro e continuará sendo a penúltima etapa da temporada da categoria, que tem sua abertura marcada para o dia 26 de março, na Austrália.

Confira o calendário da Fórmula 1 2017:

26 de março – GP da Austrália – Melbourne
9 de abril – GP da China – Xangai
16 de abril – GP do Bahrein – Sakhir
30 de abril – GP da Rússia – Sochi
14 de maio – GP da Espanha – Barcelona
28 de maio – GP de Mônaco – Monte Carlo
11 de junho – GP do Canadá –  Montreal*
18 de junho – GP da Europa (Azerbaijão) – Baku
2 de julho – GP da Áustria – Red Bull Ring
9 de julho – GP da inglaterra – Silverstone
23 de julho – GP da Hungria – Hungaroring
30 de julho – GP da Alemanha –  Hockenheim*
27 de agosto – GP da Bélgica – Spa-Francorchamps
3 de setembro – GP da Itália – Monza
17 de setembro – GP da Malásia – Sepang
1 de outubro – GP de Cingapura – Marina Bay
9 de outubro – GP do Japão – Suzuka
22 de outubro –  GP dos Estados Unidos –  Circuito das Américas
5 de novembro – GP do México – Hermanos Rodríguez
12 de novembro – GP do Brasil –  Interlagos*
26 de novembro  – GP de Abu Dhabi – Yas Marina

* etapas sujeitas a confirmação

A principal categoria do automobilismo mundial volta as pistas na atual temporada no dia 2 de outubro, na Malásia.

Curta: http://www.facebook.com/templodosesportes

Por Matheus Furlan

Apple estuda compra da McLaren. Equipe nega.

mclaren

Foto: Divulgação

Não é de hoje que a Apple, produtora do iPhone, vem buscando entrar no mundo do automobilismo, e de acordo com o jornal The Financial Times desta quarta feira, (21), a empresa estuda a compra da McLaren ou mesmo realizar um investimento no grupo de tecnologia inglês.

A Apple já tem um projeto de um carro elétrico no qual trabalha a dois anos e a aquisição da McLaren que viria bem a calhar para o desenvolvimento da fabricante do aparelho telefônico. Ainda de acordo com a publicação, algumas pessoas afirmam que as negociações foram inciadas a alguns meses.

Conhecida pelos carros de luxo e pela equipe de Fórmula 1, atualmente a McLaren está avaliada em US$1,3 bilhão de dólares e atualmente conta com motores Honda na principal categoria do automobilismo mundial e vem ganhando força e desempenho com relação à temporada passada.

Apesar da grande repercussão da transação, a McLaren tratou rapidamente de colocar os pingos nos “is”. Através de seu porta voz, o time negou as negociações; “Podemos confirmar que a McLaren não está em discussão com a Apple a respeito de qualquer investimento em potencial”.”Como seria de esperar, a natureza de nossa marca significa que temos regularmente conversas confidenciais com uma vasta gama de partes, mas vamos continuar mantendo isso de maneira confidencial”, afirmou.

Curta: http://www.facebook.com/templodosesportes

Por Matheus Furlan

NICO ROSBERG VENCE EM CINGAPURA E ASSUME A LIDERANÇA DO CAMPEOANTO

nico

Foto: Reprodução / Facebook Mercedes AMG Petronas – oficial

O GP de Cingapura da F1 é um dos mais bonitos da temporada e a largada sempre um ponto crítico e neste final de semana, não foi diferente. Rosberg não largou bem mas se manteve a frente, acontece que na metade do pelotão, Hulkenberg se colocou no meio dos adversários e acabou sendo tocado por Carlos Sainz, desta forma a Force Índia rodou e bateu no muro de proteção, ainda na reta de largada. Safety Car na pista.

Outro que se deu mal foi Valtteri Bottas. Com um pneu furado, a Williams foi obriagda a ir para os pits, mas com o carro de segurança no traçado, o prejuízo foi minimizado.

Na terceira volta o safety car deixou a pista e Hamilton tratou de ir para cima de Ricciardo, mas sem sucesso de conseguir a ultrapassagem. Massa aparecia em nono lugar e Nasr em 15°.

Quem abria caminho pelo final do pelotão era Vettel, que depois de largar na última colocação, após cinco voltas ocupava o 15° lugar. Rosberg liderava,  Ricciardo em segundo, Hamilton em terceiro.

A disputa em Cingapura passou a ficar monótona, sem ultrapassagens, Rosberg já levava mais de quatro segundos sobre Ricciardo, que por sua vez levava mais de dois segundos de vantagem para Hamilton. No pelotão intermediário, mudanças apenas por parada nos pits, Sainz foi para os pits e Massa ganhou uma posição, subindo assim para o oitavo lugar.

Na 19° volta, Massa que estava no terceiro lugar fez sua pardada, Raikkonen assumiu a ponta após a parada nos pits. A grande disputa da corrida passou a acontecer entr Kvyat da Toro Rosso e Verstappen da RBR, com o russo se mantendo a frente do holandês.

Depois de ganhar 16 posições, Vettel foi para os pits na 24° volta. Rosberg seguia na ponta, Ricciardo em segundo, Hamilton em terceiro, Raikkonen em quarto e Pérez em quinto. Massa em nono e Nasr em 14°.

