Venus Williams: uma lição de jogadora e uma lição de vida

]venus

Foto Diuvlgação

Uma das maiores jogadoras da história do tênis, campeã de sete torneios de Grand Slams, milionária, consagrada, mas que ama o que faz, ama o esporte. Essa é Venus Williams, a grande personagem de Wimbledon em 2016. Derrotada na semifinal pela alemã Angelique Kerber, mas aplaudida de pé pela Quadra Central do torneio que ela mais venceu na carreira. É o brilhantismo e a força de vontade, uma campeã que nunca desistiu de lutar mesmo quando soube que sofria de uma doença que se tornaria a sua pior adversária na carreira.

A tenista Venus descobriu uma doença auto-imune em 2011 antes do US Open, que limitou o seu condicionamento físico a partir daí. A Síndrome de Sjogren, que ataca as glândulas que produzem suor e lágrimas, se tornou a grande adversária da carreira de Venus. Desde esse dia, ela não conseguiu manter-se regular durante todos os torneios, devido ao cansaço exaustivo que as suas partidas se tornaram, com a sua limitação física provocada pela doença e ainda mais acentuada com a idade.

Venus surgiu como um dos maiores talentos do tênis moderno, ao lado da irmã Serena. Duas tenistas que inovaram o tênis feminino, com uma potência nos golpes nunca vista antes. O chamado “tênis força” que prevaleceria nos próximos anos, protagonizado pelas irmãs Williams. Venus se tornou nº1 do mundo jovem, aos 22 anos, em fevereiro de 2002. Naquela época, ela e sua irmã Serena, dominavam o circuito feminino, a WTA. Antes disso, Venus já tinha sido campeã olímpica em Sidney, no ano de 2000. Foi campeã de duplas na mesma Olimpíada, ao lado de Serena. Conquistou vários títulos de Grand Slams, se consagrando como uma grande jogadora. Em Wimbledon, é uma das maiores, sempre unindo força, saque pesado e condição física invejável; condição essa, que mudaria nos próximos anos, devido à doença descoberta em 2011.

Em 2011, a ex-número 1 do ranking de simples e de duplas passou pelo maior drama de sua carreira, ao descobrir a doença, que já vinha limitando seu jogo durante o ano. Venus não atingiu as quartas de finais em nenhum dos quatro Grand Slams da temporada, algo raro em sua carreira até aquele momento. A norte americana terminou o ano na posição 102º do ranking mundial, a pior de sua carreira ao final de uma temporada e sem nenhum título conquistado, algo que não ocorria desde 2006.

Desde 2012, sempre se esperou e houve uma torcida pela recuperação total de Venus, pelo seu talento, sua capacidade de jogar em alto nível e pelo estilo de jogo agressivo que sempre marcou a sua carreira. Os altos e baixos marcaram esse período que se estende até 2016. Em 2015, ela deu um salto importante no ranking, conquistando títulos em torneios tradicionais e dando a impressão que retornaria ao seu alto nível de outrora, mesmo sofrendo com a doença e com as limitações físicas impostas. Ela retornaria ao Top 10, depois de alguns anos afastada do seleto grupo das melhores tenistas. A maior expectativa era ver Venus brilhando em um torneio de Grand Slam, marca registrada de sua carreira, e isso aconteceria exatamente no maior torneio do tênis mundial e de sua vida, Wimbledon.

Rodada após rodada, a torcida por Venus foi se intensificando em Wimbledon. A garra demonstrada, a força do saque, o poder de ataque, mesmo contrastando com os altos e baixos, os erros não forçados devido à perda de potência durante os jogos, tornaram as partidas da tenista verdadeiros espetáculos de emoção. Ela foi passando de fase até chegar à sua grande adversária, a atual campeã do Australian Open, Angelique Kerber. Em um jogo marcado por altos e baixos das duas jogadoras, Venus cometeu mais erros e foi eliminada. No entanto, fica a campanha, uma semifinal alcançada no maior torneio de todos, aos 36 anos, sofrendo por uma doença.

Essa é Venus. A sua garra, determinação, força de vontade e amor pelo esporte venceram o imponderável, venceram uma doença difícil, que a cada dia limita ainda mais sua condição física. Isso só faz dela uma campeã no maior sentido da palavra. Uma campeã na quadra e na vida. Uma lição de jogadora, uma lição de vida. Uma lenda da história do esporte.

