Adhemar: De São Caetano para a Alemanha com a patada de Tatuí

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

Adhemar Ferreira de Camargo Neto nasceu em Tatuí(SP), e apareceu para o futebol brasileiro com uma idade em que muitos atletas já se preparam para encerrar a carreira. Ele tinha 28 anos, e depois de muitas passagens por equipes do interior paulista, surgiu no São Caetano, e entrou para a história ao levar o clube do ABC a disputar a final do Campeonato Brasileiro de 2000.
Dono de um dos chutes mais fortes do futebol brasileiro, Adhemar marcou gols que ficaram marcados na história. Diante de 56 mil torcedores no Maracanã, Adhemar bateu uma falta da zona intermediária de ataque, fazendo com que o modesto São Caetano eliminasse o Fluminense da Copa João Havellange, no ano 2000.
Ele foi ouvido pelo site Jogo em Pauta e na entrevista a seguir contou curiosidades sobre sua carreira, as dificuldades para se tornar um atleta profissional, além de sua passagem pelo futebol alemão.
Jogo em Pauta: Quais foram os momentos mais difíceis na sua carreira de atleta profissional de futebol?
Adhemar: Os momentos mais difíceis que tive foi quando cheguei ao São Caetano. Foi no ano de 1997, e esse momento complicado permaneceu até 1999, principalmente por conta da passagem de vários treinadores. Não conseguia me firmar entre os titulares, coisa que só aconteceu com a chegada do Jair Picerni ao clube. É muito complicado para os aspectos psicológicos porque quando você não atua, várias coisas passam pela sua cabeça. Quando fui jogar no futebol da Alemanha, outros fatores dificultavam a adaptação. Eu fiquei lá dois anos e tentei fazer o meu melhor. Na Europa, enfrentei várias situações difíceis, como por exemplo em relação à adaptação ao sistema de jogo, alimentação, cultura o clima; e dentro do que eu me propus, eu ajudei o clube a permanecer na primeira divisão. E o Stuttgart se mantém até hoje na primeira divisão num campeonato que tem o nível muito alto.
Jogo em Pauta: Qual sua opinião sobre o novo mercado do futebol chinês que se abre aos atletas brasileiros?
Adhemar: O futebol chinês é um novo mercado se se abre ao futebol mundial. Antigamente, esses novos mercados eram representados pelos países árabes, e posteriormente o Japão. A China está em primeiro lugar no mundo em quase todos os aspectos. No mercado econômico, nos esportes olímpicos, afinal o país sempre está entre os primeiros no quadro de medalhas dos jogos olímpicos. Agora a tendência está voltada para o futebol chinês. Afinal de contas, a China está se preparando para isso, assim como o Japão fez anos atrás. Inclusive o Japão já disputou e sediou Copa do Mundo. Vários profissionais brasileiros foram atuar lá: Zico, Leonardo Toninho Cerezo, Nelsinho Baptista, que foram percursores desse desenvolvimento. Então, o futebol japonês evoluiu de um estágio semiprofissional para o profissional. Graças à exportação de mão de obra brasileira no futebol, creio que a China alcançará o mesmo estágio que o Japão e a Coréia já têm no futebol asiático.
Jogo em Pauta: Você jogou no futebol do Japão, e retornou ao futebol brasileiro pensando em encerrar a carreira jogando num clube daqui, mas não conseguiu. É uma frustração em sua carreira?
Adhemar: Eu voltei do futebol japonês e queria me despedir jogando pelo São Caetano. Na verdade eu ainda tenho esse sonho. Infelizmente, fui obrigado a abandonar os gramados por conta do meu problema de hipertireoidismo. Vários jogadores que fizeram história pelo São Caetano, ainda esperam esse reconhecimento. Afinal de contas, levamos o São Caetano a feitos inimagináveis para um clube de pequeno porte. Disputamos finais de dois campeonatos brasileiros seguidos, além de chegarmos à final da Libertadores. Isso sem contar o título paulista de 2004. Ainda esperamos por esse reconhecimento, mas sabemos que no mundo do futebol a ingratidão é muito grande; e com isso eu fico um pouco chateado.
Jogo em Pauta: Você conhece bem o futebol alemão, pelo fato de ter atuado na Bundesliga. E o Brasil foi eliminado da última Copa do Mundo sofrendo uma goleada histórica de 7 a 1 frente à Alemanha. Num jogo de dois favoritos, numa copa do mundo disputada em casa, para você esse resultado foi uma surpresa? Houve uma pressão na equipe brasileira pelo fato de jogar em casa, ou a Alemanha estava realmente muito à frente do Brasil?
