Mark Webber anuncia aposentadoria no final da temporada

mark-webber

Foto: Reprodução / Facebook Mark Webber – oficial

O australiano Mark Webber anunciou que se aposentará das corridas de carro no final da temporada de 2016. Com 40 anos de idade, Webber guiou na F1 entre 2002 e 2013, passando por Minardi, Jaguar, Williams e Red Bull. Foi terceiro colocado no Mundial de Pilotos em três oportunidades (2010, 2011 e 2013), conquistou ao todo nove vitórias, 11 poles e 36 pódios.

No WEC, Webber ostenta o título da temporada de 2015, conquistado ao lado da dupla Timo Bernhard e Brendon Hartley. Foi segundo lugar nas 24 Horas de Le Mans na temporada passada.  O piloto falou a falta que as corridas lhe farão.  “Vou sentir falta da velocidade, da pressão aerodinâmica, da competição, mas quero sair em alta e estou muito ansioso por minhas novas tarefas. Encontrei o lugar que pertenço. A Porsche é a marca que mais amei, sempre, e aquela onde mais me senti à vontade”.

A data da aposentadoria está marcada para o dia 19 de novembro, no Bahrein, local da última etapa da temporada do WEC 2016. Webber seguirá na Porsche mas como um representante da marca alemã.

Siga no Twitter: @esportetemplo

Por Matheus Furlan

Anúncios

FELIPE MASSA: ADEUS A FÓRMULA 1 NO FINAL DO ANO

massa 1

Foto: Divulgação/Williams Racing

Um dos mais experientes pilotos do grid anuncia sua aposentadoria no final da temporada de 2016. Felipe Massa, piloto brasileiro de 35 anos, com mais de 240 GPs na carreira e passagem por equipes de ponta, revelou nesta quinta-feira (01), em uma coletiva em Monza, na Itália, que sua última corrida pela F1 será no dia 27 de novembro, em Abu Dhabi.

Felipe começou sua carreira automobilística muito cedo. Aos oito anos de idade ele começou a pilotar no kart, mas suas habilidades foram rapidamente percebidas e o piloto logo foi campeão pela Fórmula Renault europeia e italiana em 2000 e pela Fórmula 3000 europeia em 2001, antes de chegar à maior categoria do automobilismo. As vitórias de Massa chamaram a atenção da Ferrari que assinou contrato com ele o colocou na Sauber. Em seu ano de estreia pelo time suíço, Massa acabou contrariando o antigo chefe da equipe, Peter Sauber, ao se recusar a dar posição ao companheiro Nick Heidfeld em uma corrida, perdendo lugar na equipe na temporada seguinte. Com isso, teve que passar o ano de 2003 apenas como piloto de testes da Ferrari.

Em 2004, Felipe ganhou uma vaga nos assentos principais da Sauber e, com o anuncio da saída de Rubens Barrichello da Ferrari, Massa logo foi transferido para a escuderia italiana para formar dupla com um de seus maiores ídolos do automobilismo, Michael Schumacher. Felipe, inclusive, revelou que resolver anunciar sua aposentadoria na Itália justamente porque foi o mesmo que Schumacher fez há dez anos.

“Porque eu escolhi anunciar minha aposentadoria em Monza não é por acaso. Dez anos atrás, aqui em Monza, um piloto anunciou que também não correria mais pela F1 e esse piloto é o que mais influenciou a minha carreira automobilística, Michael Schumacher”, disse Massa

Na Ferrari, o brasileiro passou por momentos únicos. Massa se tornou um piloto competitivo e, após a aposentadoria do heptacampeão do mundo, brigou com Kimi Raikkonen pelo mundial de 2007, mas, no final, acabou ajudando o finlandês a conquistar o título. Em 2008 o brasileiro atingiu seu auge na maior categoria do automobilismo, brigando ponto a ponto com Lewis Hamilton pelo mundial e protagonizou uma das disputas de campeonato mais emocionantes da história da F1. Na ocasião, Massa havia vencido o GP do Brasil, sua última vitória na F1, mas perdeu o título, por apenas 1 ponto, quando Hamilton ultrapassou Timo Glock na última curva do circuito de Interlagos.