Por Guilherme Azevedo para o site Jogo em Pauta (www.jogoempauta.com)

 

Anúncios

Bottas lidera segundo dia de testes em Barcelona

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

O finlandês Valtteri Bottas da Williams liderou o segundo dia de testes em Barcelona na Espanha. Com o tempo de 1m23s261 conquistado no período da tarde e com pneus supermacios, Bottas desbancou Hamilton com a Mercedes que marcou o tempo de 1m23s622.

A terceira colocação ficou com Kevin Magnussen, da Renault, com o tempo de 1m23s933. A Sauber foi para a pista com o sueco Marcus Ericsson que ocasionou a única bandeira vermelha da sessão depois que seu modelo perdeu traseira direita, fazendo assim com que a equipe ficasse praticamente em último lugar no dia. Digo praticamente, porque Esteban Gutiérrez  da Haas, andou apenas uma volta e recolheu aos boxes, pois a equipe novata teve problemas no sistema de combustível do carro.

Confira a classificação do segundo dia da segunda sessão de testes da F1:

1º) Valtteri Bottas – Williams/Mercdes – 1min23s261 – 107 voltas

2º) Lewis Hamilton – Mercedes – 1min23s622 – 73 voltas

3º) Kevin Magnussen – Renault – 1min23s933 – 126 voltas

4º) Sebastian Vettel – Ferrari – 1min24s611 – 151 voltas

5º) Jenson Button  – McLaren/Honda – 1min25s183 – 121 voltas

6º) Daniel Ricciardo – RBR/TAG Heuer – 1min25s235 – 135 voltas

7º) Carlos Sainz  – STR/Ferrari – 1min25s300 – 166 voltas

8º) Sergio Pérez – Force India/Mercedes – 1min25s593 – 128 voltas

9º) Nico Rosberg – Mercedes – 1min26s298 – 91 voltas

10º) Pascal Wehrlein – Manor/Mercedes – 1min27s064 – 79 voltas

11º) Marcus Ericsson – Sauber/Ferrari – 1min27s862 – 52 voltas

– Esteban Gutiérrez – Haas/Ferrari – sem tempo

Os trabalhos em Barcelona seguem até a próxima sexta feira, 4.

Curta: http://www.facebook.com/templodosesportes

por: Matheus Furlan

Williams desiste de recurso contra desclassificação de Massa

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

A desclassificação do brasileiro Felipe Massa #19 após o término do GP do Brasil de Fórmula 1 causou grande revolta na equipe Williams que prometeu recorrer da decisão.

Nesta semana, a equipe inglesa, através de um comunicado afirmou que desistiu de recorrer da decisão da entidade máxima do automobilismo mundial. De acordo com as palavras do comunicado que foi publicado no site inglês “Autosport”, a equipe afirmou que o custo desta batalha é desnecessário, uma vez que a equipe está em contensão de custo e que neste momento o time está focado em 2016.

Confira o comunicado:

“Após análise detalhada, a equipe concluiu que, apesar de não concordar com a exclusão e acreditar que tem provas suficientes para contestar com sucesso a decisão, não vai apelar formalmente da decisão, tendo em vista que é pouco provável que haja uma data disponível para a audiência após o fim da temporada, impactando em um momento em que o time deseja voltar suas atenções para 2016. Dada a situação financeira do esporte e o fato da decisão não impactar na posição no Campeonato de Construtores, foi decidido que seria um custo desnecessário”.

Com a desistência da Williams, Massa estaciona nos 117 pontos e desta forma praticamente dá adeus na disputa do quarto lugar no mundial de pilotos, uma vez que o brasileiro está a 19 pontos de seu companheiro de equipe Valtteri Bottas que ocupa o quarto lugar com 136 pontos e 18 de Kimi Raikkonen da Ferrari que soma 135.

A F1 volta as pistas no dia 29 de novembro em Abu Dhabi com a última etapa de 2015.

Curta: http://www.facebook.com/templodosesportes

por: Matheus Furlan

Felipe Massa é desclassificado do GP Brasil

Foto: facebook.com/WilliamsF1Team

Foto: facebook.com/WilliamsF1Team

Felipe Massa não teve um dos melhores finais de semana. A bordo de sua Williams #19, o piloto brasileiro não conseguiu achar o acerto perfeito do carro e terminou a disputa em Interlagos na oitava posição, uma colocação que lhe dava quatro pontos na tabela de classificação.

Mas cerca de um hora e meia depois veio o comunicado oficial da FIA de que Massa estava desclassificado da etapa brasileira por irregularidades no carro.