Adhemar: O resultado aplicado pela Alemanha foram os frutos de um excelente trabalho que eles realizaram. No futebol de lá, a prioridade é a organização e a seriedade tanto dos clubes, quanto da federação alemã. E isso possibilitou que o trabalho fosse realizado com profissionalismo. O Alemão pensa o futebol de maneira coletiva, em que a obediência tática é fundamental. No futebol brasileiro acontece justamente o contrário. Nosso sangue latino nos dá a tendência ao desespero, ao contrário da frieza alemã. Tudo o que foi plantado pelo futebol alemão, ou seja, a goleada aplicada na Seleção Brasileira e o título mundial representam muito pouco em relação a todo o trabalho que foi feito por lá. Temos muitas estrelas no futebol brasileiro, mas devido ao ego individual, essas estrelas não brilham e uma acaba ofuscando a outra. Ao contrário do futebol alemão, em que a prioridade é o coletivo. Quando joguei lá, e saímos perdendo um jogo. No meu pensamento, eu queria logo empatar a partida. Mas meus companheiros me pediam paciência. No Brasil é o oposto. Quando se toma o primeiro gol, logo chega o desespero. Com isso, falta organização e obediência tática dentro da partida. São características que sobram nos alemães, mas faltam nos brasileiros.
Jogo em Pauta: Se você fosse convidado a ser técnico do São Caetano aceitaria o desafio? Ser técnico é algo que passa pela sua cabeça?
Adhemar: É difícil que eu venha ser treinador do São Caetano. Mas eu gostaria de trabalhar no clube, fazendo parte da organização. Isso é importante para o atleta enquanto ser humano, pois muitos encerram a carreira, e não estão preparados para a vida pós -futebol. Eu gostaria de ser útil de alguma forma, creio que minha experiência dentro de campo poderia ser interessante ao clube. Mas infelizmente, os dirigentes preferem dar oportunidades a outros profissionais ao invés de nos colocar lá, que temos história e já lutamos pelo São Caetano.
Jogo em Pauta: No futebol, qual foi o momento mais importante da sua carreira?
Adhemar: O momento mais importante da minha carreira foi quando eu percebi que deveria ser profissional e não boleiro, treinar, me dedicar, respeitar horários e o momento de glória foi o gol no maracanã, contra o Fluminense pela Copa João Havelange de 2000.
Jogo em pauta: Você tinha 28 anos de idade quando apareceu para o futebol brasileiro. Foi o seu auge. Você estava no lugar certo no momento certo?
Adhemar: Aos 28 anos estava no São Caetano, será que era o momento certo? Como estávamos numa equipe pequena e chegamos à final, a visibilidade foi muito grande. Fico muito feliz de ter feito parte daquele grupo que foi a Família Azulão.
Jogo em Pauta: Na sua opinião o que faltou para que o São Caetano pudesse conquistar os títulos brasileiros nas duas finais que disputou? E em relação à Libertadores? O resultado do jogo final entre Vasco x São Caetano na Copa João Havelange foi justo por conta dos acontecimentos em São Januário?
Adhemar: Foi uma injustiça a perda do título em 2000, principalmente por conta dos acontecimentos nos bastidores em São Januário. Naquela partida final, nós perdemos o foco e acabamos perdendo o título no Maracanã. No ano seguinte, em 2001, perdemos para o Atlético Paranaense, num lance bobo em Curitiba. Com relação à Libertadores foi o auge, um orgulho pois o São Caetano, com menos de 25 anos de história chegou à decisão, coisa que muitos outros times não conseguiram. A derrota, infelizmente, faz parte e por isso mesmo, que o futebol é emocionante.
Jogo em Pauta: O hipertireoidismo que você teve é o mesmo problema que teve o Ronaldo Fenômeno?
Adhemar: Eu tive o problema de hipertireoidismo, mas faço tratamento com medicamentos ingerindo hormônios sintéticos. Essa questão de saúde, é muito complicada porque nós jogadores de futebol, nunca estamos preparados para encerar a carreira. Só que o término faz parte do futebol. Enquanto estive lá, no campo de jogo, eu tentei dar o meu melhor e procurei deixar a minha marca. Entretanto, nem sempre as coisas saem como planejamos. Deixei o meu legado no futebol, e acredito que aqueles que conviveram comigo podem falar mais de mim do que eu mesmo.
Jogo em Pauta: Quais são os objetivos de sua escolinha? Ela é voltada mais para o social ou para revelar futuros jogadores?
Adhemar: Nossos objetivos no Porto Feliz Centro de Aperfeiçoamento é preparar os atletas nos aspectos físicos, técnicos e psicológicos. Afinal de contas, alguns podem chegar à fama, outros não, de modo que a preocupação social é importante. Procuramos dar condição para que o atleta se desenvolva. Além disso, essa história de que empresário de futebol coloca jogador onde quer não é uma verdade absoluta, pois o principal diferencial ainda é o talento, que possibilitará o atleta chegar onde ele deseja.
Foto: Arquivo pessoal