Em 2009, Felipe sofreu o acidente mais grave de sua carreira. Uma mola soltou-se do carro de Rubens Barrichello durante o treino classificatório para o GP da Hungria e acabou acertando em cheio a cabeça do piloto, que ficou gravemente ferido e perdeu parte da temporada daquele ano. No entanto, Massa ressaltou que o acidente na Hungria não foi sua pior memória na carreira, mas sim quando se envolveu em um acidente com a Renault de Nelsinho Piquet, em 2008, que lhe custou, segundo o piloto, não só a vitória no GP de Cingapura, mas o título mundial daquele ano. Voltando às pistas em 2010, Felipe conseguiu a 2ª colocação no GP de Bahrein e logo em seguida mais um pódio na Austrália, mas logo começou a sofrer a pressão do seu então novo companheiro de equipe na Ferrari, Fernando Alonso.

“Se não fosse aquele incidente [GP de Cingapura de 2008], eu teria vencido o campeonato mundial e eu sei que não foi possível vencer não por problemas com o piloto ou com a equipe, então, isso é mais difícil ainda de aceitar”, revelou Felipe.

Massa até conseguiu ser tão competitivo quanto o espanhol, mas, a partir de 2013, o piloto brasileiro começou a cair de rendimento e anunciou que a temporada de 2014 não faria mais parte da escuderia italiana. Se transferindo para a Williams para a temporada de 2014, ao lado do finlandês Vallteri Bottas, Massa até conseguiu algumas boas atuações como, por exemplo, no GP da Áustria de 2014, quando desbancou as dominantes Mercedes no treino classificatório e conquistou a pole position. Foi a primeira pole de Massa desde aquele do GP do Brasil de 2008. Desde então, o brasileiro foi outras cinco vezes ao pódio com a Williams, mas acabou ficando limitado pela falta de recursos apresentados pela equipe inglesa.

Assim, Felipe Massa encerra sua carreira totalizando 14 temporadas na F1. Até o momento foram 242 corridas, 11 vitórias e 41 pódios, além de 16 pole positions e 15 melhores voltas, sendo o quarto brasileiro com mais triunfos, empatado com Rubens Barrichello, e atrás apenas de Ayrton Senna (41), Nelson Piquet (23) e Emerson Fittipaldi (14).

massa divulgação

Foto: Divulgação

OBRIGADO, FELIPE MASSA!

Foram 14 anos de carreira na Fórmula 1. Altos e baixos. Vitórias inesquecíveis e derrotas que doem até hoje. Parceria com o maior campeão da história da F1, Michael Schumacher. Um título perdido, dentro de casa, na última volta, para Lewis Hamilton. Um acidente que quase custou sua vida. As histórias de Felipe Massa na Fórmula são várias. Com 244 provas disputadas, 11 vitórias e 1110 pontos conquistados, o brasileiro, um dos pilotos mais queridos na categoria, deixará os fãs e quem faz a Fórmula 1 com muita saudade.

Apaixonado por velocidade desde os oito anos de idade, os primeiros pontos conquistados por Massa na Fórmula 1 aconteceram no GP da Malásia, quando guiava pela Sauber. O brasileiro, ainda uma promessa, largou em 14º lugar e, sem se intimidar, foi conquistando posição por posição. Terminou em sexto e tornou-se o brasileiro mais jovem a terminar uma prova entre os seis melhores. Histórico.

Mas os principais momentos do paulista de Botucatu ainda estariam para chegar. Foi em 2006, ano de sua estreia na Ferrari, que Massa guiou ao lado de Michael Schumacher, o maior campeão da história da Fórmula 1. Ainda garoto, o brasileiro era tratado como um irmão caçula pelo heptacampeão do mundo. E foi ao lado dele que Massa conquistou sua primeira dobradinha vestindo o macacão vermelho. No circuito de Indianápolis, o paulista terminou na segunda posição, atrás apenas de Schumi.

