Thiago Pereira e Etiene Medeiros são prata na Rússia

Foto: CBDA/Divulgação

Foto: CBDA/Divulgação

O nadador brasileiro Thiago Pereira conquistou a medalha de prata na disputa dos 200 m medley na manhã desta quinta feria, 6,  no Mundial de Esportes Aquáticos em Kazan na Rússia.

Pereira anotou o tempo de 1min56s65 e foi superado pelo norte-americano Ryan Lochte que com o tempo de 1min55s81 e sagrou-se tetracampeão da prova. O chinês  Wang Shun anotou o tempo de 1min56s81 e conquistou o bronze.

Essa foi a 34° medalha de Thiago Pereira em competições internacionais, juntando Pan-americanos, Mundiais, Olimpíadas e etc, e o nadador superou a lenda Gustavo Borges que havia conquistado 33 medalhas. As disputas do Mundial de Esportes Aquáticos seguem na Rússia.

Foto: CBDA/Divulgação

Foto: CBDA/Divulgação

No feminino a nadadora brasileira Etiene Medeiros conquistou a prata na disputa dos 50 m costas ao marcar to tempo de 27.26s. Essa foi a primeira conquista feminina nacional em Mundiais de piscina longa. O ouro ficou com Yuanhui Fu da China com o tempo de 27.11s e o bronze ficou com Xiang Liu da China com o tempo de 27.58s.

Um resultado maravilhoso da nadadora brasileira que vem mostrando toda a sua capacidade na Rússia.

Além destes dois, Nicholas Santos levou a medalha de prata na disputa dos 50 m borboleta com o tempo de 23.09s na segunda feira, 3.

Curta: http://www.facebook.com/templodosesportes

por: Matheus Furlan 

Anúncios

Ana Marcela é bicampeã mundial nos 25 km

Foto: CBDA/Divulgação

Foto: CBDA/Divulgação

A brasileira Ana Marcela Cunha venceu neste sábado, 1, a maratona aquática de 25 km e tornou-se bicampeã mundial na categoria. Com o tempo de 5h13min47s3, Ana Marcela repetiu o feito atingido em Xangai no ano de 2011. A nadadora sempre ficou entre as primeiras colocadas disputou a vitória com a húngara Olasz até a última volta da competição, mas faltando perto de 5 km para p final, Ana Marcela assumiu a ponta e conquistou a vitória.

Em segundo lugar ficou Anna Olasz da Hungria com o tempo de 5h14min13s4 e o terceiro posto ficou com Angela Maurer da Alemanha com o tempo de 5h15min07s6. No masculino Allan do Carmo foi o 16º e Diogo Villarinho, o 18°.

Essa foi a terceira medalha da brasileira em Kazan na Rússia que havia conquistado a prata na disputa por equipes de 5 km ao lado de Allan do Carmo e Diogo Villarinho e o bronze na disputa dos 10 km.

O Brasil tem três vagas garantidas nas maratonas aquáticas dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro em 2016: Ana Marcela, Allan do Carmo e Poliana Okimoto.

Curta: http://www.facebook.com/templodosesportes

por: Matheus Furlan

Brasil conquista duas medalhas no primeiro dia do Mundial de Judô

Foto: Divulgação ahebrasil.com.br

Foto: Divulgação ahebrasil.com.br

Nesta quinta feira começo a ser disputado o Grand Prix de Dusseldorf na Alemanha. A competição que faz parte do circuito mundial da modalidade teve um bom inicio para os brasileiros.

A atleta Rafaela Silva conquistou a medalha de ouro na categoria 57kg. A brasileira teve um longo caminho até chegar a medalha, uma a uma as adversárias foram sendo eliminadas. A  turca Derya Cibir foi a primeira, e na sequencia vieram a romena Loredana Ohai e a húngara Hedvig Karakas, nas semifinais Silve teve uma das lutas mais difíceis  da competição contra a  francesa Laetitia Blot, luta definida no golden score depois de oito minutos de combate.

Na finalíssima, Rafael Silva derrotou a mongol Sumiya Dorjsuren. Essa judoca já havia vencido a brasileira na etapa do Mundial na Rússia, mas com um ippon, o golpe perfeito no judô, Rafaela Silva conquistou a medalha dourada.

