Pai do eterno Jules Bianchi revelou que tem crises de choro diariamente por não aceitar a morte precoce do seu filho!

jules 1

Foto: mirror.co.uk

A dor e a saudade ainda continuam presentes na vida de Philippe Bianchi. Nesta sexta-feira (15), o pai do eterno condutor francês, Jules Bianchi, desabafou para a emissora de TV ‘CNN’. Philippe revelou que ainda chora todos os dias pela morte precoce do seu filho, que vai completar um ano no próximo domingo (17).

“Toda vez que eu vejo a foto do meu filho, eu grito”, desabafou. “Não é algo normal perder um filho. É uma situação muito difícil. E que todas as famílias em que perderam o seu filho sabem explicar”, afirmou. “Essa situação é muito difícil para mim, para a mãe de Jules [Bianchi] e para todos”, complementou.

O pai de Bianchi também relembrou da última conversa em que teve com o então condutor da antiga Marussia naquela fatídico fim de semana do GP do Japão de 2014. “Como de costume, sempre conversávamos um dia antes da corrida”, respondeu.

“Lembro que disse: ‘Estou contigo. Amanhã estarei contigo no teu carro’”, lembrou. “Curiosamente, esta foi a primeira vez em minha vida que Bianchi não respondeu nada. Talvez ele sabia de algum problema”, continuou.

Philippe também comentou sobre a ação judicial em que está movendo contra os ex-proprietários da Marussia, a Federação Internacional de Automobilismo (FIA) e a Formula One Management (FOM). O pai de Bianchi afirmou que o veredicto do inquérito aberto para investigar o acidente no GP do Japão de 2014, em que acusava o condutor francês pela batida causou muita dor para a sua família.

“Perdi a coisa mais importante da minha vida. E não tenho mais nada a perder”, respondeu. “Quero que a lembrança de Jules [Bianchi] seja a correta. Não posso aceitar o que eles [o inquérito] nos diz”, respondeu.

“Bianchi foi um filho muito bom. Um bom homem. Um grande amigo. Eu sei que ele tinha grandes amigos que pensam o mesmo dele. E eles me contam o quanto Bianchi era especial”.

Sobre a morte de Jules Bianchi, o condutor francês faleceu no hospital em Nice, na França, após passar oito meses lutando em coma pela vida. Bianchi tinha sofrido uma lesão cerebral difusa no lado esquerdo da sua cabeça. O grave ferimento neurológico aconteceu após o acidente no circuito de Suzuka, quando a sua Marussia perdeu o controle depois de passar em trecho de aquaplanagem e se chocar violentamente no contrapeso do guindaste que rebocava a Sauber de Adrian Sutil.

Por Luiz Máximo para o site Jogo em Pauta (www.jogoempauta.com)

Anúncios

Muhammad Ali falece aos 74 anos

ali 2

Foto: Reprodução/Facebook

Um minuto de silêncio, uma lenda nos deixou!

Faleceu na noite de sexta feira (3), madrugada no Brasil, a lenda, o maior boxeador de todos os tempo Muhammad Ali-Haj (Cassius Marcellus Clay Jr), aos 74 anos nos Estados Unidos.

Ali que é considerado o maior boxeador de todos os tempos lutava a 32 anos contra o Mal de Parkinson e em um comunicado através do porta voz da família (Bob Gunnell) veio a trágica noticia. “Depois de uma batalha de 32 anos contra a doença de Parkinson, Muhammad Ali faleceu com a idade de 74 anos. O tricampeão mundial dos pesos-pesados morreu esta noite. A família gostaria de agradecer a todos por seus pensamentos, orações e apoio, e pede privacidade neste momento”.

A carreira de Ali foi espetacular. Em seu cartel foram foram 62 lutas com 57 vitórias sendo 37 por nocaute e 5 derrotas. Histórias não faltam como por exemplo com 18 anos o jovem boxeador foi campeão olímpico em Roma(ITA) em 1960, mas jogou a sua medalha no Rio Ohio após um caso de racismo em um restaurante em sua cidade natal, (Louisville- Kentucky), nos Estados Unidos. Foi campeão mundial em 1964 com um cartel invejável até aquele momento com 19 vitórias em 19 lutas, mas foi destituído de seu título quando se recusou a servir o exercito em 1967 durante a Guerra do Vietnã.