Foto: Arquivo pessoal

Jogo em Pauta: E o Adhemar comentarista esportivo. Poderia apontar três times brasileiros favorito a conquistar títulos na temporada 2016?
Adhemar: O futebol brasileiro passa por um período de extrema rotatividade, com mudança de elenco dos clubes. Vivemos numa época de semiprofissionalismo, pois algumas pessoas que não conhecem futebol estão no comando. Veja só no futebol europeu, o Zidane está treinando o time B do Real Madrid, e aqui no Brasil isso não acontece. Por isso, é complicado escolher os três favoritos a títulos no futebol brasileiro, pois as circunstâncias podem mudar tudo no meio do caminho.

 

Jogo em Pauta: Quais foram os momentos mais marcantes na sua passagem pelo Sttutgart?
Adhemar: Bati um recorde no Sttutgard, pois fui o primeiro jogador estrangeiro a marcar três gols no jogo de estreia. A curiosidade na minha passagem pelo futebol alemão é que os atletas não podiam levantar a camisa ao comemorar gols, e eu, recém chegado à Alemanha, não tinha essa informação e levantei a camisa.
Jogo em Pauta: Qual sua opinião em relação ao atual campeonato paulista? Você acredita que o Paulistão possa perder espaço para as novas ligas interestaduais?
Adhemar: O Campeonato Paulista ainda é muito forte, tem um nível muito alto, pois os times do interior tem muita qualidade, e a disputa é equilibrada tanto na série A1 quanto na A2. Com relação à criação da Liga dos clubes brasileiros, seria positivo, pois facilitaria para os clubes nos momentos de negociar direitos de transmissão de televisão e outros assuntos relacionados aos aspectos financeiros. Entretanto, o campeonato estadual não pode acabar. Os torneios estaduais deveriam sim, ter o sistema de pontuação classificatório para os torneios nacionais, para que os times do interior também pudessem aparecer na mídia. Afinal de contas, os times do interior ainda proporcionam muita emoção ao torcedor.
Por Ivan Marconato para o site Jogo em Pauta (www.jogoempauta.com)
Anúncios

Evento no Azulão marca 20 anos de Nairo Ferreira à frente do clube do ABC

A noite do dia 15 de janeiro foi especial em São Caetano do Sul.  Um coquetel marcou o 20 aniversário de Nairo Ferreira de Souza no comando da Associação Desportiva São Caetano. Sócios, funcionários, políticos da cidade e também do esporte estiveram presentes na sede social do clube para relembrar os feitos do clube do ABC paulista. A noite de festa serviu para que os presentes relembrassem os importantes títulos conquistados pelo São Caetano.
f: Ivan Marconato

f: Ivan Marconato/jogoempauta.com

Os integrantes da tradicional torcida uniformizada, Bengala Azul, também estiveram no salão nobre do clube.  Dentre os títulos mais importantes, estão o campeonato da terceira divisão do Paulistão, em 1990, quando Serginho Chulapa defendeu o time do ABC. No ano seguinte, veio o acesso à divisão de elite, com mais um título estadual. Sete anos depois, o primeiro título nacional, da série C do Brasileirão.  Mas foi a partir do ano 2000, que o São Caetano tornou-se uma potência no futebol nacional.
O presidente da câmara municipal da cidade, e também do conselho deliberativo do clube, Paulo Egídio Botura Ramos, relembrou a história.
”  Tudo começou com o Luiz Tortorello, uma história gloriosa que já tem 20 anos. No ano 2000, o Azulão foi vice campeão do módulo amarelo, disputou a final do módulo verde, e por pouco, não conquistou a série A do Brasileirão. No ano seguinte, fomos finalistas novamente, depois vieram a final da Libertadores e o título estadual em 2004. Sem dúvida nenhuma, são feitos importantes para o clube, e também para a cidade”; ressaltou Ramos.
Nairo Ferreira de Souza, muito emocionado, também relembrou campanhas ao longo dos seus 20 anos comandando o “Azulão”. Nairo disse que o trabalho em equipe foi fundamental nessas conquistas.
“Essa homenagem do conselho deliberativo é uma honra para mim, sou mais vencedor do que perdedor. É marcante homenagear os dirigentes e funcionários”; explicou Nairo.
O presidente do “Azulão” também opinou quanto à parte futebolística. ” Houve uma reformulação geral no plantel, e na parte administrativa, depois de três rebaixamentos seguidos. Nosso trabalho tem pé no chão, sem grandes estrelas e grandes nomes. Mas pretendemos voltar a esse estágio”, afirmou Nairo Ferreira.
Os políticos da cidade também marcaram presença na solenidade na sede social da Associação Desportiva São Caetano. O prefeito da cidade, Paulo Pinheiro, também compareceu, e foi um dos homenageados da noite. Pinheiro agradeceu Nairo Ferreira, ressaltando que o trabalho do clube de futebol da cidade é um esforço de pessoas abnegadas que desejam melhorias tanto para o clube, quanto para a cidade de São Caetano do Sul.
“São pessoas que vibram e torcem pelo bem do São Caetano. É muito importante observar esse espírito de harmonia e união entre aqueles que gostam do clube”; disse o prefeito.
Ele ainda ressaltou que a cidade não teve destaque somente no futebol. ” São Caetano do Sul também tem outras modalidades que se sobressaem no esporte amador, precisamos dar continuidade a esse trabalho”; explicou Paulo Pinheiro.
O presidente da Federação Paulista de Futebol, Reinaldo Carneiro Bastos também esteve presente na solenidade em São Caetano do Sul. Bastos disse que a decisão da Copa João Havelange, que determinou o campeão brasileiro de futebol da série A, no ano 2000, foi muito injusta.
” Para mim, no ano 2000, o verdadeiro campeão brasileiro foi o São Caetano. No ano seguinte, o Azulão novamente foi finalista, e em 2002, finalista da Libertadores”; ressaltou Bastos.
Além disso, o dirigente disse que é importante respeitar a história do clube que foi campeão paulista em 2004. “O São Caetano deve ser respeitado e representado junto à Federação Paulista de Futebol e também perante à CBF. Temos orgulho da história do Azulão”; explicou Reinaldo Carneiro Bastos.
por: Ivan Marconato