Além da medalha dourada da Silva, o Brasil conquistou uma medalha de bronze com Phelipe Pelim na categoria 60 kg. O brasileiro eliminou os dois primeiros adversário, mas acabou derrotado por Amiran Papinashvili, da Geórgia. Pelim foi para a repescagem e conseguiu passar por doius adversários, sendo o segundo o espanhol Francisco Garricos, o qual levou duas punições e um waza-ari do brasileiro, o que selou a segunda medalha brasileira no dia.

As competições seguem neste final de semana e esperamos que o Brasil conquiste mais medalhas em um esporte onde o nosso país vem crescendo cada vez mais.

Curta: https://www.facebook.com/TemplodosEsportes

por: Matheus Furlan

Brasil luta mas acaba eliminado do Mundial de Handebol

Foto: Wander Roberto / CBHb globoesporte.com

Foto: Wander Roberto / CBHb globoesporte.com

A Seleção Brasileira de Handebol foi eliminada do Mundial, neste domingo, ao perder para a Croácia, em um jogo muito equilibrado, pelo placar de 26 x 25, caindo mais uma vez nas oitavas de final ao perder por um gol de diferença, assim como no Mundial de 2013, quando a Rússia venceu os brasileiros por 27 x 23. Porém naquela oportunidade o Brasil ficou em 13º lugar, por ter vencido três duelos na primeira fase e neste ano ficou na 16ª posição, porque só ganhou dois jogos.

Mesmo assim vale destacar o crescimento do handebol masculino do Brasil. A equipe se mostrou muito forte, encarando de frente os principais times do mundo. Com certeza teremos resultados ainda melhores em breve.

Sobre as oitavas de final, o confronto contra os croatas foi complicado. Os europeus começaram na frente, mostrando sua força e colocaram três gols de diferença, mas os brasileiros não ficaram atrás por muito tempo, equilibraram novamente o placar e chegaram a virar em 9 x 8.  O duelo seguiu parelho até a reta final do primeiro tempo, quando o Brasil abriu dois gols de vantagem, 15 x 13. Era um cenário muito bom, mas tudo foi por água abaixo no início da segunda etapa, porque o Brasil demorou 7 minutos e 24 segundos para marcar novamente. Claro que os croatas já estava na frente nesta hora e permaneceram até os 10 minutos, quando o Brasil voltou a equilibrar.

A equipe de Jordi Ribera se acertou e conseguiu ficar novamente em vantagem no placar, mas na reta final os croatas tomaram a dianteira e não saíram mais. Os europeus abriram dois gols, que caiu para um, quando Thiagus marcou, mas não foi o suficiente para levar o jogo à prorrogação.

A vitória por 26 x 25 levou a Croácia para as quartas de final, fase em que enfrentará o vencedor do duelo entre Polônia e Suécia, que acontecerá nesta segunda-feira.

por: Rodrigo Bitar

adaptação: Matheus Furlan

Brasil sofre mas vence o Chile e avança no Mundial

Foto: Reuters / globoesporte.com

Foto: Reuters / globoesporte.com

A Seleção Brasileira masculina de handebol está classificada para as oitavas de final do Mundial. A equipe comandada pelo espanhol Jordi Ribera fez o que precisava, venceu o Chile, pelo placar de 30 x 22, e ficou com o 4º lugar do Grupo A, atrás de Espanha, Catar e Eslovênia. Agora os brasileiros enfrentarão a forte equipe da Croácia, uma das potências na modalidade.

O primeiro tempo do duelo foi complicado. Os chilenos, já eliminados, jogavam tranquilamente e, por não contarem com pressão, acertavam praticamente tudo. E mais, o goleiro rival ainda estava pegando tudo. Esse conjunto de coisas fez o Chile abrir três gols de diferença, 5 x 2, mas aos poucos o Brasil foi se recuperando e ficou apenas um gol atrás na saída do primeiro tempo, 13 x 12.

A volta do descanso foi excelente para o Brasil, que logo conseguiu virar e mostrar sua força. Os destaques do segundo tempo foram três: Bombom, Zeba e João. O primeiro fez milagres no gol verde e amarelo, não deixando a equipe adversária ampliar seu marcador. Por outro lado, Zeba mostrou toda sua experiência ao fazer sete gols em sete arremessos, um aproveitamento incrível de 100%. Quem também brilhou na parte ofensiva foi João Silva, de apenas 20 anos de idade. O jovem brasileiro que já atua no exterior ajudou, e muito, o Brasil, fazendo cinco gols, todos na segunda etapa. No final do duelo, a atuação do garoto foi reconhecida com o prêmio de MVP.