Já no GP da Turquia, algumas provas após a primeira dobradinha, Massa subiu ao lugar mais alto do pódio pela primeira vez. Sem esconder as lágrimas, o piloto teve ao seu lado, no terceiro lugar do pódio, Michael Schumacher.

Foi também em 2006 que um brasileiro voltaria a vencer em Interlagos. Depois de 13 anos, Massa, com o macacão verde e amarelo, fez a festa dentro de casa. Foi uma vitória incontestável. Fãs do automobilismo chorando e famílias inteiras lembrando de Ayrton Senna, último brasileiro a vencer o GP do Brasil. Foi um dos grandes momentos do piloto na categoria.

O maior momento de Felipe Massa ainda estaria por vir. Em 2008, pelo menos por alguns instantes, sentiu o sabor de conquistar um título mundial. O piloto da Ferrari tinha que vencer a prova no Brasil e torcer para que Lewis Hamilton terminasse a corrida no máximo na sexta colocação. Tudo estava saindo com perfeição.

Vitória incontestável e Hamilton terminando em sexto. Alegria, festa e muito choro tomaram conta das arquibancadas de Interlagos. Estava tudo perfeito. Tudo perfeito até a última curva do circuito. Foi neste momento que o atual tricampeão do mundo ultrapassou Timo Glock acabou com a festa de milhões de brasileiros. O grito de ”é campeão” ficou entalado. Está entalado até hoje.

A partir deste momento, a carreira de Massa tomou um rumo que não era esperado. E o pior momento da vida do brasileiro estava prestes a acontecer. Por pouco ele não perdeu a vida. Durante o GP da Hungria, uma mola soltou-se do carro de Rubens Barrichello e atingiu em cheio o capacete de Massa, que ficou desacordado e bateu a 280 km/h. Foram 11 dias angustiantes em cima da cama de um hospital, mas, felizmente, a briga contra a morte foi vencida. Sem poder guiar pelo restante da temporada, Massa teve que esperar até 2010 para poder voltar às pistas.

Ficou na Ferrari até 2013, quando decidiu que era hora de encarar mais um desafio. Assinou com a Williams, que tentava se reerguer dentro da Fórmula 1. Foram dias difíceis, mas, com todo talento e força de vontade, colocou a equipe inglesa na pole position, batendo os dois carros da Mercedes. Foi na Áustria, em 2014. Porém, não conseguiu segurar o ímpeto dos carros alemães e terminou em quarto.

O brasileiro ainda conquistaria mais cinco pódios com a Williams. Mas, sem um carro competitivo na atual temporada e sem perspectivas para o ano que vem, Massa decidiu encerrar sua carreira na Fórmula 1. Foram 14 anos inesquecíveis. Agora, são oito corridas para a despedida. Obrigado, Massa!

Por Luiz Morelo para o site Jogo em Pauta (www.jogoempauta.com)

Steve Nash anuncia aposentadoria

Foto: sports.espn.go.com

Foto: sports.espn.go.com

A lenda canadense do basquete, Steve Nash de 41 anos anunciou a sua aposentadoria neste sábado, 21. Um dos maiores armadores da história da NBA vinha sofrendo com lesões nas últimas temporadas e através de uma rede social anunciou a sua decisão de deixar as quadras.

Nash que teve última equipe o Los Angeles Lakers, jogou apenas 15 partidas na temporada antes de ter uma lesão nas costas. O canadense que nasceu em Joanesburgo na África do Sul disputou 18 temporadas ao todo,  jogou a maior parte de sua carreira no Denver Nuggets, onde ficou entre as temporadas de 1996 e 1998, deixou a equipe e foi para o Dallas Mavericks onde jogou de 1998 até a temporada de 2004, regressou ao Nuggets e viveu o alge de sua carreira sendo eleito o MVP, melhor jogador das temporada de 2004/05 e 2005/06, temporadas quais o Denver chegou as finais da Conferência Oeste mas acabou derrotado.