Voltou a lutar em 1970, década promissora onde voltou a ser campeão mundial. Se converteu ao islamismo e adotou seu nome atual. No ano de 1973 lutou 12 rounds diante de Ken Norton com o maxilar quebrado. Em 1974 a épica luta contra Goerge Foreman no Zaire (Atualmente o Congo), onde depois de ser castigado pelo jovem Foreman, Ali o nocauteou no oitavo round. O combate ficou conhecido com a “Luta do Século” que deu origem ao filme “Quando Eramos Reis”.

No final da década, 1978 perdeu o título mundial para Leon Spinks, mas tornou a recupera-lo seis meses depois derrotando o mesmo adversário. Em 1979 anunciou a sua aposentadoria. Voltou aos ringues em mais duas oportunidades no inicio dos anos 80, mas acabou derrotados em ambas.

ali 1

Foto: Divulgação/Universidade de Louisville

No ano de 1984 revelou que sofria de Mal de Parkinson e passou a ajudar nas pesquisas para encontrar uma cura para a doença. E claro uma vez campeão, sempre campeão e em 1996 durante os Jogos Olímpicos de Atlanta, Ali foi homenageado, acendeu a pira olímpica e recebeu uma réplica de sua medalha de 1960.

Em 2005 construiu o Muhammand Ali Centre, em Louisville, um centro cultural na cidade para auxiliar crianças e adultos.

Um dos esportistas mais lembrados ao redor do planeta, Ali mostrou o caminho que deve ser seguido: o da luta, dedicação e sustentação de seus ideais e princípios.

Mais um campeão que nos deixa.

Curta: http://www.facebook.com/templodosesportes

Por Matheus Furlan

Luis Salom falece na Moto2

salom

Foto: Divulgação/MotoGP

O mundo do automobilismo esta de luto mais uma vez. Faleceu nesta sexta feira (3), o piloto espanhol Luis Salom (24), após grave acidente no Circuito de Montmeló, na Espanha.

O piloto que guiava a moto da equipe SAG na categoria da Moto2 se acidentou na curva 12 do traçado espanhol, chegou a ser socorrido, passou por cirurgia no Hospital Geral da Catalunha mas não resistiu aos ferimentos.

O jovem espanhol vinha na categoria deste a temporada de 2014 e nesse período conquistou três pódios e uma  volta rápida. De acordo com Valentino Rossi em conversa com a imprensa, um amigo seu que via o treino das arquibancadas disse que “o piloto passou direto na curva e logo após se chocar com a barreira de proteção a moto caiu sobre o ele”. 

Em virtude do trágico acidente, a organização da categoria decidiu mudar o traçado para a disputa e desta forma as motos utilizaram o traçado que a F1 utiliza em suas disputas, sendo assim os pilotos terão 15 minutos a mais na próxima sessão de treinos para se adaptarem ao no traçado.

A MotoGP volta a ser assolada com um falecimento após cinco anos, quando durante o GP de Malásia em 2011, Marco Simoncelli não resistiu ao acidente.

Curta: http://www.facebook.com/templodosesportes

por: Matheus Furlan

 

Uma pena que não vi!

Foto: footballinnovationmanagementleadership.com

Foto: footballinnovationmanagementleadership.com

É verdade que por conta da profissão, e principalmente movido pela curiosidade, nós fanáticos por futebol, costumamos a tomar contato com as coisas deste esporte desde muito pequenos.  E graças aos Deuses da bola, a paixão nos é transmitida de forma hereditária, passando do bisavô para o avô, para o pai, o filho e para o neto.