O placar de 30 x 22 mostrou um Brasil com duas faces, relaxada na primeira etapa, porque sabia que tem um time bem mais forte que o rival, e focada na segunda, chegando perto das atuações contra as equipes europeias e o Catar.

Se o Brasil continuar focado, jogando tudo o que sabe, tem chances de incomodar bastante a equipe da Croácia, que já foi campeã olímpica e mundial da categoria. Uma vaga para as quartas garante a maior participação brasileira em todos os mundiais masculinos.

Jogos do Brasil na Primeira Fase:

Catar 28 x 23 Brasil – 15/01 – 15h30 – Lusail Hall
Espanha 29 x 27 Brasil – 17/01 – 12h – Duhail Sports Hall
Brasil 34 x 29 Bielorrúsia – 19/01 – 12h – Lusail Hall
Eslovênia 35 x 32 Brasil – 21/01 – 12h – Duhail Sports Hall
Brasil 30 x 22 Chile – 23/01 – 12h – Lusail Hall

O duelo contra os croatas acontecerá no domingo, ainda em horário indefinido.

por: Rodrigo Bitar

adaptação: Matheus Furlan

Brasil perde e se complica no Mundial de Handebol

Foto: Thierry Gozzer / globoesporte.com

Foto: Thierry Gozzer / globoesporte.com

A Seleção Brasileira de handebol perdeu sua terceira partida no Mundial. O detalhe é que mais uma vez os brasileiros fizeram um bom jogo, mas deixaram a vitória contra a Eslovênia escapar nos destalhes. Já os europeus não perdoaram e fizeram 35 x 32.

O início do duelo teve o Brasil na frente, mas logo os europeus empataram em 4 x 4 e viraram na sequência.

A situação dos brasileiros estava complicada, mas no final do primeiro tempo a equipe de Jordi Ribera conseguiu o empate por 18 x 18. Ainda nos últimos segundos os eslovenos marcaram mais um tento e saíram para o intervalo com a vitória por 19 x 18.

A dinâmica da segunda etapa foi basicamente a mesma. Os europeus conseguiram ampliar a vantagem para quatro gols (28 x 24), faltando vinte minutos para o fim do duelo, mas os brasileiros novamente chegaram junto. E mais, dessa vez ultrapassaram os rivais no placar, fazendo 29 x 28. Porém, depois de assumir a liderança, o time verde e amarelo voltou a errar e se complicou novamente, perdendo por 35 x 32.

O grande destaque do duelo foi o ponta direita da Eslovênia, Dragan Gajic, autor de 12 gols no duelo, que levaram o atleta a artilharia da competição com 39 tentos. Pelo lado do Brasil o artilheiro foi novamente Borges, desta vez com sete gols.

Jogos do Brasil na Primeira Fase:

Catar 28 x 23 Brasil – 15/01 – 15h30 – Lusail Hall
Espanha 29 x 27 Brasil – 17/01 – 12h – Duhail Sports Hall
Brasil 34 x 29 Bielorrúsia – 19/01 – 12h – Lusail Hall
Eslovênia 35 x 32 Brasil – 21/01 – 12h – Duhail Sports Hall
Brasil x Chile – 23/01 – 12h – Lusail Hall

O time de Ribera ainda está no quarto lugar do Grupo A, mas entrará em quadra na sexta-feira precisando vencer o Chile. A equipe brasileira tem até a chance de se classificar com um empate em caso de derrota da Bielorrússia para o Catar, mas claro que não vale arriscar tal situação. O time segue jogando bem, agora tem que transformar as boas atuações em vitórias.

por: Rodrigo Bitar

adaptação: Matheus Furlan

Brasil vence primeira no Mundial de Handebol

Foto: Foto: Thierry Gozzer / globoesporte.com

Foto: Foto: Thierry Gozzer / globoesporte.com

A Seleção Brasileira de Handebol conseguiu sua primeira vitória no Mundial. A equipe de Jordi Ribera bateu a Bielorrússia pelo placar de 34 x 29 e conseguiu se recuperar na disputa, após as derrotas para Catar e Espanha. Os brasileiros ocupam o quarto lugar do Grupo A, portanto, estão na zona de classificação.