Antes dos carro irem para a pista, comissários da entidade passam verificando todos os carros do grid em temperatura e calibragem de pneus e acontece que o composto traseiro direito da Williams de Felipe Massa apresentou alterações.

Na temperatura foi constatado um aumento de 27 graus °C, a temperatura era de 137° C quando deveria ser de 110° C. A calibragem também estava fora de especificação, o carro do brasileiro apresentava 20,6 psi, ou seja, 0,1 psi acima da pressão minima inicial.

A situação foi levada ao comissário da prova que enquadraram Massa por violação dos seguintes artigos:  o artigo 12.5.1 do Regulamento Técnico, o artigo 3.2 do Regulamento Desportivo e do artigo 12.1.1.i do Código Desportivo Internacional da FIA.

“A temperatura do pneu traseiro direito foi medida de acordo com a diretiva técnica da FIA TD/029-15. A equipe não obedeceu aos regulamentos técnicos e esportivos da F-1, ao código esportivo internacional da FIA e às instruções da fornecedora oficial da categoria na prévia do evento”, informou o comunicado da FIA a respeito da desclassificação de Massa.

Rob Smedley, diretor da equipe Williams foi chamado para conversar, mas não conseguiu reverter a decisão dos comissários que excluíram o brasileiro da etapa e com isso Massa perdeu os quatro pontos conquistados em Interlagos.

Desta forma, Grosjean da Lotus passou ao oitavo lugar, Verstappen ao nono lugar e Maldonado entrou na zona de pontuação chegando ao 10° posto. Massa por sua vez volta a somar 117 pontos na tabela de classificação do mundila da categoria.

Lembrando que durante a realização do GP de Monza, Itália de 2015, Lewis Hamilton passou por situação parecida. O inglês da Mercedes venceu a etapa mas não foi desclassificado pela FIA.

Curta: http://www.facebook.com/templodosesportes

por: Matheus Furlan

Williams anuncia a renovação de Bottas e Massa para 2016

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

Através de uma rede social, os próprios, Valtteri Bottas #77 e Felipe Massa #19 anunciaram as suas renovações de contrato com a equipe Williams para a temporada 2016 da Fórmula 1.

Massa falou: “Estou muito feliz  por fazer parte da família Williams”, disse Massa. “Estou no meu segundo ano aqui e estou muito contente por ficar, já que estamos trabalhando muito bem juntos,” enquanto Bottas disse: “Estou muito satisfeito em ficar na equipe para a quarta temporada na F1.Devo agradecer a todos na Williams pela contínua confiança em mim.” O finlandês chegou a flertar com a Ferrari, mas a equipe italiana acabou por renovar contrato com Kimi Raikkonen.

Felipe Massa é o quinto colocado no mundial de pilotos com 82 pontos conquistados enquanto Bottas é o sexto com 79. Já no mundial de construtores a equipe inglesa ocupa a terceira posição no geral com 161 pontos, atrás de Mercedes (426) e Ferrari (242).

A próxima etapa do Mundial de F1 acontece nos dias 4, 5 e 6 de setembro em Monza na Itália.

Curta: http://www.facebook.com/templodosesportes

por: Matheus Furlan

Hamilton vence e Massa termina em quarto após erro de estratégia da Williams

Foto: twitter.com/MercedesAMGF1

Foto: twitter.com/MercedesAMGF1

Inicio espetacular no GP de Silvertone da Inglaterra para Felipe Massa da Williams que na largada partiu da terceira colocação para a liderança ultrapassando as Mercedes. Bottas  que partiu de quarto também largou muito bem, chegou a assumir a segunda posição mas logo foi ultrapassado por Hamilton, mas logo atrás um toque entre as Lotus de Grosjean e Maldonado e as McLaren de Button e Alonso, sendo que os três primeiros abandonaram a disputa e Alonso teve que ir para os boxes para trocar o bico do carro.

A entrada do carro de segurança foi necessária, e o mesmo ficou por três voltas. Quando relargaram Hamilton foi para cima de Massa. O inglês foi de forma excessiva para a ultrapassagem e acabou perdendo o traçado e foi ultrapassado por Bottas, Hamilton ainda teve que se defender do ataque de Rosberg que em quarto lugar tentou mas viu o companheiro de equipe mudar de traçado na sua frente.

Na metade do pelotão a briga entre as Ferrari e as RBR fez com que o Hulkenberg assumisse a quinta colocação e Vettel caísse para o nono posto.

Na altura da 10° volta Bottas com muito mais rendimento foi para cima de de Massa, Hamilton colado no finlandês  ficava só de olho no que estava acontecendo, Rosber em quarto seguia forte.

