André Marques vence a primeira na Fórmula Truck

Neste final de semana a Fórmula Truck  esteve em Cascavel para a disputa da oitava etapa da temporada 2016 e pela primeira vez André Marques venceu na categoria que disputa a seis temporadas.

Na primeira parte da corrida, Marques largou na pole e segurou Giaffone e Pachenki que passaram a lutar pela segunda colocação sendo que Pachenki levou a melhor. Mais atrás  diversas ultrapassagens, mas quem acabou pelo caminho foi Leandro Totti com problemas de motor, mas o grande ponto da primeira parte da corrida foi o acidente de Débora Rodrigues que acabou por capotar seu Volkswagen/MAN após ser por Raijan Mascarello. Tudo bem com a piloto do caminhão #7 e de acordo com a direção de prova a disputa foi normal.

A entrada do caminhão de segurança praticamente decretou o final da primeira parte da corrida que teve a seguinte classificação:

1) André Marques (RM Competições), 19 voltas em 25min19s482
2) Diogo Pachenki (Copacol Truck Racing), a 2s222
3) Felipe Giaffone (RM Competições-MAN), a 5s451
4) Adalberto Jardim (RM Competições-MAN), a 11s179
5) Roberval Andrade (Dakar Motorsports), a 11s362
6) Paulo Salustiano (ABF Mercedes-Benz), a 13s789
7) Raijan Mascarello (ABF Racing Team), a 39s518
8) David Muffato (MAN TGX), a 40s092
9) Régis Boessio (Boessio Competições), a 59s510
10) Luiz Lopes (Lucar Motorsport), a 1min13s837
11) Débora Rodrigues (RM Competições-MAN), a 1 volta
12) Wellington Cirino (ABF Mercedes-Benz), a 6 voltas
13) Beto Monteiro (Lucar Motorsport), a 9 voltas
14) Jansen Bueno (Muffatão Racing), a 11 voltas
15) Pedro Muffato (Muffatão Racing), a 14 voltas
16) Fábio Fogaça (Fábio Fogaça Motorsports), a 14 voltas
17) Leandro Totti (Clay Truck Racing), a 17 voltas

Já na segunda parte da corrida Giaffone e Pachenki seguiram na disputa pelo segundo posto e enquanto isso Marques seguia firme e forte na ponta da disputa. Mais atrás uma bela disputa entre Roberval Andrade, Paulo Salustiano, Raijan Mascarello e Wellington Cirino esquentou as coisas na luta pelo quinto posto, que ficou com Salustiano enquanto Andrade viu seu Iveco ficar pelo caminho.

No final, um escorregada, mas tudo certo para a primeira vitória de André Marques, Diogo Pachenki em segundo, Felipe Giaffone em terceiro, Adalberto Jardim em quarto e fechando o pódio, Paulo Salustiano.

Confira a classificação final da segunda disputa em Cascavel:

1) André Marques (RM Competições), 13 voltas em 17min42s069
2) Diogo Pachenki (Copacol Truck Racing), a 2s310
3) Felipe Giaffone (RM Competições-MAN), a 2s466
4) Adalberto Jardim (RM Competições), a 13s341
5) Paulo Salustiano (ABF Mercedes-Benz), a 14s576
6) Raijan Mascarello (ABF Racing Team), a 16s019
7) Wellington Cirino (ABF Mercedes-Benz), 16s506
8) Beto Monteiro (Lucar Motorsport), a 27s313
9) Régis Boessio (Boessio Competições), a 39s790
10) Luiz Lopes (Lucar Motorsport), a 46s987
11) Roberval Andrade (Dakar Motorsports), a 1min09s621
12) David Muffato (MAN TGX), a 1 volta
13) Fábio Fogaça (Fábio Fogaça Motorsports), a 5 voltas

Campeonato

Com os resultados deste final de semana Felipe Giaffone chegou a 322 pontos, Paulo Salustiano é o segundo com 280, Diogo Pachenki é o terceiro com 275, André Marques agora é o quarto colocado com 221 e David Muffato é o quinto com 207.

Lembrando que todos os pilotos terão que fazer um descarte de resultado ao final da temporada na disputa do título.

A penúltima etapa da temporada da Fórmula Truck acontece no dia 6 de novembro em Guaporé, Rio Grande do Sul.

Curta: http://www.facebook.com/templodosesportes

Por Matheus Furlan

Em corrida emocionante, Paulo Salustiano vence na Truck

salustianoA largada da Fórmula Truck foi quente, como o tempo em Interlagos, São Paulo. Para começar, Cirino e David Muffato acabaram por se tocar na entrada do “S” do Senna e a dupla que largou na primeira fila ficou para trás e quem assumiu a ponta foi Paulo Salustiano.

Logo em seguida, Joel Mendes Jr de Ford acabou parando seu pesado em local perigo fazendo assim com que houvesse a entrada do pace-truck.

Na relargada, os Mercedes de Salustiano e Cirino assumiram a ponta enquanto isso Pachenki e Totti se tocando, mais a frente  Kastropil e Benavides também se enroscaram, novamente pace-truck na pista. Totti parou seu caminhão na reta oposta e com pneu furado foi para os pits.