Foto: Kirby Lee / USA Today Sports / ftw.usatoday.com

Foto: Kirby Lee / USA Today Sports / ftw.usatoday.com

Nash chegou aos Lakers na temporada de 2012, onde cão conseguiu desenvolver o melhor do seu basquete. Para se ter uma ideia da grandeza de Steve Nash, ele é o terceiro maior assistente da história da NBA com o total de 10.335 passes para cestas, além desse recorde, Nash é o recordista em aproveitamento de lances livres na liga com o total de 90,4%, ou seja de cada 10 lances livres efetuados por ele, 9 ele acertava e o outro batia no aro.

O canadense participou oito vezes dos All Star Game e fará muita falta a NBA que cultua os seus ídolos, mas de acordo com a imprensa americana o anuncio já era esperado devido a lesão crônica nas costas. Nash é mais um grande jogador que nunca conquistou o título da NBA.

Curta: http://www.facebook.com/templodosesportes

por: Matheus Furlan

Rogério Ceni renova contrato com o Tricolor até 2015

Foto: Arquivo Lance! / lancenet.com.br

Foto: Arquivo Lance! / lancenet.com.br

Muitos acreditavam que ele se aposentaria, mas a vontade e  o desejo de voltar a jogar uma Libertadores da América foi maior e  o “mito” Rogério Ceni renovou contrato com o São Paulo até o dia 5 de agosto de 2015, com possibilidade de extensão caso o time do Morumbi conquiste a América, mais uma vez, e vá disputar o Mundial de Clubes.

A noticia da renovação de contrato de Ceni foi dada pelo presidente Carlos Miguel Aidar após uma coletiva onde foi apresentada uma camisa comemorativa pelos 24 anos do goleiro no clube.

O presidente apareceu no final do evento e fez o seguinte anuncio: “Essa camisa que foi lançada certamente será usada por ele ainda muitas vezes. Acabamos de renovar com ele até 5 de agosto de 2015, mas o contrato pode ser renovado caso conquistemos a Libertadores. Mas isso discutiremos depois. Não foi difícil convencê-lo, ele é quem me convenceu”, afirmou o mandatário.

Neste meio de semana, o São Paulo acabou eliminado pelo Atlético Nacional de Medellín no pênaltis e deu adeus a competição sul-americana.

Rogério Ceni tem 41 anos, fez 1.183 jogos com a camisa do São Paulo onde anotou 123 gols, além disso Ceni é detentor de vários recordes como mais jogos por uma mesma equipe, 1.180 jogos, mais vezes como capitão da equipe, 931 jogos, maior artilheiro entre os goleiros, 123 gols e ainda não homologado, maior número de vitórias em competições oficiais, 594 jogos, ultrapassando Ryan Giggs.

Um verdadeiro MITO.

Acesse: http://www.facebook.com/templodosesportes

por: Matheus Furlan

Button admite que pode se aposentar

Com o futuro totalmente incerto na F1, o inglês Jenson Button #22 da equipe McLaren e campeão mundial de Fórmula 1 na temporada de 2009 pela BrawnGP admitiu que pode vir a se aposentar no final da atual temporada.

Foto: Getty Images / globoesporte.globo.com

Foto: Getty Images / globoesporte.globo.com

Em entrevista a TV BBC, Button de 34 anos de idade falou que não imagina sua vida se o automobilismo. ” Ainda não sentamos para conversar. Se eu tiver que me aposentar ao fim da temporada, então assim será, mas sinto que ainda tenho muito a dar e não imagino uma vida fora do automobilismo, especialmente da Fórmula 1″, afirmou o piloto.

Jenson que ainda não conversou com a equipe McLaren sobre uma possível renovação mas sabe que esta complicado arrumar uma vaga em uma equipe grande da categoria. Na atual temporada, o piloto tem como melhor resultado um terceiro lugar no GP da Austrália, etapa de abertura da temporada, ele marcou pontos em 12 corridas e ocupa a 8° colocação no Mundial de Pilotos.