Verdão e amarelo: Palmeiras está de volta à elite

Sábado, 16h20, Pacaembu. Uma das últimas vezes que o Palmeiras repetirá essa cena na Série B.

Foto: campeoesdofutebol.com.br

O Verdão recebeu o São Caetano e estreou seu terceiro uniforme, que tem como cor principal o amarelo e secundária o Verde. Essa é a homenagem do clube ao seu centenário, que será em 2014, ano de Copa do Mundo no Brasil. Isso acontece, principalmente, pois o Palmeiras foi o primeiro time a levar seu elenco inteiro para representar a Seleção Brasileira, na inauguração do Mineirão, no dia 7 de setembro de 1965, contra o Uruguai, em jogo que terminou com o placar de 3 x 0 para o Verdão.

A estreia do novo uniforme não foi das melhores. Os jogadores estavam muito afobados para fazer um gol, afinal seu nome ficaria registrado na história como o atleta que fez o gol do acesso, mas isso atrapalhou demais.

Foto: Marcos Ribolli / Globoesporte.com

A torcida chegou a vibrar com um pênalti marcado, mas, logo depois, a arbitragem anulou a marcação. Que não foi pênalti é fato, mas a grande discussão é a validade da anulação, afinal foi o bandeirinha que avisou o árbitro, o qual nem parou para pensar e reverteu a situação. Os palmeirenses reclamaram muito, mas a decisão foi mantida.

O 0 x 0 não foi um placar justo, afinal o Verdão atacou bem mais do que o Azulão, mas acabou desperdiçando as chances que criou.

Mesmo com o empate, o Palmeiras garantiu vaga na elite do futebol brasileiro em 2014, aliás, ela veio desde o ano passado quando a equipe caiu, mas foi confirmada nesse final de semana. O Verdão voltou para o lugar de onde não deveria ter saído.

Resultados da rodada:

(5º) Icasa 1 x 0 Figueirense (10º)

(17º) Atlético-GO 0 x 0 Chapecoense (2º)

(4º) Avaí 3 x 0 Bragantino (13º)

(15º) Oeste 2 x 1 ABC (16º)

(7º) Joinville 1 x 0 Paraná (6º)

(14º) América-RN 1 x 0 Ceará (9º)

(1º) Palmeiras 0 x 0 São Caetano (19º)

(3º) Sport 4 x 2 ASA (20º)

(12º) Guaratinguetá 0 x 0 Boa Esporte (11º)

(8º) América-MG x Paysandu (18º) – partida acontece dia 29/10

O Palmeiras segue em busca do título do torneio e, na próxima rodada enfrenta o Paraná fora de casa.

Faltam apenas nove pontos para o título, que podem ser conquistados em apenas três jogos, ou menos, caso o Chapecoense ajude.

por: Rodrigo Bitar

adaptação: Matheus Furlan

Verdão vence e se manten líder

foto fonte: dicasgratisnanet.blogspot.com

foto fonte: dicasgratisnanet.blogspot.com

Jogando em São Caetano o Verdão conseguiu mais uma bela vitória  na Série B. Tá certo que levou um susto no primeiro tempo com o gol de Giovanni e teve que correr atrás do prejuízo durante boa parte da partida. E o São Caetano que já não é mais o mesmo teve mais oportunidades de ampliar a placar mas não conseguiu.

Já no segundo tempo, Allan Kardec, que fase, veio do Benfica com uma má impressão após sua passagem pelo Santos, mas essa já foi apagada. O atacante vem marcando gols nas última partidas  e ontem fez um belo gol. Passou por três jogadores do Azulão e tocou na saída do goleiro. 1 x 1. E olha que o Verdão estava muito melhor e teve outras grandes chances.

 

O zagueiro Henrique teve uma grande chance de cabeça mas foi para fora, na segunda oportunidade a bola sobrou na entrada da pequena área e ele não teve dó. Mandou com força sem dar a menor chance para o arqueiro do time do grande ABC. 2 x 1.