Na 26° volta, Raikkonen chegou em Hamilton para a disputa da terceira colocação. Mercedes e Ferrari pelo terceiro posto.

Um dos momentos mas belos da disputa foi a ultrapassagem de Verstappen sobre Pérez na luta pelo 10° lugar, um grande trabalho do jovem da RBR. No pelotão da frente Raikkonen se aproveitou da travada de roda de Hamilton e fez um belo trabalho de ultrapassagem sobre o inglês da Mercedes.

Com 39 voltas completas, Rosberg seguia na ponta, Ricciardo em segundo, Raikkonen em terceiro, Hamilton em quarto e  Vettel em quinto.

Após 44 voltas, poucas brigas aconteciam no traçado, Hamilton passou a tirar a diferença para Raikkonen. Vettel e Verstappen começaram a lutar pelo quinto lugar. Massa fez mais uma parada e voltou em 13° lugar a frente de Nasr.

Na 48 volta, após uma demora na Ferrari em chamar Raikkonen para realizar a sua troca de pneus, Hamilton se aproveitou e com um desempenho melhor nas voltas anteriores e conquistou a terceira posição.

As voltas foram se passando e na altura do 50° giro, Rosberg começou a sofrer a aproximação de Ricciardo. Na 54° volta, Verstappen conseguiu ultrapassar Alonso na luta pela sexta colocação. Rosberg seguia na ponta, Ricciardo em segundo em Hamilton em terceiro.

Depois de uma perseguição durante todas as últimas voltas, Rosberg terminou com menos de meio segundo de vantagem para Ricciardo, um término de corrida muito bom para a RBR. Hamilon terminou em terceiro fechando o pódio.

O top-10 foi completou por Raikkonen, Vettel, Verstappen, Alonso, Pérez, Kvyay e Magnussen. Felipe Massa terminou em 12° e Felipe Nasr em 13° lugar.

Com a sua 22° vitória em 200 GPs disputados, Nico Rosberg da Mercedes volta a assumir a liderança do campeonato de pilotos com 273 pontos conquistados contra 265 pontos de Hamilton.

A F1 volta as pistas no dia 2 de outubro, na Malásia.

Curta: http://www.facebook.com/templodosesportes

Por Matheus Furlan

Prost é melhor que Senna e Schumacher segundo Ecclestone

alain-prost-williams-1993

Foto: blogs.diariodonordeste.com.br

Para você quem foi o melhor piloto de Fórmula 1 da história? Bem, sem cerimonias, Bernie Ecclestone afirmou com todas as letras em entrevista a Eddie Jordan  no programa Tor Gear que Alain Prost é o melhor de todos. “É difícil dizer, mas se tivesse que escolher um ao longo dos anos, escolheria o Prost. Ele foi melhor que Senna e Schumacher. Michael teve muita ajuda com os times por onde passou e com os companheiros, bem como o Senna. Mas o Prost nunca teve estes tipos de privilégios. Ele sempre teve rivais mesmo dentro das equipes”, afirmou.

Ta certo que a escolha do melhor é uma questão de opinião, Schumacher tem sete títulos, Senna três, Fangio que não foi citado pelo mandatário tem cinco e Prost que conquistou seu último título em 1993 com a Williams tem quatro conquistas.

Apesar da escolha, Bernie deixou claro que o seu piloto favorito era Jochen Rindt, que sagrou-se campeão em 1970. “Éramos muito próximos, companheiros e, inclusive, amigos. Sem dúvida é meu favorito, mas não o melhor de todos os tempos. Esse é Prost”.

A Fórmula 1 volta as pistas no dia 18 de setembro em Cingapura.

Curta: http://www.facebook.com/templodosesportes

Por Matheus Furlan

 

 

LIBERTY ANUNCIA PRIMEIRAS ESTRATÉGIAS NA F1

merce3des

Foto: Reprodução/Facebook Mercedes AMG Petronas – oficial

O grupo Liberty Media Corporation comprou a F1 pela bagatela de U$S 8,7 bilhões de dólares, uma soma financeira considerável, e no dia seguinte após o anuncio do negócio, o grupo já anunciou as primeiras estratégias para a principal categoria do automobilismo mundial:

Promoção da Fórmula 1 como esporte e marca;
Melhorar a distribuição do conteúdo, especialmente online;
Aumentar a gama de parceiros comerciais, incluindo patrocínios;
Desenvolver o calendário de corridas;
Usar a experiência da Liberty para alavancar eventos ao vivo e monetização digital.

Todas as estratégias citadas visão o desenvolvimento da categoria, em especial em uma área de atuação onde as demais categorias, são muito atuantes, a distribuição de conteúdo pelos meios de comunicação online.

Não é de agora que os novos fãs da categoria pedem tais medidas, mas sempre houve um bloqueio por parte dos “donos” da F1 em desenvolver tal ferramenta. Os novos proprietários pensam diferente, o que pode logo de cara atrair, ainda mais, a visibilidade para a categoria.

Curta: http://www.facebook.com/templodosesportes

Poe Matheus Furlan