Button já anotou 8 vitórias na carreira além de 50 pódios e 8 poles em 259 corridas, passou pelas equipes Williams, Benetton, BAR, Honda e BrawnGP onde foi campeão.

As especulações de que a equipe McLaren esta com as duas vagas abertas para 2015 só aumentam, ainda mais com a volta da Honda como fornecedores de motores. Muitos nomes são especulados e a equipe pediu paciência tanto para Button e Magnussen para definir seu pilotos para a próxima temporada, mas o que é de fato mesmo é que a equipe continua em uma maré de altos e baixos e que não vence uma corrida desde a temporada de 2012.

Acesse: https://templodosesportes.wordpress.com/

por: Matheus Furlan

Giba anuncia a aposentadoria do voleibol

Foto crédito: Danielle Rocha/globoesporte.com

Foto crédito: Danielle Rocha/globoesporte.com

Nesta sexta-feira, Gilberto Amauri Godoy Filho, mais conhecido como Giba, anunciou sua aposentadoria das quadras.

Apesar do anúncio oficial ter acontecido apenas hoje, a decisão já estava tomada pelo, agora, ex-jogador. Tudo começou em 2012, quando o ponteiro se aposentou da seleção brasileira, após as Olimpíadas de Londres. Depois da competição na Inglaterra, o brasileiro jogou pelo Bolívar da Argentina, mas saiu rapidamente, afinal ficou 7 meses sem receber salário. A ideia do atleta era jogar apenas mais uma temporada no time argentino e se aposentar, mas sua saída fez com que seus planos mudassem. Quando ninguém mais acreditava na volta de Giba às quadras (não por falta de ritmo, mas por falta de convite), o Taubaté chamou o jogador para ser o grande astro da equipe. A passagem pelo time do interior paulista durou apenas 2 meses, com direito a 5 jogos e aí veio a grande proposta dos Emirados Árabes Unidos, para ser jogador no país por um ano e consultor do esporte nos 5 anos seguintes, mas a vida no exterior durou só três meses. Giba ficou sem time para atuar e surgiu a grande dúvida, se aquele era o fim de sua carreira. Cerca de cinco meses depois, o eterno camisa 7 da seleção anunciou a saída das quadras.

Foto crédito: voleybolx.com

Foto crédito: voleybolx.com

Apesar da grande perda dentro das quadras, não dá para ficar triste, basta ver a grande história construída e o legado deixado pelo atleta, que serve como inspiração para os mais novos.

Giba pode ser considerado um dos melhores jogadores do mundo de todos os tempos, porque foi um verdadeiro campeão, conquistando três medalhas olímpicas (ouro em Atenas 2004 e prata em Pequim 2008 e Londres 2012), 3 Mundiais, 3 Copas dos Campeões, 2 Copas do Mundo, 1 Pan-Americano, 8 Sul-Americanos e 8 Ligas Mundiais, além de ter conquistado, por quatro vezes, o prêmio de MVP em competições, e ter garantido um lugar no Hall da Fama do voleibol.

Para quem não lembra, Giba ficou marcado por ser um jogador raçudo, não desistindo das jogadas, e definindo-as como ninguém. E mais, comemorava cada ponto como uma vitória, o que levantava a torcida do começo ao fim da partida.

Obrigado pelo legado deixado ao esporte brasileiro. Giba neles!

por: Rodrigo Bitar

adaptação: Matheus Furlan

Giba encerra passagem no vôlei árabe e pode se aposentar

Foto: giba7.com.br

Foto: giba7.com.br

Um dos maiores jogadores do voleibol brasileiro de todos os tempos, Gilberto Amauri Godoy Filho, o Giba, fechou um contrato com o Al Nasr, de Dubai, no ano passado, visando não apenas jogar, mas fazer com que o esporte evoluísse nos Emirados Árabes Unidos.

Todas as partes pareciam felizes com o acordo, mas a passagem de Giba em Dubai durou apenas três meses, que era tempo mínimo de permanência. Isso porque o contrato era de um ano jogando.