Revistas e jornais antigos, graças à tecnologia proporcionada pela internet, e também pelos vídeos tapes em preto e branco podem fazer com que, pelo menos em recortes, tomemos contato com atletas espetaculares que não vimos jogar.  No meu caso, por exemplo, foi assim com Pelé, atleta do século. Afinal de contas, eu nasci cinco anos depois dele ter conquistado a última Copa do Mundo jogando pela Seleção Brasileira. Outros espetaculares jogadores da década de 70, eu cheguei a rever nos jogos e mudialitos de veteranos, que o jornalista Luciano do Valle proporcionou aos torcedores, na década seguinte.

E por causa isso, tive a felicidade de acompanhar um pouco do futebol produzido por vários deles. Hector Silva, Brindisi, Breitner, Roberto Rivellino, Franz Beckenbauer, e tantos outros jogadores espetaculares.  Mas, em conversas com meu pai, tão fanático por futebol quanto este que vos escreve, sempre escutei do velho que, nenhuma nação no mundo do futebol foi tão injustiçada quanto à Holanda dos anos 70.

Afinal de contas, o time da camisa laranja disputou duas finais de Copa do Mundo consecutivas. Em ambas, os holandeses foram derrotados pelos donos da casa, Alemanha e Argentina, respectivamente. Entretanto, o estilo de jogo idealizado pelo técnico Rinnus Michels, ficou marcado pelo jogador mais representativo de suas ideias dentro do campo, Johan Cruyff.

Desde outubro de 2015, Cruyff, de 68 anos, lutava contra o câncer no pulmão, agravado por conta do vício do fumo. O ex-jogador afirmou em entrevista, que o cigarro lhe tirou quase tudo o que havia conquistado com o futebol. E mesmo tendo abandonado o vício há 24 anos, as sequelas do câncer lhe tiraram a vida de forma prematura.

Cruyff é, sem dúvida nenhuma, um personagem marcante da história do futebol, e sua morte entristece os amantes do esporte mais popular do mundo, que depois dele, passou a ser jogado com modernidade. Ele é o responsável pelo estilo de jogo mais revolucionário das equipes do futebol mundial, o chamado Carrossel holandês, ou laranja mecânica.  Uma disposição tática ousada, em que os atletas tinham liberdade para trocar de posição no gramado.

Como treinador, Cruyff também deixou sua marca, comandando o Barcelona e conquistando o primeiro título da Champions League para o clube da Catalunha em 1992. Além dessa importante conquista, Cruyff levantou por quatro vezes o caneco do campeonato espanhol, venceu por três vezes a Supercopa da Espanha, uma Copa do Rei, e outros dois importantes títulos continentais, a Recopa e a Supercopa da Europa.

Acompanhei com mais atenção seu trabalho como treinador, à frente do Barcelona nos anos 90. Uma pena que não o vi jogar, mas seu nome ficou marcado na história do futebol. Futebol que fica mais triste em 2016, com a morte de um excepcional jogador, e um vitorioso treinador do futebol mundial. Vá em paz Hendrik Johannes Cruyff.

Por Ivan Marconato para o site Jogo em Pauta (www.jogoempauta.com)

Justin Wilson falece após acidente em Pocono

Foto: Indycar.com

Foto: Indycar.com

O que era para ser festa se tornou tragédia. Toda a velocidade simplesmente sumiu. O mundo parou e mais uma vez o mundo do automobilismo está de luto. A vitória de Ryan Hunter-Reay  da equipe Andretti ficou praticamente esquecida. O acidente de Justin Wilson, também da equipe Andretti mais uma vez fez os organizadores de todas as categorias do automobilismo mundial pararem para refletir.

O acidente de Wilson foi uma fatalidade. Tudo começou quando Sage Karan bateu o seu carro e diversos pedaços do mesmo foram para o meio do traçado de Pocono. Um destes pedaços acabou por acertar com violência a cabeça do inglês de 37 anos que apagou no momento da pancada. Seu carro foi de encontro ao muro e se esboçar nenhuma reação as cenas de desesperos tiveram seu inicio.