Com a vitória o Palmeiras abre  nove pontos para o quinto colocado e se coloca em uma situação muito privilegiada na tabela e só é ameaçado pela Chapecoense que soma 29 pontos após a vitória  por 3 x 0 sobre o Atlético-Go, contra 31 do Palmeiras, mas com um jogo a menos.

Estou ansioso para ver o duelo entre os alviverdes.

Resultados da 13° rodada:

Figueirense 3 x 0 Icasa

Chapecoense 3 x 0 Atlético-GO

São Caetano 1 x 2 Palmeiras

ASA 2 x 4 Sport

Ceará 2 x 1 América-RN

BOA 2 x 0 Guaratinguetá

ABC 0 x 0 Oeste

Paraná 1 x 1 Joinville

Bragantino 1 x  1 Avaí

Paysandu 0 x 2 América-MG

Classificação após 13 rodadas:

 

P J V E D GP GC SG
Palmeiras 31 13 10 1 2 28 9 19
Chapecoense 29 12 9 2 1 29 12 17
Sport 24 13 8 0 5 25 21 4
Paraná 23 13 6 5 2 18 8 10
Figueirense 22 13 7 1 5 27 21 6
América-MG 22 12 6 4 2 25 17 8
Joinville 21 13 6 3 4 25 16 9
Boa-MG 20 13 5 5 3 13 14 -1
Ceará 17 13 4 5 4 17 17 0
10° Icasa 16 13 5 1 7 17 27 -10
11° Bragantino 16 13 4 4 5 13 13 0
12° Avaí 16 13 4 4 5 16 19 -3
13° Oeste 16 13 4 4 5 13 18 -5
14° Guaratinguetá 14 13 4 2 7 17 22 -5
15° Atlético-GO 13 13 4 1 8 9 19 -10
16° ASA-AL 13 13 4 1 8 13 24 -11
17° São Caetano 13 13 3 4 6 15 16 -1
18° América-RN 13 13 3 4 6 14 22 -8
19° Paysandu 12 13 3 3 7 14 21 -7
20° ABC-RN 7 13 1 4 8 9 21 -12

 

A Série B está tão equilibrada quanto a Série A, e a próxima rodada acontece já neste final de semana.

Deixe a sua opinião, teremos o maior prazer em responde-los.

por: Matheus Furlan

Fora de casa, o Verdão tenta se manter na ponta da tabela!

fonte foto: uol.com.br

fonte foto: uol.com.br

Líder do Campeonato Brasileiro da Série B, o Palmeiras já pensa na partida contra o São Caetano, pela 13ª rodada do torneio nacional.

O elenco se reapresentou na Academia de Futebol. Valdivia não foi relacionado pois está mantendo o planejamento de recuperação física traçado pela comissão técnica. Com histórico de lesões, o camisa 10 tem uma programação especial de treinamentos e até em algumas partidas. Em seu lugar teremos o paraguaio Mendieta.

O time alviverde quer melhorar o seu desempenho sem o meia que, antes de sua recuperação era de 66,6%, com quatro vitórias e duas derrotas. Hoje, nos seis últimos jogos com o chileno, o aproveitamento é de impressionantes 88,8% e o ataque tem 18 gols. Valdivia participou de dez desses tentos: marcou dois, deu assistência para três e iniciou a jogada de outros cinco.

Além do meia, Gilson Kleina tem mais dois problemas para a rodada desta terça-feira. O volante Charles terá de cumprir suspensão automática por ter recebido cartão vermelho e o atacante Vinicius, que teve uma leve entorse no tornozelo direito. Se o treinador quiser manter o esquema tático com três volantes, o uruguaio Eguren e Marcelo Oliveira são opções.

O técnico testou a equipe com Eguren, mantendo o 4-4-2, e depois usou Vinicius, passando para o 4-3-3. Mas, como o atleta está fora desta rodada, Ananias poderá fazer a função de terceiro atacante.

Desta forma, o possível Verdão que enfrenta hoje o São Caetano é Fernando Prass no gol; Luis Felipe, Vilson, Henrique e Juninho na zaga; Eguren, Márcio Araújo, Wesley e Mendieta no meio de campo; Leandro e Alan Kardec no ataque.

O Palmeiras está com 28 pontos no Campeonato Brasileiro da Série B, dois a mais do que a Chapecoense, que tem um jogo a menos.

Copa do Brasil e Vai e Vem:

E hoje, o Verdão conheceu o seu primeiro adversário na Copa do Brasil deste ano. O time alviverde, que já entra nas oitavas de final da competição e que defende o título conquistado em 2012, enfrenta o Atlético-PR.

fonte foto: placar.abril.com.br

fonte foto: placar.abril.com.br

Após o sorteio dos confrontos das oitavas de final da Copa do Brasil, o vice-presidente de futebol do Flamengo, Wallim Vasconcelos, e o diretor executivo do Palmeiras, José Carlos Brunoro, foram almoçar juntos e a possibilidade de transferência de Valdivia foi um dos assuntos da conversa. O Flamengo já prepara uma proposta pelo camisa 10 que já foi aprovado pelo técnico Mano Menezes.