Em uma nota oficial em seu site, o ponteiro brasileiro disse que achou uma falta de respeito com ele a rescisão do contrato. O atleta afirmou estar com a forma física e a vontade sempre crescente, mas os obstáculos o podem fazer parar.

O próximo pronunciamento de Giba será quando ele chegar em São Paulo. Mais tranquilo, ele poderá falar melhor sobre a passagem no voleibol dos Emirados e seu futuro.

Giba tem um currículo invejável. O jogador de 37 anos venceu uma Olimpíada e seis mundiais, além de quatro prêmios como o “jogador mais valioso” (MVP).

A sua aposentadoria, que é uma possibilidade, seria uma grande perda para o voleibol mundial. Será que algum time, principalmente da Superliga, se interessará pelo jogador? Eu espero que sim, porque acho que ele ainda tem muito show para dar dentro da quadra.

por: Rodrigo Bitar

adaptação: Matheus Furlan

Se aposentou…

Foto: motortrend.com

Foto: motortrend.com

Após anos de dedicação, títulos, vitórias e ultrapassagens o escocês Dario Franchitti, 40, anunciou sua aposentadoria do automobilismo nesta quinta feira. O piloto da Chip Ganassi sofreu um forte acidente na penúltima etapa do campeonato da Fórmula Indy em Houston quando bateu com violência na traseira do carro de Takuma Sato e acabou se chocando com o alambrado. Franchitti sofreu uma lesão no tornozelo do pé direito e uma grave lesão na coluna e foi isso que o motivou a parar. Confira o acidente na última volta do GP de Houston:

 

“Desde meu acidente em Houston, estive sob cuidados de alguns médicos e enfermeiras, que fizeram minha saúde, segurança e recuperação o topo de suas prioridades. Sou eternamente grato por toda a atenção que recebi pelas últimas semanas. Gostaria também de agradecer minha família e amigos por todo o apoio”“Um mês após o acidente, e baseado em todos os conselhos dos especialistas que me trataram e de minhas lesões na cabeça e espinha após o acidente, em suas opiniões médicas, o melhor é que eu pare de correr. Eles deixaram claro que os riscos envolvidos são muito grantes e podem prejudicar minha saúde no futuro. Então, decidi parar”“Correr tem sido minha vida por 30 anos e é muito difícil imaginar que agora acabou. Estava realmente ansioso para a temporada 2014 com a Chip Ganassi, com o objetivo de vencer uma quarta vez as 500 Milhas de Indianápolis e conquistar um pentacampeonato” afirmou o piloto que chegou a Fórmula Indy em 2002. Ele tem em seu cartel 256 GPs com 31 vitórias, 92 pódios é tetracampeão da categoria, 2007, 2009, 2010 e 2011, tricampeão das 500 Milhas de Indianápolis venceu em 2007, 2010 e 2012.

Foto: latimesblogs.latimes.com

Foto: latimesblogs.latimes.com

“Gostaria de agradecer a todos os meus adversários, companheiros de equipe, todo o time e os patrocinadores pelo apoio incrível ao longo desta carreira incrível. Também gostaria de agradecer à Hogan, à Green e à Andretti-Green, pelas oportunidades para competir, e, especialmente, à Chip Ganassi, que se tornou como uma família para mim desde que me juntei a eles, lá em 2008. Eu seria descuidado se não agradecesse a todos os meus fãs ao redor do mundo. Não posso agradecer vocês o suficiente por continuarem ao meu lado por todos esses anos. Eu vou sempre me lembrar do tempo em que corri na CART e na Indy com memórias carinhosas e os relacionamentos que construí no esporte vão durar a vida toda” afirmou ainda Franchitti que no ano que vem teria como companheiro de equipe o brasileiro Tony Kanaan além do atual campeão  da categoria Scott Dixon.

É uma lenda do automobilismo que deixa a carreira, e ele eta certo vice no limite e espero que se recupere plenamente. Claro que sentiremos falta deste grande piloto, mas ele esta na história e nuca se aposentará de lá. Tudo de melhor para você Franchitti!