Ambulâncias, médicos, socorro e um helicóptero. Wilson foi levado direto para o hospital onde em coma não resistiu aos ferimentos e faleceu nesta segunda feira, 24. Justin Boyd Wilson, nasceu em 31 de julho de 1978 na cidade de Sheffield na Inglaterra. Passou por diversas categorias no automobilismo mundial dentre elas a F1 na temporada de 2003. Wilson disputava a Indy desde a temporada de 2008 onde conquistou sete vitórias e oito poles.

Foto: facebook.com/photo.php

Foto: facebook.com/photo.php

Mais uma vez o automobilismo se volta para a segurança dos pilotos. A FIA (foto ilustrativa), entidade máxima do automobilismo mundial já vem estudando a muito tempo fechar os carros de fórmula, como os do WEC, o Mundial de Endurance. Mas por diversas vezes ou os testes não deram certo ou a ideia não foi aprovada.

Será que um cockpit fechado teria salvo a vida de Wilson? Será que esse mesmo equipamento teria evitado o acidente de Felipe Massa em 2009, quando uma mola da Brawn de Barrichello se soltou e acabou por acertar o capacete do brasileiro que teve de ser hospitalizado as pressas?

Fica a pergunta. Mais uma vez a busca por mais segurança para os pilotos ganha destaque. O cockpit fechado ganha força ainda mais depois desta tragedia na Fórmula Indy.

Foto: justinwilson.co.uk

Foto: justinwilson.co.uk

Através de uma rede social, Stefan Wilson, irmão de Justin e que também é piloto anunciou que a família doou os órgãos do piloto e que estes salvaram seis vidas. Uma atitude muito nobre. Justin Wilson ocupava a 24° posição no campeonato da Indy com 104 pontos a bordo do carro #25.

Fica aqui nossos sentimentos aos amigos e familiares. Que possam ser reconfortados nesse momento tão difícil.

por: Matheus Furlan

Falece Jules Bianchi

Foto: mirror.co.uk

Foto: mirror.co.uk

Foram nove meses em coma e na madrugada de sábado, 18,  na França, noite de sexta feira, 17, no Brasil veio a triste noticia do falecimento do piloto de Fórmula 1, Jules Bianchi.

O jovem de 25 anos se acidentou na curva sete da volta 43 do GP de Suzuka na temporada passada. Bianchi perdeu o controle de sua Marussia e bateu em um trator de serviço que estava retirando o carro de Adrian Sutil de uma área de risco. O impacto foi muito forte, o francês passou por uma longa cirurgia, mas Bianchi sofreu uma lesão axonal difusa, que na maioria das vezes deixa o individuo em coma permanente.

O piloto que pertencia a escola da Ferrari, guiava pela Marussia para ganhar experiencia e foi transferido para a França algum tempo depois  onde seguiu o tratamento. O comunicado do falecimento veio através de uma nota da família:

Foto: Getty/express.co.uk

Foto: Getty/express.co.uk

“É com grande tristeza que os pais de Jules Bianchi, Philip e Christine, seu irmão Tom e sua
irmã Melanie, anunciam a morte de Jules, ocorrida ontem à noite no Hospital Universitário
Nice, na França, onde havia dado entrada após sofrer um acidente no circuito de Suzuka, no Grande Prêmio do Japão, em 5 de outubro de 2014”.

“Jules lutou até o fim, como sempre o fez, mas ontem sua batalha terminou”. “Sentimos uma tristeza imensa e indescritível. Queremos agradecer a equipe médica no Hospital Universitário de Nice, que o tratou com amor e dedicação.”

“Nós também queremos agradecer a equipe do Geral Centro Médico no Japão, que levou
e cuidou imediatamente de Jules após o acidente, bem como todos os outros médicos que
envolvidos na luta que ele travou nos últimos meses.”

“Gostaríamos também de agradecer aos colegas de Jules, seus amigos, seus fãs e todos aqueles que demonstraram seu afeto por ele durante este período. Isso nos deu a força para resistir nestes tempos terríveis. O ouvir, ler as suas inúmeras mensagens nos mostrou como Jules tinha despertado tanto carinho profundo com tantas pessoas ao redor do mundo.”