Após mais uma relargada, Salustiano se mandou. Cirino passou a andar lento e acabou engolido pelo pelotão. Giaffone assumiu a segunda posição e trouxe junto consigo André Marques e Roberval Andrade. Débora Rodrigues fechava o top-5.

Faltando cerca de 40 minutos para o término da disputa, os cinco primeiros seguiam andando colados, sempre com Giaffone levando vantagem no miolo e Salustiano ganhando distância na reta paulista.

Quem passou a fazer uma bela corrida de recuperação foi David Muffato, que após o seu toque no começo da corrida, retornou em 18° lugar, já ocupava o sétimo posto ao deixar Alex Fabiano para trás.

E após muitas quebras e diversas voltas com o caminhão de segurança na pista, a bandeira amarela e verde quadriculada foi acionado e Paulo Salustiano passou em primerio, Giaffone em segundo, Marques em terceiro, Andrade em quarto e Débora Rodrigues fechando os cinco primeiros.

Caminhões refrescados, largada para a segunda parte da disputa e logo  de cara, André Marques já deixou Felipe Giaffone para trás e assumiu o segundo posto, que não durou muito, na curva do Pinheirinho, Giaffone colocou por dentro e voltou a ficar a frente do companheiro de equipe.

Na parte intermediária do pelotão,  Joel Mendes, que deu uma escapada de pista voltou na frente de Alex Fabiano que acabou por bater no Ford, David Muffato que vinha logo atrás acabou por acertar Fabiano.

Faltando cerca de 17 minutos para o término da corrida, Marques passou a pressionar Salustiano pela liderança, Giaffone seguia a dupla de perto.

As voltas foram se passando, o quarto de ponteiros seguia firme, mas Débora Rodrigues acabou rodando na saída do “S”e perdeu diversas posições, já na subida do “Café”, foi a vez de Boéssio abandonou a disputa.

Faltando três voltas para o término da disputa, Salustiano, Marques, Giaffone, e Andrade seguiam forte, até que Giaffone colocou por dentro e conseguiu a ultrapassagem no final da reta oposta, assumindo assim a segunda colocação.

Na última volta, Salustiano e Giaffone passaram a dividir curvas, mas Giaffone acabou por queimar o radar na reta na abertura da última volta, 164 km/h,  e mesmo cruzando a linha de chegada e primeiro sofreu o acréscimo de 20 segundos no tempo final da disputa caindo assim para a quinta colocação. Desta forma Paulo Salustiano ficou com a vitória em São Paulo, com André Marques em segundo, Roberval Andrade em terceiro, Wellington Cirino em quarto e Felipe Giaffone em quinto.

Confira a classificação final da sexta etapa da temporada da Fórmula Truck, em São Paulo:

 1º) 55 – Paulo Salustiano (Mercedes, ), 13 voltas em 28:01.498 (média de 150.8 kmh)
 2º) 77 – André Marques (Volkswagen , ), a 0.907
 3º) 15 – Roberval Andrade (Iveco , ), a 3.384
 4º) 60 – Wellington Cirino (Mercedes , ), a 17.895
 5º)   4 – Felipe Giaffone (Volkswagen , ), a 19.097
6º) 35 – David Muffato (MAN , ), a 28.012
7º) 21 – Raijan Mascarello (Mercedes , ), a 33.216
8º) 99 – Luiz Lopes (Iveco , ), a 36.820
9º) 80 – Diogo Pachenki (Mercedes , ), a 1:12.801
10º) 53 – Ronaldo Kastropil (Volvo , ), a 1:16.875
11º) 20 – Pedro Muffato (Scania , ), a 1:21.665
12º) 30 – Rogerio Castro (Mercedes , ), a 2:02.269
13º) 333 – Alex Fabiano (Volvo , ), a 1 volta
14º) 44 – Joel Mendes Jr (Ford , ), a 2 voltas
15º)   8 – Adalberto Jardim (Volkswagen , ), a 5 voltas
16º)   7 – Débora Rodrigues (Volkswagen , ), a 6 voltas
17º) 83 – Regis Boessio (Volvo , ), a 7 voltas

Campeonato

Apesar do resultado  em São Paulo, Giaffone segue na liderança da tabela de classificação com 226 pontos, Paulo Salustiano assumiu a segunda colocação do campeonato com 214 pontos, Diogo Pachenki é o terceiro com 198 pontos, André Marques é o quarto com  170 pontos e em quinto lugar David Muffato com 156 pontos.

A sétima etapa da categoria acontece no dia 4 de setembro, em Tarumã.

Curta: http://www.facebook.com/templodosesportes

Por Matheus Furlan

David Muffato é pole em Interlagos

muffato

Foto: Matheus Furlan /Templo dos Esportes/Jogo em Pauta

Na tarde deste sábado (30), foi realizada a formação do grid de largada para a etapa de São Paulo da Fórmula Truck. Em Interlagos, os caminhões mais rápidos do mundo mostraram do que são capazes e a pole position ficou com o MAN #35 de David Muffato que anotou o tempo de 2min03s272, essa foi a segunda pole do piloto na categoria.