Curta nossa página no Faceboook. http://www.facebook.com/templodosesportes

por: Matheus Furlan

Aposentadoria!?!?!?!

foto fonte: br.noticias.yahoo.com

Foto: br.noticias.yahoo.com

As vésperas do GP de Abu Dhabi, Felipe Massa deu algumas declarações que deixaram o torcedor brasileiro e os amantes de automobilismo balançados, muito balançados. O piloto de 32 anos afirmou ao site Total Race que “O importante é [o anúncio] sair, e não o tempo. O importante é que dê certo. Se eu não tiver nada certo até Interlagos, posso até fazer uma corrida de despedida. Não aceitaria fazer uma corrida no Brasil sem nada certo para o ano seguinte sem ter um final feliz para minha carreira”, disse Massa.

“Não sei se haverá anúncio sobre meu futuro até Interlagos, mas uma certeza do que vai acontecer certamente terá. Nunca perdi meu sono pensando no que vai acontecer ano que vem. Estou tranquilo, assim como houve o anúncio de que eu não continuaria na Ferrari. Acredito que algo vai acontecer e eu vou encontrar uma boa equipe para meu futuro”, afirmou o piloto que esta em oitavo posto no campeonato com 102 pontos.

Até esse momento as especulações giravam para o lado bom, que ele conseguiria uma vaga na F1 para 2014, agora tudo muda e ele fala caso não consiga uma certo que ser sua despedida. Ele não jogou a toalha, a Lotus cada vez mais parece estar certa com Pastor Maldonado por questão financeira e não por vontade da equipe, Hulkenberg e Massa de olho no que sobrar, Willians, Force Índia e Sauber.

A F1 está mais fácil para qualquer uma que pague do que para quem realmente tem talento. Vamos esperar que Massa siga na categoria em 2014.

Curta nossa página no Facebook. http://www.facebook.com/templodosesportes

por: Matheus Furlan

DECO anuncia aposentadoria

O meia Deco de 35 anos,  anunciou nesta manhã (26 de agosto), sua aposentadoria do futebol. O jogador que vem sofrendo com graves lesões seguidas  sofreu mais uma e decidiu por para. O jogador tem contrato com o Fluminense mas em nota falou da decisão.

foto fonte: kn.franca.zip.net

foto fonte: kn.franca.zip.net

Nota Oficial:

“É com muita tristeza e pesar que comunico o fim de minha carreira como atleta profissional. Os últimos minutos na quarta feira pelo Fluminense foram os últimos dos 17 anos dentro de campo como jogador de futebol. Gostaria muito de continuar até o final desta Brasileiro e ajudar a colocar a equipe novamente na Libertadores. Mas não estou conseguindo. Quero agradecer ao Fluminense, Celso Barros e todos que trabalharam comigo nestes 3 anos e me deram a oportunidade de jogar no futebol brasileiro. Mais do que isso, pude participar e ajudar a conquistar dois títulos Brasileiros e mais o Campeonato Carioca. Fui muito feliz nesta período no clube. Gostaria muito de ter ajudado muito mais o Fluminense, mas o meu corpo não me permitiu. Deixo claro que me dediquei, esforcei e muitos me apoiaram para que eu seguisse até o final de ano. Fisicamente poderia jogar, mas os meus músculos não suportam mais. Obrigado a todos e pela confiança e carinho”

Anderson Luís de Souza iniciou sua carreira no Corinthians jogou no futebol português onde  ganhou destaque no Porto. Se naturalizou naquele país e disputou os Mundiais de  2006 e 2010, jogou 75 vezes com a camisa de seleção de Portugal e marcou 5 gols.

foto fonte: soumaisflu.com.br

foto fonte: soumaisflu.com.br

Jogou ainda por Barcelona e Chelsea, voltou para o futebol brasileiro e sagrou-se bicampeão nacional em 2010 e 2012 ambas pelo Fluminense.

Ele deixará saudades no futebol, por sua técnica e precisão.

por: Matheus Furlan