“Nós pedimos que respeitem nossa privacidade durante este momento muito difícil, durante o qual
tentamos enfrentar a perda de Jules.”

 

Foto: foxsports.com

Foto: foxsports.com

Jules Bianchi nasceu em 3 de agosto de 1989, 25 anos, em Nice na França. Realizou 34 corridas na F1 tendo como melhor resultado um nono lugar na disputa do GP de Mônaco de 2014, conquistando assim dois pontos, os únicos dois pontos da histórias da equipe Marussia. Bianchi foi campeão da Fórmula Renault 2.0 francesa em 2007. Foi campeão da Fórmula Europeia em 2009 conquistando nove vitórias e venceu o Desafio das Estrelas de Kart em 2013 que é realizado em Santa Catarina.

O falecimento de Bianchi é o primeiro na Fórmula 1 após aquele tenebroso final de semana em Imola na Itália na temporada de 194,  onde perdemos Ayrton Senna e o austríaco Roland Ratzenberger.

Um piloto que tinha um  grande futuro no automobilismo mundial. Fica aqui nossos sentimentos a amigos, fãs e familiares.

Curta: http://www.facebook.com/templodosesportes

por: Matheus Furlan

Piloto polonês morre no Dakar

Foto: AFP / esportes.yahoo.com

Foto: AFP / esportes.yahoo.com

Muita festa, trabalho e competição mas infelizmente o Rali Dakar fez mais uma vítima. O piloto polonês Michal Hernik #82 da KTM faleceu no estágio entre San Juan e Chilecito na altura do km 206, a organização expediu um comunicado:

“Em 6 de janeiro de 2015 morreu Michal Hernik, piloto polonês número 82, que foi encontrado sem vida no km 206 da terceira etapa entre San Juan e Chilecito (Oeste argentino). As circunstâncias de sua morte ainda não foram determinadas. O participante não apresentava nenhum sinal de acidente”.”Um helicóptero-ambulância localizou o piloto a 300 m da pista, às 16h03. O médico a bordo constatou a morte do polonês, de 39 anos”.

Hernik ocupava a 84° posição na classificação no geral e se tornou a64° vítima na história do Rali Dakar

Fica aqui nos sentimentos a amigos e familiares.

por: Matheus Furlan

Ex-F1, Andrea de Cesaris falece após acidente de moto

Foto: flickr.com

Foto: flickr.com

O ex-piloto italiano de Fórmula 1, Andrea de Cesaris faleceu neste domingo em Roma na Itália aos 55 anos. Segundo informações, Cesaris perdeu o controle de sua moto em uma estrada em Roma-ITA e  acabou batendo com força em um guard-rail, de acordo com relatos, ele faleceu no local.

Foto: Simon Bruty / Getty Images / grandepremio.com.br

Foto: Simon Bruty / Getty Images / grandepremio.com.br

Andrea de Cesaris disputa a Fórmula 1 entre os anos de 1980 e 1994, estreou pela Alfa Romeu na temporada de 80 e depois passou por diversas equipe da categoria: McLaren em 1981, Alfa Romeu em 1982 e 1983, Ligier em 1984 e 1985;  Minardi em 1986, Brabham em 1987, Rial em 1988, Dallara em 1989 e 1990, Jordan em 1991(foto acima), Tyrrell em 1992 e 1993 e passou pela Jordan e Sauber na temporada de 1994 quando decidiu se aposentar.

O piloto italiano tem em seu cartel: 15 temporadas com 208 corridas, com uma pole position, cinco pódios, sendo dois segundos lugares como melhores posições na temporada de 1983, uma volta rápida. Ele ainda chegou a disputar outras categorias como Grand Prix Masters nas temporadas de 2005 e 2006.