A segunda colocação é de Wellington Cirino com o Mercedes #60 com o tempo de 2min03s293 e o terceiro posto foi marcado por Felipe Giaffone com o Volkswagen #4 com tempo de 2min03s334.

Confira o grid de largada para a Fórmula Truck em São Paulo:

1) David Muffato (MAN TGX), 2min03s272
2) Wellington Cirino (ABF Mercedes-Benz), 2min03s293
3) Felipe Giaffone (RM Competições-MAN), 2min03s334
4) Djalma Fogaça (DF Racing Fans), 2min03s365
5) Paulo Salustiano (ABF Mercedes-Benz), 2min03s702
6) Leandro Totti (Clay Truck Racing), 2min03s838
7) André Marques (RM Competições-MAN), 2min03s869
8) Régis Boessio (Boessio Competições), 2min04s013
9) Diogo Pachenki (Copacol Truck Racing), 2min04s834
10) Roberval Andrade (Dakar Motorsports), 2min05s203
11) Débora Rodrigues (RM Competições-MAN), 2min05s890
12) Joel Mendes Júnior (Fábio Fogaça Motorsports), 2min05s999
13) Valmir Hisgué Benavides (DF Racing Fans), 2min06s198
14) Alex Fabiano (ABF Azulim Indy Truck Racing), 2min06s301
15) Raijan Mascarello (ABF Racing Team), 2min07s309
16) Rogério Castro (ABF Racing Team), 2min07s479
17) Ronaldo Kastropil ( ABF Motorsport), 2min07s965
18) Pedro Muffato (Muffatão Racing), 2min09s753
19) Adalberto Jardim (RM Competições-MAN), 2min30s978
20) Beto Monteiro (Lucar Motorsport), sem tempo
21) Luiz Lopes (Lucar Motorsport), sem tempo

Beto Monteiro e Luiz Lopes que se classificaram 15° e 1° respectivamente tiveram seus tempos excluídos pois os caminhões da Iveco (que ambos  guiam), apresentaram fumaça demais segundo os comissários de prova.

A largada para a disputa da sexta etapa da temporada está marcada para às 14 horas, horário de Brasília.

Curta: http://www.facebook.com/templodosesportes

Por Matheus Furlan

Felipe Giaffone vence a segunda etapa da Fórmula Truck

Foto Matheus Furlan

Foto Matheus Furlan

A Fórmula Truck em Curitiba começou de tirar o fôlego. Logo na largada boa disputa entre Pachencki e Cirino, que ficou com a posição do caminhão #80 que largou na segunda colocação. Muita disputa na metade do pelotão com logo de cara, Piquet e Bueno se tocando.

As voltas foram se passando e não demorou muito para que Giaffone ficasse tranquilo na ponta enquanto Salustiano após dividir curvas com Pachencki também conquistou a posição do piloto. Ganhando posições na parte de trás do grid, Roberval Andrade e seu Scania logo tiveram que abandonar com problemas, da mesma forma que Wellington Cirino da Mercedes que viu seu pesado deixa-lo na mão. Que viu seu motor ir para o espaço foi André Marques de Volkswagem o que gerou a entrada do PaceTruck, o caminhão de segurança.

Após a relargada a disputa aumentou mas foi a vez de Paulo Salustiano que estava na segunda colocação ter problemas em seu Mercedes e ir para os boxes. A essa altura, Giaffone era o líder com Pachenki em segundo, e na disputa terceira posição David Muffato e Raijan Mascarello, sendo que voltas mais tarde o primeiro conseguiu assumir a terceira posição e foi desta forma que os caminhões chegaram a bandeira amarela programada: Giaffone, Pachenki, Muffato, Mascarello e Magnabosco nas cinco primeiras colocações.

Confira a classificação na bandeira amarela quadriculada:

 1º)   4 – Felipe Giaffone (Volkswagen, ), 13 voltas em 26:14.349 (média de 105.8 kmh)
 2º) 80 – Diogo Pachenki (Mercedes , ), a 3.957
 3º) 35 – David Muffato (Volkswagen , ), a 6.909
 4º) 21 – Raijan Mascarello (Mercedes , ), a 10.474
 5º) 33 – Gustavo Magnabosco (Mercedes , ), a 10.841
6º) 83 – Regis Boessio (Volvo , ), a 17.130
7º)   8 – Adalberto Jardim (Volkswagen , ), a 19.519
8º)   7 – Débora Rodrigues (Volkswagen , ), a 28.077
9º) 81 – Ricardo Sargo (Volvo , ), a 28.754
10º)   2 – Valmir Benavides (Ford , ), a 29.456
11º) 20 – Pedro Muffato (Scania , ), a 30.602
12º)   1 – Leandro Totti (Volvo , ), a 37.110
13º) 44 – Joel Mendes Jr (Ford , ), a 40.731
14º) 333 – Alex Fabiano (Volvo , ), a 43.269
15º) 99 – Luiz Lopes (Iveco , ), a 1:18.760
16º) 10 – Jansen Bueno (Iveco , ), a 2 voltas
17º) 55 – Paulo Salustiano (Mercedes , ), a 6 voltas
18º) 15 – Roberval Andrade (Scania , ), a 8 voltas
19º)   3 – Geraldo Piquet (Ford , ), a 9 voltas
20º) 60 – Wellington Cirino (Mercedes , ), a 10 voltas
21º) 77 – André Marques (Volkswagen , ), a 10 voltas
22º) 88 – Beto Monteiro (Iveco , ), a 11 voltas

