Novak Djokovic conquista Masters 1.000 de Paris

Foto: Agência AFP / globoesporte.com

Foto: Agência AFP / globoesporte.com

O último torneio Masters 1.000 de 2014 foi vencido por Novak Djokovic, que, sem perder sets, manteve o título em Paris. Além disso, o sérvio alcançou duas marcas especiais após a final, a vitória de número 600 e a 20ª conquista de torneios Masters 1.000. Para isso, Djoko venceu o canadense Milos Raonic na decisão por fáceis 2 sets a 0, em parciais de 6/2 e 6/3. A promessa era de uma partida mais complicada do que, de fato, foi, mas o número 1 do mundo se impôs muito no começo dos sets e conseguiu abrir boas distâncias, que facilitaram no caminho da vitória.

Antes de enfrentar Raonic, Nole já tinha passado por Philipp Kohlschreiber, Gael Monfils, Andy Murray e Kei Nishikori, jogando em todos os confrontos com inteligência e maestria. E olha que o sérvio estava pressionado. Isso porque Roger Federer ameaçava sua liderança do ranking da ATP, mas o Djokovic manteve os 1.000 pontos do torneio e já se garantiu como o número 1 no final de 2014, mesmo faltando dois torneios para o fim da temporada, o ATP Finals, que reúne os 8 melhores atletas do ano (sem contar com o lesionado Rafael Nadal) e a Copa Davis, em que Federer é finalista e o sérvio apenas assiste de fora.

O fato é que será muito difícil segurar Djoko no Finals, porque o piso também é duro e ele vem em uma ótima sequência. Claro que tudo pode acontecer na disputa, afinal os oito melhores atletas do ano estarão em ação (Novak Djokovic, Roger Federer, Stan Wawrinka, Andy Murray, Kei Nishikori, Marin Cilic, Tomas Berdych e Milos Raonic). A competição começará no dia 09/11, daqui a uma semana. Antes disso, nesta terça-feira, 04, acontecerá o sorteio das chaves, porque o torneio é dividido em dois grupos com quatro atletas, que jogam entre si e os dois melhores avançam para a semifinal.

por: Rodrigo Bitar

adaptação: Matheus Furlan

Anúncios

Flamengo é campeão da Liga das Américas

A Liga das Américas é uma espécie de Taça Libertadores, mas no basquete. Uma disputa que leva à Copa Intercontinental, que no futebol é o Mundial de Clubes.

Foto crédito: Alexandre Vidal / Fla Imagem (lnb.com.br)

Foto crédito: Alexandre Vidal / Fla Imagem (lnb.com.br)

Neste ano a forma de disputa da Liga das Américas mudou. Ao invés de quatro equipes se enfrentando na fase final, todos contra todos, a FIBA Américas decidiu por um mata-mata, com semifinal e final. O que é bem melhor para uma competição com um grande nível e importância. Melhor ainda porque aconteceu aqui no Brasil, mais precisamente no Maracanãzinho, Rio de Janeiro.

Na semifinal o Flamengo venceu o Aguada, do Uruguai, por 113 x 81, e o Pinheiros passou pelos mexicanos do Halcones de Xalapa pelo placar de 85 x 72.

Com isso a decisão foi feita entre brasileiros, mais precisamente entre os cariocas, campeões do NBB5 e líderes do NBB6, e os paulistas, que defendiam o título da competição.

A grande final foi bastante equilibrada. O Flamengo dominou o jogo e ficou a maioria do tempo na frente do placar. Do outro lado, o Pinheiros dificultou bastante, mas não foi páreo para os cariocas, que jogaram com o apoio de sua torcida e venceram por 85 x 78.

Eu acreditava que o Flamengo era o favorito e isso realmente foi confirmado em quadra. Os cariocas têm uma grande equipe e uma torcida apaixonada, que fazem uma junção muito forte, quase imbatível.

Esse é o terceiro título do Brasil no torneio. Além de Flamengo e Pinheiros, o Brasília já venceu a competição na temporada 2008/2009.

Com o título, o time carioca garantiu vaga para a Copa Intercontinental, que acontecerá em outubro. A disputa será contra um time europeu, campeão da Euroliga, em duas partidas, ambas no mesmo local. O país-sede da competição já está decidido, o Brasil, mas a cidade ainda não.

Bom lembrar que no ano passado o Pinheiros perdeu o torneio intercontinental para o Olympiacos, da Grécia, após jogar duas vezes em Barueri.

por: Rodrigo Bitar

adaptação: Matheus Furlan

Cesar Cielo conquista títulos na primeira competição defendendo as cores do Minas

Foto crédito: Orlando Bento / MTC (globoesporte.com)

Foto crédito: Orlando Bento / MTC (globoesporte.com)

Cesar Cielo parece estar feliz de casa nova.

Na primeira competição pelo Minas Tênis Clube, Cielo conquistou três títulos no Torneio Metropolitano de Natação, disputado em Belo Horizonte. O primeiro foi o 100m estilo livre. O segundo foi os 50m borboleta. E para fechar, a especialidade do nadador brasileiro, a prova dos 50m livres.

Cesar Cielo nadou muito rápido e estabeleceu a melhor marca na prova em 2014, com o tempo de 21s74centésimos, batendo o melhor tempo do ano, 21s88centésimos, que era do australiano James Magnussen.

O brasileiro é um excelente nadador e isso é indiscutível. O que ele precisava para voltar a ter resultados grandiosos, que são esperados por sua carreira vitoriosa, era um novo ânimo e parece que o clube mineiro está dando essa ajuda ao campeão olímpico.

por: Rodrigo Bitar

adaptação: Matheus Furlan

Arthur Zanetti continua em alta

Até parece noticia do ano passado, Arthur Zanetti conquista o ouro na competição das argolas no Mundial. Pois bem, mais uma vez o brasilerio conquistou a primeira posição na disputa. O brasileiro somou 15,700 pontos e levou o ouro, com o chinês Liao Qiuhua na segunda colocação  e o armeno Davtyan Vahagn, em terceiro na Copa do Mundo de Ginástica disputado em Doha no Qatar.

foto fonte: medalhabrasil.com.br

foto fonte: medalhabrasil.com.br

Mas não foi apenas nas argolas que o Brasil levou medalha. No solo, Arthur Nory somou 14.900 pontos e conquistou a medalha de prata, ficando atrás do romeno Flavius Koczi, que com 14.950 pontos levou o ouro.

Meus parabéns rapaziada… Continuem assim…

Deixe a sua opinião, teremos o maior prazer em responde-lo.

por: Matheus Furlan