A evolução demonstrada contra os espanhois continuou e a equipe conseguiu brilhar em quadra e alcançar uma vitória com certa tranquilidade.

No início, o duelo foi equilibrado, mas logo o Brasil colocou três gols de vantagem, diferença que permaneceu por um bom tempo e só aumentou ao longo do duelo.

Os destaques na vitória foram os pontas, que conseguiram brilhar. Juntos, Borges e Chiuffa marcaram incríveis 16 gols, quase metade dos tentos do time, com destaque para o primeiro, que foi eleito o melhor atleta do duelo, por ter marcado nove gols.

Jogos do Brasil na Primeira Fase:

Catar 28 x 23 Brasil – 15/01 – 15h30 – Lusail Hall
Espanha 29 x 27 Brasil – 17/01 – 12h – Duhail Sports Hall
Brasil 34 x 29 Bielorrúsia – 19/01 – 12h – Lusail Hall
Brasil x Eslovênia – 21/01 – 12h – Duhail Sports Hall
Brasil x Chile – 23/01 – 12h – Lusail Hall

O duelo contra a Eslovênia, que acontecerá nesta quarta-feira, será de suma importância para os brasileiros. Uma vitória deixa a equipe dentro do G-4.

por: Rodrigo Bitar

adaptação: Matheus Furlan

Brasil perde a segunda no Mundial de Handebol

Foto: EFE / globoesporte.com

Foto: EFE / globoesporte.com

A Seleção Brasileira de handebol perdeu sua segunda partida do Mundial do Catar, dessa vez para a Espanha e pelo placar de 29 x 27. Apesar disso, a equipe de Jordi Ribera continua dependendo apenas de si para seguir viva na disputa, basta vencer os três jogos restantes da primeira fase, contra Bielorrússia, Eslovênia e Chile.

Sobre a partida contra os espanhois, o time brasileiro jogou bem melhor do que no primeiro jogo e custou a entregar as pontas para os atuais campeões. Aliás, o Brasil esteve à frente no placar no segundo tempo, o que não conseguiu fazer contra os cataris. O destaque do time verde e amarelo foi o goleiro Bombom, que pegou muito no duelo, mas não conseguiu parar todos os arremessos de Joan Cañellas, que estava com a pontaria em dia e marcou nove gols.

O fato é que o pior já passou. Os dois compromissos mais complicados na chave já passaram. Esperamos que a equipe brasileira continue com a mesma atitude que teve contra a Espanha, agressiva, buscando a vitória. Se estiver assim, as chances de fazer a melhor campanha da história, ultrapassando o 13º lugar obtido em 2013, são grandes.

Jogos do Brasil na Primeira Fase:

Catar 28 x 23 Brasil – 15/01 – 15h30 – Lusail Hall
Espanha 29 x 27 Brasil – 17/01 – 12h – Duhail Sports Hall
Brasil x Bielorrúsia – 19/01 – 12h – Lusail Hall
Brasil x Eslovênia – 21/01 – 12h – Duhail Sports Hall
Brasil x Chile – 23/01 – 12h – Lusail Hall

A próxima partida da Seleção será nesta segunda-feira, contra a Bielorrússia. Será um verdadeiro clima de final, porque o Brasil precisa vencer, independente do placar.

por: Rodrigo Bitar

adaptação: Matheus Furlan

Brasil perde na estréia do Mundial de Handebol

Foto: Thierry Gozzer  / globoesporte.com

Foto: Thierry Gozzer / globoesporte.com

A seleção do Catar era uma verdadeira incógnita no Mundial. Os mandantes têm um time repleto de estrangeiro, portanto ninguém sabia ao certo como eles entrariam em campo, o fato é que eles surpreenderam.

Os cataris saíram na frente e mostraram que o duelo seria tenso para os brasileiros, que pareciam afobados. Faltando dez minutos para o fim da primeira parcial a diferença entre as equipes era grande, 13 x 6 para os mandantes, que aproveitavam suas oportunidades e viam o Brasil continuar nervoso, mas a equipe de Jordi Ribera diminuiu a diferença para apenas dois gols, que foram ampliados para três antes do término da primeira etapa, 15 x 12.