Foto: Matheus Furlan

Foto: Matheus Furlan

Após o descanso, os caminhões foram para a relargada e Giaffone sofreu apressão de Pachenki mas conseguiu suportar, quem não segurou o adversário foi Mascarello que acabou perdendo o quarto lugar para o jovem Gustavo Magnabosco. Pela metade do pelotão Sargo seguia segurando Hisgué na disputa pela 10° posição, logo atrás de Leandro Totti que teve que passar pelos boxes na primeira metade da corrida por passar acima da velocidade permitida do radar, que é de 160km/h.

Após abandonar a primeira metade da disputa, Salustiano voltou para a pista para a segunda metade e começou a abrir o caminho sobre Alex Fabiano da Volvo. Na parte da frente da disputa, faltando 21 minutos para o término da disputa, David Muffato que estava na terceira colocação ficou pelo caminho, deixando Magnabosco em terceiro, Mascarello em quarto e Jardim na quinta posição.

Faltando 19 minutos para o término da disputa Totti levou outra punição por queimar o radar. Na saída da curva da vitória, Adalberto Jardim se encontrou com o muro e na mesma volta no final da reta, Salustiano que vinha em uma corrida de recuperação viu seu motor ir de vez para o espaço, mais uma vez o caminhão de segurança foi para a pista.

Nesse momento Giaffone seguia em primeiro, Pachenki em segundo, Magnabosco em terceiro, Mascarello em quarto e Boessio em quinto. Após quase seis muitos de espera, os caminhões relargaram e todos os caminhões mantiveram as posições com pressionando a Débora Rodrigues que por sua vez passou a pressionar o Boessio.

Faltando meios de quatro minutos para o término da disputa, a Débora Rodrigues conseguiu a ultrapassem sobre o Boessio, mais atrás em uma disputa mais ríspida Pedro Muffato bateu em Ricardo Sargo e a ocorrência tirou o jovem piloto da pista e os comissários de pista decidir sobre a atitude do caminhão #20.

Na última volta Giaffone seguiu para a vitória com Pachenki em segundo, Magnabosco em terceiro, Mascarello em quarto e a Débora Rodrigues vinha em quinto até que o o seu motor explodiu e Boessio assumiu a quinta posição e foi para pódio.

Confira a classificação final da segunda etapa da Fórmula Truck:

 1º)   4 – Felipe Giaffone (Volkswagen, ), 12 voltas em 28:06.321 (média de 127.5 kmh)
 2º) 80 – Diogo Pachenki (Mercedes , ), a 1.842
 3º) 33 – Gustavo Magnabosco (Mercedes , ), a 9.448
 4º) 21 – Raijan Mascarello (Mercedes , ), a 11.542
5º) 83 – Regis Boessio (Volvo , ), a 21.650
6º) 20 – Pedro Muffato (Scania , ), a 33.730
7º) 333 – Alex Fabiano (Volvo , ), a 34.211
8º)   7 – Débora Rodrigues (Volkswagen , ), a 1 volta
9º)   2 – Valmir Benavides (Ford , ), a 2 voltas
10º) 81 – Ricardo Sargo (Volvo , ), a 3 voltas
11º) 99 – Luiz Lopes (Iveco , ), a 4 voltas
12º) 55 – Paulo Salustiano (Mercedes , ), a 7 voltas
13º)   8 – Adalberto Jardim (Volkswagen , ), a 8 voltas
14º)   1 – Leandro Totti (Volvo , ), a 8 voltas
15º) 35 – David Muffato (Volkswagen , ), a 10 voltas

O vencedor Felipe Giaffone falou sobre a disputa. “Acho que  para campeonato um não quero nem falar. Porque no ano passado eu venci três e fiquei em terceiro, então é um campeonato que com a forma de pontuação que é feita é muito importante você terminar a primeira parte, não quebrar. (..) hoje eu tenho plena ciência que o o meu caminhão era o melhor na pista (…) principalmente na parte de tração, nas saídas das curvas e tenho que agradecer a toda  a equipe pelo grande trabalho e trabalhar mais, porque sei que a galera vai parar”, afirmou Giaffone que chegou a sua 25° vitória na categoria e empatou com Wellington Cirino e está atrás apenas de Renato Martins que tem 27 triunfos e é chefe de equipe de Giaffone.