 

Décima Terceira Rodada da Série B:

6 de agosto Chapecoense Santa Catarina Goiás Atlético Goianiense Arena Condá, Chapecó
19:30 Árbitro: ParanáPR Antônio Denival de Morais

6 de agosto São Caetano São Paulo São Paulo Palmeiras Estádio Anacleto Campanella, São Caetano do Sul
19:30 Árbitro: São PauloSP Flávio Rodrigues Guerra

6 de agosto ASA Alagoas Pernambuco Sport Estádio Fumeirão, Arapiraca
19:30 Árbitro: GoiásGO Elmo Alves Resende Cunha

6 de agosto Ceará Ceará Rio Grande do Norte América de Natal Estádio Castelão, Fortaleza
19:30 Árbitro: PiauíPI Antônio Dib de Moraes Sousa

6 de agosto Figueirense Santa Catarina Ceará Icasa Estádio Orlando Scarpelli, Florianópolis
19:30 Árbitro: Mato GrossoMT Wagner Reway

6 de agosto Paysandu Pará Minas Gerais América Mineiro Estádio da Curuzu, Belém
21:50 Árbitro: Rio de JaneiroRJ Rodrigues Nunes de Sá

6 de agosto ABC Rio Grande do Norte São Paulo Oeste Estádio Frasqueirão, Natal
21:50 Árbitro: BahiaBA Manoel Nunes Lopo Garrido

6 de agosto Bragantino São Paulo Santa Catarina Avaí Estádio Nabi Abi Chedid, Bragança Paulista
21:50 Árbitro: Mato Grosso do SulMS Paulo Schleich Vollkopf

6 de agosto Paraná Paraná Santa Catarina Joinville Estádio Vila Capanema, Curitiba
21:50 Árbitro: Rio Grande do NorteRN Pablo Ramon Gonçalves Pinheiro

6 de agosto Boa Esporte Minas Gerais São Paulo Guaratinguetá Estádio Melão, Varginha
21:50 Árbitro: PernambucoPE Gilberto Rodrigues Castro Júnior

 

Deixe seu comentário que responderemos em breve.

por: Guilherme Fenelon

Paulistão Chevrolet 2013, Santos empata com São Caetano

fonte foto: futebolpaulista.com.br

fonte foto: futebolpaulista.com.br

Com pouca repercução devido aos jogos da Libertadores, o Campeonato Paulista Chevrolet 2013 teve o inicio da rodada antecipada.

Com grande destaque, Santos e São Caetano jogaram no Pacaembu e em pataram por  1 x 1, Jael de falta logo aos seis minutos do primeiro tempo marcou para o Azulão, e o Santos cansou de perder gols, e olha que foram varias chances com Neymar, Montillo e Giva.

No segundo tempo, o São Caetano em quase acertou outra falta, mas o travessão salvou o Rafael. Mas também em cobrança de falta Neymar acertou o pé e empatou o jogo. Bela cobrança do jogador que evitou a derroto do Santos e o deixa em terceiro lugar na classificação do Paulistão Chevrolet 2013.

O São Caetano por sua vez é o vice-lanterna com 12 pontos e ve cada vez mais perto o rebaixamento para a série A2 do Paulistão.

Confira os demais resultados do Paulistão:

XV de Piracicaba 2  x 0 Bragantino

Ituano 0 x 0 União Barbarense

Santos 1 x 1 São Caetano

O restante da 17° rodada acontece neste final de semana.

Deixe a sua opinião, teremos o maior prazer em responde-lo.

por: Matheus Furlan

No Pacaembu, Santos recebe o São Caetano

fonte foto: globoesporte.com

fonte foto: globoesporte.com

O grande objetivo do Santos agora é encaminhar a classificação às quartas de final do Campeonato Paulista entre os quatro primeiros, já que já está classificado. O Peixe vai a campo hoje, às 19h30, e recebe o desesperado São Caetano, no Pacaembu, pela 17ª rodada do Estadual.

Para ter a vantagem do mando de campo nas fase decisivas da competição, o Santos conta com Neymar, que está a dois gols de ganhar mais uma posição no ranking dos maiores artilheiros da história do clube (atualmente é o 14º, com 132 gols) e com a volta de Léo.

Em terceiro lugar, com 32 pontos, o Peixe está três atrás do líder São Paulo e a dois da Ponte Preta, mas com dois de vantagem em relação ao Corinthians, primeira equipe fora do grupo dos quatro melhores do torneio.

Já o Azulão, vice-lanterna com apenas 11 pontos, precisa desesperadamente somar pontos para se manter na briga pela permanência na Série A1. O Azulão está três pontos atrás do Ituano, 16º colocado e primeiro time hoje fora da zona de rebaixamento.

Nos dois últimos anos, o Santos não conseguiu vencer o São Caetano. No Paulistão de 2011, as duas equipes empataram por 3 a 3 em Barueri e ano passado o Azulão venceu por 2 a 1, no ABC. A última vitória santista foi pelo Paulistão de 2010.