Felipe Nasr da Sauber acabou por não largar pois após ter um problema no warm up o seu carro não ficou de acordo para a disputa, uma pena para o brasileiro do carro #12.

Foto: twitter.com/WilliamsRacing

Foto: twitter.com/WilliamsRacing

Na 15° volta, Vettel foi para os boxes, Raikkonen fez a sua parada na volta anterior, enquanto isso no pelotão da frente tudo na mesma, Massa, Bottas, Hamilton e Rosberg nas quatro primeiras posições.

As paradas dos ponteiros começaram e Hamilton foi o primeiro na 20° volta, com isso conseguiu voltar a frente de Massa que parou na volta seguinte, que parou junto com Rosberg e ambos voltaram colados e  com a parada na 22° volta de Bottas, ele voltou entre Massa e Rosberg então as primeiras quatro posições  ficaram: Hamilton, Massa, Bottas e Rosberg.

Com 30 voltas completas, as primeiras posições não sofreram alterações, Hamilton, Massa, Bottas e Rosberg, quem aparecia em quinto e sexto lugares eram as Ferrari de Raikkonen e Vettel respectivamente.

A corrida a partir de então passou a ser monótona, uma vez que Hamilton abriu mais de cinco segundos na liderança, Massa abriu uma vantagem confortável por assim dizer de Bottas e Rosberg não atacava o finlandês da Williams como deveria.

Foto: twitter.com/F1

Foto: twitter.com/F1

Na 33° volta, Sainz da Toro Rosso teve problemas e parou o seu carro bem na área de escape na entrada da reta, ou seja, o safety car virtual foi acionado, com isso todos os pilotos tem que manter as suas posições em um limite de velocidade determinado.

Na 35° volta o safety car virtual foi desabilitado, mas a chuva chegou em Silverstone, nada muito forte mais que começou a preocupar os pilotos e equipes.

Na 38° volta a chuva chegou com força em determinada parte do circuito e com isso os tempo aumentaram. Bottas não conseguiu segurar Rosberg e acabou ultrapassado, Hamilton escapou do traçado, Massa seguia em segundo lugar a essa altura.

Na 41° volta, Rosberg chegou em Massa e sem muitas dificuldades e com um carro muito mais equilibrado o alemão da Mercedes fez a ultrapassagem sobre o brasileiro da Williams, desta forma os primeiros ficaram, Hamilton, Rosberg, Massa e Bottas.

Foto: twitter.com/F1

Foto: twitter.com/F1

A chuva chegou de vez e Hamilton foi o primeiro a parar. Rosberg, Massa e Bottas começaram a passar apuros na pista e na 45° voltas, Massa e Bottas fizeram suas trocas para pneus intermediários, da mesma forma que Hamilton. Mas a demora da equipe Williams em chamar Massa e Bottas para os boxes, fez com que a dupla perdesse a posição para Vettel da Ferrari, com isso os três primeiros eram a essa altura, Hamilton, Rosberg e Vettel.

A corrida foi se encaminhando para o seu final. Sem nenhuma disputa por posição nas últimas voltas, Hamilton conquistou a vitória, a sua terceira em Silvertone, as outras duas foram em 2008 e 2014, anos em que o inglês sagrou-se campeão da categoria. Rosberg terminou em segundo, Vettel em terceiro se aproveitando do erro de estratégia da Williams, Massa em quarto, Bottas em quinto.

Confira a classificação final do GP de Silvertone:

Foto: twitter.com/F1

Foto: twitter.com/F1

Campeonato

Hamilton conquista mais 25 pontos e amplia a vantagem sobre Rosberg que agora é de 17 pontos, confira:

1° Lewis Hamilton 194 pontos;

2° Nico Rosberg 177 pontos;

3° Sebastian Vettel 135 pontos;

4° Valtteri Bottas 77 pontos;

5° Kimi Raikkonen 76 pontos;

6° Felipe Massa 74 pontos;

11° Felipe Nasr 16 pontos.

A próxima etapa da Fórmula 1 acontece no dia 26 de julho na Hungria, pista travada e que vai exigir muito da pressão aerodinâmica dos carros.