No pódio pela primeira vez, Raijan Marcarello com o Mercedes #21 falou sobre a sua primeira vez no pódio. “É o meu terceiro ano na categoria completo na categoria, meu primeiro pódio e em todas as categoria que eu andei sempre tive um bom equipamento e depois de dois anos e meio em uma equipe onde infelizmente que não tinha um bom equipamento. Hoje na equipe ABF nós temos incentivo, temos ajuda na telemetria, no rádio, e não adianta ter equipamento e não ter piloto, é um conjunto”, disse o mato grossense.

Campeonato

Após duas etapas, Felipe Giaffone lidera com sobras o campeonato da categoria com 105 pontos, em segundo lugar aparece Diogo Pachenki com 82 pontos, em terceiro Raijan Mascarello com 62 pontos, em quarto Gustavo Magnabosco com 61 pontos e 0 quinto lugar é de Débora Rodrigues com 50 pontos.

A próxima etapa da categoria acontece no dia 15 de maio e Campo Grande, Mato Grosso.

Curta: http://www.facebook.com/templodosesportes

por: Matheus Furlan

Geraldo Piquet volta as pistas da Truck

Foto: Matheus Furlan

Foto: Matheus Furlan

Geraldo Piquet, (38), está de volta ao grid da Fórmula Truck em 2016. O piloto que guiou na categoria está de volta após não disputa a temporada passada.

Piquet vai com o Ford #3, mas a temporada do piloto, filho de Nelson Piquet começou complicada. Por falta de patrocínios ele, bem como a equipe DF Motorsport, não disputou a etapa inaugural da categoria que foi realizada no Rio Grande do Sul no dia 13 de março, mas neste final de semana está na disputa da etapa de Curitiba.

Em entrevista a equipe Jogo em Pauta/Templo dos Esportes, Piquet falou sobre a sua adaptação ao novo caminhão. “A adaptação é grande. Eu nunca andei com um caminhão de 9 litros, que é totalmente diferente, mas conhecendo Curitiba, conhecendo pista já e uma grande vantagem, porque você ai se preocupa apenas no dia  a dia no caminhão. Os treinos de sexta e sábado já foram suficientes para vermos nós já vimos no que o caminhão é bom e no que não é deficiente, e temos que trabalhar olhando para frente mas para trabalhar precisamos de investimento, que na atual conjuntura do país, na economia está difícil. Infelizmente é um esporte que precisa de uma demanda de investimento, para desenvolver e você ter resultados e muita gente não entendi isso”, disse o piloto que foi duas vezes vice campeão da categoria.

Quando indagado sobre se a equipe estará na disputa da terceira etapa da temporada da categoria em Campo Grande, Piquet foi direto e reto na resposta. “Se a resposta for pelo dia de hoje do jeito que está, não! Nós estamos na expectativa de fechar alguma coisa  a mais para o resto da temporada, porque do jeito que está, nós não vamos para Campo Grande nem para o resto da temporada”, disse o piloto.

Piquet parte do 16° posto para a disputa em Curitiba, segunda etapa da temporada, que tem largada programada para às 13 horas, horário de Brasília.

Curta: http://www.facebook.com/templodosesportes

por: Matheus Furlan

Ricardo Sargo: “Sonho com a Truck desde criança”

Foto: Matheus Furlan

Foto: Matheus Furlan

Estreante na categoria, Ricardo Sargo é o piloto mais jovem do grid da Fórmula Truck. Com 21 anos, ele guia o pesado #81 da equipe ABF Volvo e tem como Alex Fabiano #333 como companheiro de equipe.

Em entrevista a equipe Jogo em Pauta/Templo dos Esportes, Sargo falou sobre o incio de sua carreira no automobilismo e declarou sobre o sonho de garoto de guiar na Fórmula Truck. “Eu comecei no kart com nove anos de idade e fiquei por lá até os 15 anos. Logo depois fui para o Marcas e Pilotos em São Paulo, onde fui paulista campeão em 2010, nos novatos, fui bicampeão paulista em 2011 na categoria light. Na sequencia recebi o convite para correr no Troféu Linea, fiz umas quatro corridas lá e logo depois disputa a temporada completa da Copa Petrobras de Marcas em 2012. Mas sempre minha carreira foi focada para  a Fórmula Truck. Desde o mesmo 12 anos, quando entrei em um caminhão pela primeira vez para ver como era dentro, foi amor a primeira vista, e desde então sempre tive como objetivo disputar a Fórmula Truck. Porém, eu sempre fui muito novo, pois somente atingi a idade mínima agora, eu completei 21 anos, e no dia do meu aniversário eu recebi o convite da Fórmula Truck para fazer um teste, aonde Graças a Deus ocorreu tudo bem e surgiu a oportunidade de estar aqui hoje”, afirmou o piloto.

Quando indagado sobre a dirigibilidade do pesado com relação aos carros leves, Sargo não exitou em falar que a categoria é singular e diferente de tudo que já pilotou. “É diferente de tudo. Pode ser um piloto renomado, de elite nacional ou internacional, mas guiar é diferente de qualquer coisa, aqui não tem explicação. O caminhão tem muita potência. Estamos falando de um caminhão de 1.300 cavalos com 4,5kg de pressão de turbo, um torque absurdo, a mais de 200 km/h em um caminhão de 4 toneladas, é inexplicável! Dentre todas as categorias que eu já andei, para mim, não tem algo mais prazeroso que guiar esse caminhão”, disse o piloto.