Infelizmente, mais uma lenda que nos deixa. Fica aqui nossas condolências a amigos e familiares de Andrea de Cesaris.

por: Matheus Furlan 

Campeão Brasilerio de 1990 e ex-técnico, Giba falece aos 52 anos

Foto crédito: GazetaPress/esportes.terra.com.br

Foto crédito: GazetaPress/esportes.terra.com.br

O  ex-jogador e ex-técnico, Giba faleceu nesta terça feira. Antônio Gilberto Maniaes, o Giba, de 52 anos estava internado no Hospital Sirio Libânes em São Paulo onde seguia o tratamento de uma doença rara chamada “amiloidose.”

A amiloidose atinge a medula óssea e faz com que a mesma produza uma substância chamada de amiloide, essa por sua vez pode se acumular em órgão e tecidos celulares, no caso do ex-campeão brasileiro de 1990 pelo Corinthians, a doença atingiu os rins.

Giga estava internado e nesta segunda feira sua situação clínica piorou e ele entrou em coma intensivo, contudo o ex-treinador não resistiu e veio a falecer na manhã desta terça feira.

Como jogador Giba passou por Inter de Limeira, União São João, Guarani e Corinthians. Como treinador Giba passou por Juindiaí Santos, CSA, Gama, Guarani, Atlético Sorocaba, Portuguesa, Santa Cruz, Remo, Sport, São Caetano, Ipatinga, Fortaleza dentre outros clubes.

Na carreira de jogador, Giba que jogava na lateral direita,teve grande destaque na conquista do Campeonato Brasileiro de 1990 pelo Corinthians, primeiro na história do clube. Na carreira de treinador os principais títulos de  Giba foram o Campeonato Alagoano de 1998 com o CSA e o Campeonato Paulista da Segunda Divisão e o Campeonato Brasileiro da Série C, ambos com o Paulista de Jundiaí em 2001.

Fica aqui nossos sentimentos a amigos e familiares.

por: Matheus Furlan

Fernandão ex-atacante de Inter-RS e São Paulo falece em acidente aéreo

Mais uma vez o mundo do futebol esta de luto. Faleceu na madrugada deste sábado, o ex-atacante e ex-treinador Fernandão de 36 anos. Fernando Lúcio da Costa foi vítima de uma acidente de helicóptero que caiu próximo a cidade de Aruanã em Goiás. O ex-jogador de futebol, segundo informações chegou a ser resgatado mas veio a falecer no hospital.

Além de Fernandão mais quatro ocupantes estavam abordo da aeronave, todos faleceram no acidente.

Foto crédito: arenavermelha.blogspot.com

Foto crédito: arenavermelha.blogspot.com

Fernandão iniciou sua carreira no futebol profissional no ano de 1995 no Goiás, onde ficou até o ano de 2001, nesse período foi penta campeão goiano.  Depois passou por Marseille e Toulouse ambos na França. Chegou ao Internacional no ano de 2004 onde teve o ponto máximo de sua carreira. No clube Colorado ele disputou 190 partidas e marcou 77 gols. Pelo Inter conquistou a Libertadores de 2006 e o Mundial de Clubes daquele ano além de dois campeonatos gaúchos nos anos de 2005 e 2008.

Em 2008, Fernandão foi jogar no mundo árabe pelo Al-Gharafa. Na temporada de 2009 voltou para o Goiás onde jogou mais 37 partidas e anotou mais 10 gols. No ano seguinte o atacante foi contratado pelo São Paulo onde disputou 39 partidas e marcou 8 gols. Ainda em 2011, Fernandão rescindiu com o São Paulo e pendurou as chuteiras e foi ser diretor executivo no Internacional.

No ano de 2012, o ex-atacante se tornou treinador no Colorado e comandou a equipe em 26 oportunidades com 9 vitórias, 8 empates e 9 derrotas.

Fernandão chegou a vestir a camisa da Seleção Brasileira em uma oportunidade na partida amistosa diante da Guatemala em abril de 2005, partida vencida pelo Brasil por 3 x 0.

Atualmente Fernandão estava trabalhando de comentarista em um canal de TV por assinatura.

Fica aqui nosso sentimentos a familiares e amigos.

por: Matheus Furlan