Curta: http://www.facebook.com/templodosesportes

por: Matheus Furlan

Começam as especulações da dança das cadeiras na F1

Foto: wap.hupu.com

Foto: wap.hupu.com

A temporada 2015 da Formula 1 esta perto de sua metade e a dança das cadeiras começa a se agitar. Todos estão de olho na possível vaga de Kimi Raikkonen da Ferrari que não vem tendo o desempenho desejado pela equipe italiana. O favorito para ficar com a vaga, caso o finlandês não renove, é Valtteri Bottas, que também é finlandês e  que atualmente negocia a sua renovação de contrato com a Williams.

De acordo com o jornal Bild da Alemanha, a equipe italiana já até teria feito uma proposta a equipe inglesa para a liberação de Bottas, já de acordo com a revista Omnicorse, Esteban Gutiérrez, atualmente reserva na Ferrari seria o favorito a ficar com a vaga de Raikkonen devido a pressão de seus patrocinadores. Mas a movimentação na Ferrari faz com que outras equipe se movimentem.

Neste caso a possível saída de Bottas abriria uma vaga na Williams e o favorito a esse lugar é Felipe Nasr que já foi piloto reserva da equipe e atualmente esta na Sauber, outro que poderia aparecer no time inglês é Nico Hulkenberg que atualmente esta na Force Índia e busca um melhor desempenho nas próximas temporada da F1.

A própria Force Índia é a menina dos olhos para alguns pilotos uma vez que a equipe pode trocar os seus dois pilotos da mesma forma que a Lotus, uma vez que Grosjean parece garantido mas Maldonado ainda não sabe se terá o se aporte financeiro para continuar na equipe.

É tudo especulação! Mas que algumas devem se tornar realidade em breve, não é de se duvidar. A F1 volta no dia 5 de julho em Silverstone na Inglaterra.

Curta: http://www.facebook.com/templodosesportes

por: Matheus Furlan

Nets empatam série diante do Hawks

Foto: peachtreehoops.com

Foto: peachtreehoops.com

Muitos esperavam que o Atlanta Hawks conseguisse a vaga na próxima fase da NBA com certa facilidade sobre o Brooklyn Nets, que vem sempre entre altos e baixos, mas a situação não está sendo nada disso.

Após abrir  2 – 0, o Hawks viu o Nets crescer e se acertar em quadra e na noite desta segunda feira, 27, a equipe chegou a igualdade no placar, 2 – 2 após partida emocionante que foi para o tempo extra. Com a equipe titular inspirada, o Brooklyn até começou melhor o jogo, e venceu o primeiro quarto por 25 x 24, mas no segundo a situação não chegou nem perto e o Atlanta sobrou e conquistou a vitória por 27 x 20, levando assim seis pontos de vantagem para o intervalo.

O descanso fez com que as equipes voltassem mais determinadas para o segundo tempo. Com um jogo mais aberto e os ataques funcionando efetivamente, o Hawks mais uma vez levou vantagem no placar parcial após fechar em 31 x 29 e foi para o quarto quarto com oito pontos de vantagem.

O quarto quarto começou com o Nets acertando um belo arremesso de três pontos com Williams #8  e a partir daí bola para ele, que ele resolve, todos arremessos e passes que já passavam pelo camisa 8 começaram a se intensificar e faltando menos de sete minutos para o término do jogo os Nets já estavam na frente do placar com cinco pontos de vantagem. A vantagem não foi sustentada e o placar final no tempo regulamentar ficou em 104 x 104.

No tempo extra o jogo ficou emocionante, a torcida jogava junto, cada arremesso cada cesta, cada passe era um incentivo a mais e isso contagiou  a equipe que cresceu no momento certo, fez os pontos necessários e conseguiu vencer o tempo extra por 16 x 11 e fechou  a partida em 120 x 115 empatando a série em 2 – 2.

O cestinha e nome do jogo foi Williams #8 do Nets com 35 pontos na partida, mas o camisa #11, Lopez com 26 pontos também foi decisivo. No Hawks o destaque ficou por conta de Teague #0 com um duplo-duplo de 20 pontos e 11 assistências e Carroll #5 também com 20 pontos.

A próxima partida da série acontece no dia 29 de abril em Atlanta.

Confira os últimos resultados da NBA:

domingo, 26:

Boston Cestics 93 x 101 Cleveland Cavaliers (Cleveland classificado, 4 – 0)

San Antonio Spurs 105 x 114 Los Angeles Clippers (série empatada em 2 – 2)

Washington Wizards 125 x 94 Toronto Raptors (Washington classificado, 4 – 0)

Dallas Mavericks 121 x 109 Houston Rockets (série em 3 – 1 para o Houston)

segunda feira, 27:

Brooklyn Nets 120 x 115 Atlanta Hawks (série empatada em 2 – 2)

Chicago Bulls 88 x 94 Milwaukee Bucks (série em 3 – 2 para o Chicago)

Portland Trail Blazers 99 x 92 Memphis Grizzlies (série em 3 – 1 para o Memphis)

Mais dois jogos dos playoffs acontecem nesta terça feira, 28. O Houston recebe o Dallas buscando confirmar a classificação enquanto Clippers e Spurs se enfrentam em Los Angeles na busca de ficar mais próximo da fase seguinte da NBA.