Em uma época tão complicada financeiramente, não apenas para o categoria, mas para o povo brasileiro em geral, Ricardo, falou sobre as suas expectativas para esse ano na Fórmula Truck.“Eu tenho muito que aprender aqui dentro. Lógico que eu tenho experiência, mas eu tenho muita coisa para aprender. Esse ano o foco é aprendizado. Não estamos muito preocupados com os resultados. Eu estou querendo aprender a trabalhar no caminhão, acertar o caminhão, me adaptar bem, embora a gente tenha se adaptado mais rápido que o esperado, mas é como eu já falei é muito complicado (…) a única coisa que tem que fazer é aprender”. O jovem fez a sua estreia na categoria no autódromo de Velopark, no Rio Grande do Sul no dia 13 de março.

A segunda etapa da Fórmula Truck acontece neste domingo (10), no Autódromo Internacional de Curitiba, com largada prevista para às 13 horas, horário de Brasília.

Curta: http://www.facebbok.com/templodosesportes

por: Matheus Furlan

Sob chuva, Felipe Giaffone é pole em Curitiba

Foto: Matheus Furlan

Foto: Matheus Furlan

O treino de largada da Fórmula Truck foi, como podemos dizer, imprevisível, ou previsível até de mais. Antes mesmo de começar a sessão de classificatória, foi anunciado que de acordo com o regulamento, que se a chuva chegasse e restasse ao menos um caminhão sem marcar tempo com pista seca, o treino seria reiniciado. Claro que isso está expresso em regulamento e foi bem o que aconteceu.

A formação do grid começou a ser realizada como na temporada de 2014, com os caminhões partindo um por vez na ordem invertida, de acordo com a classificação do terceiro treino livre. Após 15 caminhões marcarem seus tempos, com Gustavo Magnabosco #33 da Mercedes na primeira colocação com o tempo de 1m42s677, mas nessa hora a chuva chegou e causou uma reviravolta geral.

Com a chegada da chuva, todos os tempos obtidos foram zerados e todos os caminhões foram encaminhados aos boxes e tiveram que trocar os seis pneus para colocar os compostos de chuva em 20 minutos. Feito isso os caminhões tiveram 20 minutos para marcar seus tempos, mas diferente da pista seca, todos os pilotos foram para o traçado ao mesmo tempo.

Para o piloto estreante na Truck em 2016, Ricardo Sargo, a regra de recomeçar o treino em condições iguais para todos os pilotos é justa. “Nada mais justo. Porque como começou a chover no meio, (…) eu fui um dos primeiros a classificar, eu andei no seco, mas os próximos pilotos classificariam no molhado, então consequentemente não seria justo, então eu sou a favor totalmente a essa regra, de parar e todos voltar nas mesma condições de pista”.

Quando os pesados foram para a pista, após mais de uma hora esperando a pista melhorar as condições, o que se viu foi muita disputa, a começar entre Giaffone, Totti e Salustiano. As voltas foram se passando e a alternância de pilotos na pole position passou a ser alta. Desde Giaffone, Totti, Salustiano, Débora e David Muffato.

Com menos de cinco minutos para o término do treino, a chuva voltou a apertar, mas nada dos caminhões tirar o pé, mas com o aumento da água, os tempos não baixaram mais e Felipe Giaffone ficou com a pole position com o tempo de 2m01s888, em segundo lugar ficou Diogo Pachenki com o tempo de 2m02s030 e em terceiro Wellington Cirino com o tempo de 2m02s168.

Confira o grid de largada para  o GP de Curitiba da Fórmula Truck:

 1º)    4 – Felipe Giaffone  (Volkswagen, ), 2:01.888, média de 109.1 Kmh.
 2º)  80 – Diogo Pachenki  (Mercedes, ), 2:02.030
 3º)  60 – Wellington Cirino  (Mercedes, ), 2:02.168
4º)  15 – Roberval Andrade  (Scania, ), 2:02.476
5º)  21 – Raijan Mascarello  (Mercedes, ), 2:02.824
6º)  55 – Paulo Salustiano  (Mercedes, ), 2:02.869
7º)  33 – Gustavo Magnabosco  (Mercedes, ), 2:04.357
8º)   7 – Débora Rodrigues  (Volkswagen, ), 2:04.725
9º)  20 – Pedro Muffato  (Scania, ), 2:05.672
10º)  35 – David Muffato  (Volkswagen, ), 2:06.250
11º)  77 – André Marques  (Volkswagen, ), 2:06.481
12º)  10 – Jansen Bueno  (Iveco, ), 2:06.493
13º)   8 – Adalberto Jardim  (Volkswagen, ), 2:06.828
14º)  83 – Regis Boessio  (Volvo, ), 2:07.302
15º)   1 – Leandro Totti  (Volvo, ), 2:07.758
16º)   3 – Geraldo Piquet  (Ford, ), 2:08.037
17º)  81 – Ricardo Sargo  (Volvo, ), 2:09.397
18º)  99 – Luiz Lopes  (Iveco, ), 2:09.436
19º)  333 – Alex Fabiano  (Volvo, ), 2:09.486
20º)  44 – Joel Mendes Jr  (Ford, ), 2:10.032
21º)   2 – Valmir Benavides  (Ford, ), 2:10.214

A largada para segunda etapa da temporada de 2016 da categoria, está marcada para às 13 horas, horário de Brasília.