Com mudanças nas duas laterais, o Peixe vai a campo com: Rafael Cabral; Rafael Galhardo, Neto, Durval e Léo; Renê Júnior, Alan Santos, Cícero e Montillo; Neymar e Giva. O Santos não contará com Arouca (estiramento na região postero-medial da coxa direita), Bruno Peres (lesão no músculo adutor da coxa esquerda), Edu Dracena (tendinite) e Miralles (edema na coxa esquerda).

Já o Azulão deve entrar em campo com: Fábio; Bruno Aguiar, Eli Sabiá e Adriano (Bustamante); Samuel Xavier, Moradei (Pirão), Fabinho, Éder (Pedro Carmona) e Diego; Danielzinho (Jobson) e Jael.

Aposto em uma vitória do Santos, já que o time do São Caetano está bem fraco nesta temporada e com grande risco de cair para a série A2 do Paulista. 2×0 para o time da casa, gols de Neymar e Giva. Já apostei, e você vai apostar?  Então entre no ApostasOnline.com.

Deixe seu comentãrio e palpites que responderemos com o maior prazer.

por: Guilherme Fenelon

São Caetano 2 x 4 São Paulo – 2a Rodada – Paulistão

fonte foto: lancenet.com.br

fonte foto: lancenet.com.br

O técnico Ney Franco deixou o volante Wellington no banco para escalar um trio de meias: Jadson, Maicon e Ganso. Sem o seu “cão de guarda”, a retaguarda tricolor ficou exposta. Não foram raras as vezes em que os zagueiros Lúcio e Toloi tiveram de sair da área para tentar matar jogadas nas laterais – falha típica de defesas que não têm cobertura.

Esse problema, porém, só ficou evidente depois dos 25 minutos. Antes, o jogo parecia sob o controle do São Paulo. Com Osvaldo inspirado, o time do Morumbi não demorou a abrir o placar. Aos 13, o rápido atacante desceu pela esquerda em velocidade. Deixou três marcadores para trás, invadiu a área e rolou para Luis Fabiano, que só teve o trabalho de empurrar para o gol. Dava a impressão que o Tricolor teria vida tranquila no Anacleto Campanella.

O São Caetano também apostou em velocidade.  Jobson infernizava a zaga adversária e aos 24 minutos, o atacante desceu pela esquerda, deixou zagueiro Lúcio para trás com facilidade e rolou para Danielzinho chutar no canto direito de Rogério Ceni. Golaço!

Aí o Azulão viu a deficiencia tricolor e não levou mais um no minuto para ampliar o placar. Em um lance que evidenciou a pane do seu setor defensivo: a bola foi esticada da lateral direita, ainda no campo de defesa do São Caetano. Jobson, sozinho, entrou pelo meio e só empurrou na saída de Ceni. Lúcio estava na intermediária e não conseguiu alcançar. Toloi só assistiu “de camarote”o lance.

Em desvantagem, sem muita coordenação o tricolor foi para cima do adversário. Ganso e Jadson não fizeram nada. O gol de empate sortudo saiu aos 45, Maicon arriscou o chute, a bola desviou na zaga e encobriu o goleiro.

Luis Fabiano garante o resultado!

No segundo tempo, Ney Franco tirou Maicon e colocou Wellington. Com o volante à frente, a zaga tricolor deixou de passar tantos apuros.

Com o sistema de defesa recomposto, o Tricolor ganhou tranquilidade para trocar passes e construir jogadas. No entanto, faltou ímpeto. Lento, o time demorava a chegar ao ataque. Osvaldo não tinha com quem tabelar, já que Cortez, que costuma chegar à frente para apoiar o ataque pelo lado esquerdo, foi sacado para a entrada de Carleto, que não chega tanto.

Então, aos 27 minutos, Fabuloso tentou tabelar com Douglas, perdeu a bola, mas conseguiu recuperar, ao seu estilo, e chutar rasteiro colocando o São Paulo à frente mais uma vez.

fonte foto: lancenet.com.br

fonte foto: lancenet.com.br

O jogador tirou um peso das costas e desabafou após o jogo, rebatendo aos gritos de “pipoqueiro” da torcida do Azulão.

“Eles tiveram a infelicidade de me incomodar. Apenas retribuí o carinho. Não estou preocupado com o que eles falam. Eu me preocupo com o são-paulino, que me apoia. A resposta aos torcedores do São Caetano está dentro da rede”, disse o camisa 9 tricolor.

Com os dois gols desta quarta-feira, Luis Fabiano reassumiu a artilharia do São Paulo no ano. Ele já deixou sua marca seis vezes e é seguido de perto por Jadson, com cinco. O que eu disse ontem antes do jogo?! Tem que ficar de olho nesse cara. MATADOR!

O clube do Morumbi ainda teve tempo de marcar mais um, nos acréscimos. Aloísio, que havia entrado no lugar de Ganso, completou de cabeça cruzamento de Carleto.