Curta: http://www.facebook.com/templodosesportes

por: Matheus Furlan

Felipe Massa lidera primeiro dia de testes

Foto: grandepremio.uol.com.br

Foto: grandepremio.uol.com.br

O brasileiro Felipe Massa #19 da Williams fechou na liderança o primeiro dia de testes da terceira sessão de treinos da Fórmula 1 em 2015.

O brasileiro anotou o tempo de 1.23.500 e anotou 103 voltas. Massa que marcou o tempo com pneus macios andou na maioria do tempo com pneus médio e fez uma simulação de corrida. em segundo lugar ficou Marcus Ericisson da Sauber com o tempo de 1.24.276, e foi o piloto que mais andou nesta quinta feira, 26, com o total de 122 voltas.

Mais uma vez a McLaren ficou pelo caminho. Jenson Button andou apenas 7 voltas e anotou como melhor tempo, 1.31.479, mais uma vez o carro da equipe inglesa apresentou problemas e deixou o piloto #22 na mão.

Confira os tempos nesta quinta feira, 26:

1° Felipe Massa – Williams, 1min23s500 – 103 voltas
Marcus Ericsson – Sauber, 1min24s276 – 122 voltas
Lewis Hamilton – Mercedes, 1min24s881 – 48 voltas
Daniil Kvyat – Red Bull, 1min25s947 – 75 voltas
Romain Grosjean – Lotus, 1min26s177 – 75 voltas
Kimi Räikkönen – Ferrari, 1min26s327 – 80 voltas
Carlos Sainz Jr – Toro Rosso, 1min26s962 – 86 voltas
8° Jenson Button – McLaren, 1min31s479 – 7 voltas

Os testes da F1 continuam até o próximo domingo, 1 de março em Barcelona.

Curta: http://www.facebook.com/templodosesportes

por: Matheus Furlan

Ricciardo lidera segundo dia de testes em Barcelona, Massa é 3°

Foto: amigosdavelocidade.uol.com.br

Foto: amigosdavelocidade.uol.com.br

Nesta sexta feira, 20, foi realizado o segundo dia da segunda sessão de testes da F1 realizado em Barcelona na Espanha.

Os melhores tempos do dia foram obtidos no período da manhã. Daniel Ricciardo da RBR anotou a volta em 1.25.574 e andou cerca de 140 voltas, em segundo lugar ficou Kimi Raikkonen da Ferrari com o tempo de 1.25.584, apenas 0.010 atrás do australiano.

Na terceira posição o brasileiro Felipe Massa da Williams com o tempo de 1.25.672. Massa concluiu no total 88 voltas e obteve este tempo apenas no final do dia. A Mercedes foi o carro que mais andou com 154 voltas, sendo 66 de Rosberg no período da manhã.o alemão se recupera de uma lesão no pescoço e 88 do Hamilton no período da tarde.

A McLaren andou 59 voltas com Fernando Alonso, o melhor tempo do espanhol foi de 1.25.961, mostrando uma bela evolução da equipe.

Confira os tempos desta sexta feria:

1° Daniel Ricciardo – Red Bull, 1min24s574 – 142 voltas
Kimi Raikkonen – Ferrari, 1min24s584 – 90 voltas
3° Felipe Massa – Williams, 1min24s672 – 88 voltas
Sergio Perez – Force India, 1min24s702 – 121 voltas
Lewis Hamilton – Mercedes, 1min24s923 – 88 voltas
Nico Rosberg – Mercedes, 1min25s556 – 66 voltas
Fernando Alonso – McLaren, 1min25s961 – 59 voltas
Jolyon Palmer – Lotus, 1min26s280 – 77 voltas
Marcus Ericsson – Sauber, 1min27s344 – 113 voltas
10° Carlos Sainz – Toro Rosso, 1min28s945 – 100 voltas

Os testes da F1 seguem até domingo, 22, em Barcelona na Espanha.

Curta: http://www.facebook.com/templodosesportes

por: Matheus Furlan