Curta: http://www.facebook.com/templodosesportes

por: Matheus Furlan

Fórmula Truck confirma Campo Grande no mês de maio

Foto Matheus Furlan

Foto Matheus Furlan

A Fórmula Truck confirmou neste sábado, (9), que a terceira etapa da temporada de 2016 acontecerá no dia 15 de maio em Campo Grande, Mato Grosso.

A principio a etapa poderia ser realizada em Brasília, que continua com as suas obras paralisadas e fizeram com que a capital federal fosse retirada do calendário da categoria. Com a confirmação de Campo Grande no próximo mês, a etapa que será realizada no dia 6 de novembro ainda não tem local definido.

Mas não é apenas essa mudança que a categoria realizou no seu calendário, a etapa de Goiânia que inicialmente estava marcada para o dia 12 de junho foi antecipada para o dia 5 do mesmo mês.

A categoria mais popular do automobilismo brasileiro, tem a sua segunda etapa neste domingo, (10), em Curitiba com largada prevista para às 13 horas, horário de Brasília.

Curta: http://www.facebook.com/templodosesportes

por: Matheus Furlan

Formula Truck se prepara para segunda etapa de 2016

Foto: Matheus Furlan

Foto: Matheus Furlan

A categoria mais popular do automobilismo mundial está no Autódromo Internacional de Curitiba, no Paraná para a disputa da segunda etapa da temporada de 2016.

Na primeira sessão de treino livre, Diogo Pachenki #80 de Mercedes, foi o mais rápido com o tempo de 1m41s819, seguido por Felipe Giaffone #4 de Volkswagem em segundo e Paulo Salustiano #55 de Mercedes ficou em terceiro lugar. A segunda sessão teve o comando de Felipe Giaffone com o tempo de 1m41s587, em segundo lugar ficou Leandro Totti #1 de Volvo e em terceiro Paulo Salustiano #55.

Já na manhã de sábado com um sol para cada um em solo paranaense, mais uma vez Felipe Giaffone #4 foi o mais rápido com o tempo de 1m41s392, em segundo lugar ficou Leandro Totti #1 e em terceiro lugar Wellington Cirino #60 de Mercedes.

Confira a classificação completa do terceiro treino livre da Fórmula Truck:

 1º)    4 – Felipe Giaffone  (Volkswagen, ), 1:41.392, média de 131.2 Kmh.
 2º)   1 – Leandro Totti  (Volvo, ), 1:41.524
 3º)  60 – Wellington Cirino  (Mercedes, ), 1:41.688
4º)  55 – Paulo Salustiano  (Mercedes, ), 1:42.153
5º)  80 – Diogo Pachenki  (Mercedes, ), 1:42.266
6º)  35 – David Muffato  (Volkswagen, ), 1:42.438
7º)  77 – André Marques  (Volkswagen, ), 1:42.580
8º)  33 – Gustavo Magnabosco  (Mercedes, ), 1:42.742
9º)  21 – Raijan Mascarello  (Mercedes, ), 1:42.894
10º)   7 – Débora Rodrigues  (Volkswagen, ), 1:43.100
11º)   8 – Adalberto Jardim  (Volkswagen, ), 1:43.159
12º)  83 – Regis Boessio  (Volvo, ), 1:43.226
13º)  15 – Roberval Andrade  (Scania, ), 1:43.309
14º)  10 – Jansen Bueno  (Iveco, ), 1:43.490
15º)   2 – Valmir Benavides  (Ford, ), 1:44.640
16º)  81 – Ricardo Sargo  (Volvo, ), 1:44.667
17º)  333 – Alex Fabiano  (Volvo, ), 1:44.710
18º)   3 – Geraldo Piquet  (Ford, ), 1:45.413
19º)  44 – Joel Mendes Jr  (Ford, ), 1:45.856
20º)  20 – Pedro Muffato  (Scania, ), 1:45.912
21º)  99 – Luiz Lopes  (Iveco, ), 1:49.848

A formação do grid de largada tem inicio marcado para às 14 horas da tarde, deste sábado (9), horário de Brasília.

Curta: http://www.facebook.com/templodosesportes

por: Matheus Furlan

Em corrida emocionante, Felipe Giaffone vence na abertura da Fórmula Truck

Foto: formulatruck.com.br

Foto: formulatruck.com.br

Emocionante! assim podemos definir o começo da temporada de 2016 da Fórmula Truck em 2016 no Rio Grande do Sul. Logo na largada Felipe Giaffone de MAN/Volkswagen conseguiu se manter na frente, mas Diogo Pachenki de Mercedes não foi bem e caiu do segundo para o quinto lugar sendo ultrapassado por Totti de Volvo e Jardim de MAN/Volkswagen.