O segundo tempo começou e os brasileiros não pararam de errar. A maior dificuldade era penetrar na defesa adversária, principalmente quando o time forçava uma bola com o pivô e perdia a chance de ataque. Do outro lado o Catar aproveitava as chances e acabou ampliando para 21 x 16. Uma reação até parecia difícil, mas a equipe brasileira acordou, foi para cima dos rivais e diminuiu a desvantagem para apenas um gol, 21 x 20, mas aí os erros voltaram a diferença final foi de cinco gols para os donos da casa, 28 x 23.

Os artilheiros do duelo foram Mahmoud Hassab Alla, do Catar, e Chiuffa, do Brasil, ambos com seis gols. Mesmo assim o destaque do duelo foi o goleiro Danijel Saric, nascido na Bósnia, que pegou tudo e mais um pouco, dificultando todo o trabalho do time verde e amarelo e fazendo com que o montenegrino Goran Stojanovic nem precisasse entrar para defender as redes cataris.

Jogos do Brasil na Primeira Fase:

Catar 28 x 23 Brasil – 15/01 – 15h30 – Lusail Hall
Brasil x Espanha – 17/01 – 12h – Duhail Sports Hall
Brasil x Bielorrúsia – 19/01 – 12h – Lusail Hall
Brasil x Eslovênia – 21/01 – 12h – Duhail Sports Hall
Brasil x Chile – 23/01 – 12h – Lusail Hall

Todas as outras equipes estrearão amanhã no Mundial, com destaque para a Espanha, que enfrentará a Bielorrússia, inciando a tentativa de conquista do bicampeonato consecutivo do torneio.

por: Rodrigo Bitar

adaptação: Matheus Furlan

Jordi Ribera confirma equipe que vai ao Mundial do Catar

Foto: Wander Roberto / Inovafoto / Photo&Grafia / ahebrasil.com.br

Foto: Wander Roberto / Inovafoto / Photo&Grafia / ahebrasil.com.br

O técnico da Seleção Brasileira de Handebol, Jordi Ribera definiu os 17 atletas que representarão o país no Campeonato Mundial de Doha, no Catar, que será disputado a partir de 15 de janeiro.

Para chegar ao número, o treinador espanhol foi obrigado a cortar quatro atletas, no caso o goleiro Maik Santos, o pivô Rogério Moraes e os pontas Carlos Castillo e Cleryston Novais. Ribera disse que a escolha não foi fácil. “Chegamos a um ponto em que os atletas têm um nível bem alto e que já entraram na filosofia de trabalho que adotamos para a seleção. Então, é sempre difícil essa escolha, que acaba sendo definida por pequenos detalhes”.

Com os cortes, a equipe brasileira está fechada. Confira os jogadores:

Goleiros
César Augusto Oliveira de Almeida
Luís Ricardo Miles do Nascimento

Pivôs
Alexandro Pozzer
Vinícius Santos Teixeira

Armadores
Arthur Malburg Patrianova
Fernando José Pacheco Filho
Guilherme Valadão Gama
Gustavo Nakamura Cardoso
José Guilherme de Toledo
Thiagus Petrus Gonçalves dos Santos

Pontas
Cléber Antônio de Andrade
Fábio Rocha Chiuffa
Felipe Borges Dutra Ribeiro
Lucas Cândido

Centrais
Diogo Kent Hubner
Henrique Selicani Teixeira
João Pedro Francisco da Silva

A equipe verde e amarela se reapresenta no dia 4 de janeiro para mais três dias de preparação aqui no Brasil. Depois, o time de Jordi vai para o Egito, onde disputará um torneio-amistoso contra os donos da casa, Marrocos e Arábia Saudita. Depois disso, a viagem será definitiva para o Catar.

O Brasil está no Grupo A do Mundial, ao lado de Catar, Espanha, Eslovênia, Bielorrússia e Chile. O sistema de disputa é o mesmo do feminino, em que quatro das seis equipes da chave avançam para as oitavas de final.

O grande objetivo do time verde e amarelo na disputa de 2015 é superar a melhor campanha, que foi um 13º lugar em 2013, na Espanha, quando caiu nas oitavas de final para a Rússia.

A tendência é que a primeira fase não seja das mais difíceis e vale fazer uma boa campanha para pegar um adversário teoricamente mais faco do Grupo B.

por: Rodrigo Bitar

adaptação: Matheus Furlan