Vejam os gols logo abaixo:

 

No próximo sábado, o São Paulo recebe o Linense no Morumbi, às 18h30. P. H. Ganso não está confirmado entre os titulares!

 

Deixe o seu comentário que teremos o maior prazer em respondê-lo.

por: Guilherme Fenelon

São Caetano X São Paulo – 2a Rodada do Paulistão

Hoje teremos a segunda rodada do Paulitão Chevrolet que foi adiada por conta da primeira partida da Pré-Libertadores que o Tricolor Paulista disputou contra o Bolívar-BOL.

fonte foto: forcatricolorspfc.blogspot.com

fonte foto: forcatricolorspfc.blogspot.com

Hoje o técnico Ney Franco dará mais uma chance para o meia Paulo Henrique Ganso. Ele ganhou a vaga de titular e a promessa do técnico Ney Franco de ter uma sequência à frente do São Paulo. Por isso, o confronto com o São Caetano, nesta quarta-feira, às 19h30m, no Anacleto Campanella, pelo Paulistão, é visto pelo jogador com muita importância.

Só que o adversário conta com outro maestro com passagens pela Seleção e pelo Tricolor. Rivaldo é a aposta do Azulão para encontrar seu rumo este ano. Além de Jobson, carrasco do tricolor do Morumbi em várias oportunidades.

fonte foto: esportes.r7.com

fonte foto: esportes.r7.com

O São Paulo tem o segundo melhor aproveitamento no Paulistão com 72,2% e fica atrás apenas da líder Ponte Preta, que somou 75% dos pontos disputados. Já o time do ABC ainda não se encontrou na temporada. Da vitória na estreia sobre o Atlético Sorocaba para cá, foram seis jogos sem vitórias. O meia Rivaldo, porém, deu novo ânimo ao Azulão. O pentacampeão mundial estreou com gol diante do Corinthians e ajudou o São Caetano a conquistar um empate diante dos atuais campeões mundiais. Ele também deixou sua marca diante do Bragantino, mas, foi mais uma derrota para o time. O Azulão segue na vice lanterna do Paulista com apenas cinco pontos conquistados. Mas uma vitória hoje tira o time dssa complicada situação.

O técnico Geninho fará quatro mudanças em relação à derrota para o Bragantino. O goleiro Fábio Costa está com uma lesão no dedo e será substituído por Fábio. Suspenso, o zagueiro Gabriel dá lugar ao estreante Jaime Bustamante. Ainda na defesa, Eli Sabiá retorna ao time no lugar de Adriano Alves. Por fim, Marcone entrará na vaga de Éder no meio-campo. Assim, a provável formação do Azulão é: Fábio, Samuel Xavier, Jaime Bustamante, Eli Sabiá e Pirão; Marcone, Moradei, Leandro Carvalho e Rivaldo; Danielzinho e Jobson.

Já o técnico tricolor, Ney Franco, além de dar uma nova chance a Ganso como titular, não antecipou quem será sacado do time titular. A melhor opção seria escalar Jadson juntamente com Ganso, deixando o atacante Aloísio na reserva. Na minha opinião ele sacará ellington do time titular, pois o técnico disse que ele já vem falhando algmas vezes nas derrotas do time na Libertadores. E, como Paulo Miranda passará por uma cirurgia no joelho esquerdo, Douglas assumirá o posto. O São Paulo deve entrar em campo com: Rogério Ceni, Douglas, Lúcio, Toloi e Cortez; Denilson, Jadson (Wellington), Ganso, Aloísio; Osvaldo e Luis Fabiano.

Ficaremos de olho em Rivaldo e, além de Ganso, em Luis Fabiano que depois de uma boa arrancada, com quatro gols em três jogos, hoje ele amarga uma série de três partidas sem marcar.

fonte foto: uol.com.br

fonte foto: uol.com.br

Aposto em uma vitória Tricolor! 2×0 para os visitantes. Apostem também o ApostasOnline.com.

Deixe o seu comentário que teremos o maior prazer em respondê-lo.

por: Guilherme Fenelon

Rivaldo no São Caetano?

Depois de anunciar Jobson, atacante do Botafogo, o Azulão se movimenta devagar na tentativa de trazer o meio-campo de 40 anos.

foto fonte: esportes.r7.com.br

foto fonte: esportes.r7.com.br

Rivaldo que até pouco tempo estava jogando na Angola, esta em plena forma e pode ser um dos grande destaques do Azulão na temporda de 2013. Apesar da diretoria do São Caetano não confirmar as negociações, como diz o presidente do clube, Nairo Ferreira de Souza afirmou em ligadação do globoesporte.com,  “Não tem nada do Rivaldo, não. Trouxemos o Jobson por enquanto. Não sei de mais nada”.

O jogador irá pedir licença da presidencia do Mogi Mirim para atuar como atleta do São Caetano, tramiti parecido com o que ele fez para jogar pelo São Paulo.

por: Matheus Furlan