Quem ficou de fora logo na primeira volta Régis Boessio da Volvo, que viu o seu motor ir para o espaço e foi obrigado a abandonar a disputa. Com pouco mais de três minutos de prova a disputa esquentou entre Pachenki, Totti e Jardim sendo que o primeiro se aproveitou do toque entre os outros dois e assumiu a terceira posição, logo atrás de Giaffone e Salustiano, primeiro e segundo respectivamente.

A disputa entre os primeiros colocados com 12 minutos de prova, estava isolada com Pachenki a seis segundos de desvantagem. Totti que estava em quarto lugar tinha um refresco de Jardim que estava mais preocupado com todo o pelotão que vinha atrás dele. Na parte final do pelotão, Joel Mendes Jr. de Ford foi parar na barreira de pneus e final de prova para ele e com esse acidente, o Pace Truck (caminhão de segurança), entrou na pista juntando todo o pelotão novamente.

Na relargada tudo limpo entre Giaffone e Salustiano, mas Pachenki abriu demais a primeira curva e deu espaço para Totti fazer  ultrapassagem e assumir o terceiro posto com seu Volvo azul e branco nas cores do time do Londrina de futebol. A metade do pelotão chamava a atenção pela bela disputa entre Roberval Andrade de Scania e Felipe Tozzo de Volvo, com  primeiro ganhando a posição do catarinense que é estreante na categoria em 2016.

Na altura dos 32 minutos, foi assinalada a bandeira amarela quadriculada programada dando um refresco para os caminhões e as cinco primeiras posições até esse momento eram: Giaffone, Salustiano, Totti, Pachenki e Jardim.

Após a relargada programada, Totti e Pachenki passaram protagonizar uma bela disputa, chegando a ponto juntar cinco caminhões para dividir a mesma curva.  Na volta seguinte, Diogo Pachenki passou por Leandro Totti, que começou a aparentar problemas e acabou por abandonar a disputa.  Na parte intermediaria do pelotão Wellington Cirino viu seu motor Mercedes explodir no meio da reta dos boxes durante uma tentativa de ultrapassagem sobre David Muffato da MAN, Pace Truck na pista de Velopark.

Salustiano na perdeu tempo e foi logo para cima de Giaffone na relargada, havendo os toques entre os dois e o caminhão Volkswagen teve algumas varias mas seguiu na ponta com Salustiano em segundo Pachenki em terceiro, André Marques e quarto e Adalberto Jardim em quinto.

Nas voltas finais, Felipe Giaffone partiu tranquilo e com todo o cuidado para a primeira vitória na temporada em 2016, Paulo Salustiano fica em segundo seguindo por Diogo Pachenki em terceiro, confira a classificação final da primeira etapa da Fórmula Truck:

 1º)   4 – Felipe Giaffone (Volkswagen, ), 27:37.8747 (média de 127.1 kmh)
 2º) 55 – Paulo Salustiano (Mercedes , ), a 1.0058
 3º) 80 – Diogo Pachenki (Mercedes , ), a 4.1537
 4º) 77 – André Marques (Volkswagen , ), a 5.8272
 5º)   8 – Adalberto Jardim (Volkswagen , ), a 7.2129
6º) 35 – David Muffato (Volkswagen , ), a 13.7688
7º)   7 – Débora Rodrigues (Volkswagen , ), a 15.0042
8º) 21 – Raijan Mascarello (Mercedes , ), a 31.5274
9º) 333 – Alex Fabiano (Volvo , ), a 31.7009
10º) 57 – Felipe Tozzo (Iveco , ), a 58.4432
11º) 33 – Gustavo Magnabosco (Mercedes , ), a 1 volta
12º) 15 – Roberval Andrade (Scania , ), a 1 volta
13º) 60 – Wellington Cirino (Mercedes , ), a 6 voltas
14º)   1 – Leandro Totti (Volvo , ), a 7 voltas
15º) 88 – Beto Monteiro (Iveco , ), a 7 voltas

*Melhor Volta: Felipe Giaffone, 1:45.8639 (120.0 kmh..)

Campeonato

Felipe Giaffone sobrou no Rio Grande do Sul e ai como líder do campeonato isolado com 52 pontos, além da vitória de ponta a ponta, o piloto anotou a volta mais rápida e a pole position o que lhe deu mais dois pontos de bonificação, confira:

1 – Felipe Giaffone 52 pontos

2 – Paulo Salustiano 45 pontos

3 – Diogo Pachenki 38 pontos

4 – Adalberto Jardim 32 pontos

5 – André Marques 32 pontos

6 – David Muffato 27 pontos

A próxima etapa da Fórmula Truck acontece no dia 10 de abril em Curitiba, no Paraná.

Curta: http://www.facebook.com/templodosesportes

por: Matheus Furlan